Joaquim Teixeira com os triunfos no horizonte

Piloto transmontano do Bompiso Racing Team confirma a sua presença no Campeonato de Portugal de Montanha JC GRoup 2020. Em aberto está o carro que vai utilizar.

(auto.look2010@gmail.com) – Fotos: ARMINDO CERQUEIRA / FOTO GTI

A sua carreira já vai longa e recheada, mas nem por isso Joaquim Teixeira está menos motivado. O piloto transmontano prepara-se já para os “combates” na arena que mais gosta: o Campeonato de Portugal de Montanha JC Group.

Os seus objectivos continuam altos, assumindo, desde já, que volto «a entrar o campeonato para vencer». Após o “tri” alcançado em 2019, na Divisão Turismo 3 e nova presença no pódio absoluto da Categoria Turismo, assume que vai «lutar por nova vitória na divisão e pelo pódio da categoria onde estiver inscrito».

E aqui começam as possíveis novidades. Depois de dois anos e que foi praticamente invencível aos comandos do Seat Leon, Joaquim Teixeira não “abre o jogo”, referindo que «ainda não tenho a certeza com que carro vou competir». «Até pode ser que mantenha o Seat mas estão em cima da mesa outras possibilidades e, algumas delas, bem aliciantes por trazerem novos desafios à minha condução, o que me entusiasma».

O piloto assume como “deadline” tomar «uma decisão final nos próximos dias, sendo certo que, como tenho o Seat, estarei em Murça motivado e com capacidade para lutar pelos lugares de topo».

2020 VAI CORRESPONDER AO 25.º ANO CONSECUTIVO A COMPETIR

É um marco para Joaquim Teixeira, que se orgulha «de uma carreira que já vai longa, pois embora a tenha iniciado tarde. São já duas décadas e meia de competição». Fiz campeonatos de velocidade e de montanha, tendo esporadicamente participado em corridas de ralicross e em super-especiais», sustentou.

O piloto do Bompiso Racing Team tem sido um dos nomes fortes entre os Turismos. Questionado sobre a razão de nunca ter apostado e viaturas que lhe permitissem lutar pelo título absoluto, Joaquim Teixeira diz que «nunca o fiz e não é agora que o vou fazer. Sempre achei que a minha praia são os Turismos, onde luto sempre pela vitória em todas as provas que participe».

Realça ainda que «ao contrário de muita gente, não acho que o título absoluto na montanha seja mais importante que o dos turismos». «Basta ver a competitividade e quantidade de adversários de uns e de outros, embora, nos últimos anos, os protótipos têm vindo a crescer em quantidade e qualidade, mas na categoria em que estou a competir são mais os pilotos e os carros competitivos. É uma questão de opção, que nem sempre a comunicação social entende, dando sempre maior destaque à vitória absoluta, esquecendo que as armas são totalmente diferentes».

Como tal, Joaquim Teixeira é defensor de que «o campeonato só deveria ter campeões por categorias, porque aí premiaria a luta com armas idênticas, sem existir o título absoluto».

CARREIRA INTERNACIONAL EM CIMA DA MESA

O piloto reconhece que «já tive essa ambição, mas julgo que a minha janela de oportunidade já passou». «No entanto, gostaria de fazer algumas corridas internacionais em montanha e velocidade, mas pontualmente e essa é uma possibilidade que está em cima da mesa».

Joaquim Teixeira alia ao prestígio de ser um dos mais antigos e respeitados pilotos de Montanha, a condição de dirigente com funções de grande importância para os seus pares e para a organização do campeonato.

Na condição de presidente da Direcção da APPAM – Associação dos Pilotos Portugueses de Automóveis de Montanha, Joaquim Teixeira faz parte da direcção do Promotor do CPM JC Group, formado pela associação de pilotos e pelos clubes organizadores de provas, entidade que, nos últimos anos, teve o mérito de transformar a modalidade num caso de sucesso.

Joaquim Teixeira considera ser «muito gratificante ver, enquanto presidente da APPAM, que o campeonato está em crescendo e que a temporada de 2020 se anuncia como mais um salto significativo». «É maior o número de pilotos que demonstram interesse em participar e, estamos crentes que em 2020, vamos ter a maior participação de sempre na Montanha, com o bónus de vermos o nível competitivo das viaturas também a aumentar, isto num parque automóvel já com muita qualidade e quantidade», sustentou ainda o piloto transmontano.

O dirigente tem a convicção que «o público vai de certeza aderir a este campeonato, porque a competitividade e a emoção vão ser uma constante nas provas de montanha».

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação