“Indo eu, indo eu… a caminho de Viseu”

Uma etapa atípica marcou a tirada desta quinta-feira do Portugal Tour Rally, com Cyril Neveu, responsável pela Cyril Neveu Promotion, a inviabilizar a subida à Serra da Estrela devido ao aparecimento da neve. A chegada à cidade de Viriato provocou fadiga os concorrentes, mas ansiosos para a alcançar o Porto, esta sexta-feira ao final da tarde.

(auto.look2010@gmail.com) – Fotos: LUÍS COSTA/NEWSMOTORSPORTS

A terceira etapa do Portugal Tour Rally, com partida do Bussaco Palace Hotel, desenrolou-se acompanhada de muita chuva, num tortuoso caminho até Arganil, seguindo depois até à Serra da Estrela. Tratou-se de uma tirada em que foram necessárias atenções redobradas para continuar na estrada delineada pela organização, sobretudo em algumas mudanças de direcção que não se apresentavam muito visíveis.

Contra os prognósticos iniciais, a neve foi “convidada” a aparecer por altura do primeiro teste de regularidade quando a caravana estava motivada para alcançar o ponto mais alto de Portugal, localizado a 1.995 metros e que acomoda a única estação de esqui do país. Perante a perigosidade que a estrada oferecia, Cyril Neveu, responsável pela Cyril Neveu Promotion (CPN) e vencedor do Rally Dakar por cinco vezes em duas rodas, todas disputadas em África, teve que tomar a decisão de não realizar a prova especial pela referida estrada, “vestida” de branco.

Como a CNP está empenhada em promover muitos momentos na descoberta deste país tão generoso pela diversidade das suas paisagens e pela riqueza da sua história, a caravana do Portugal Tour Rally foi desviada para a cidade da Covilhã para chegar ao cume da Serra da Estrela por outro lado, com os participantes a terem como prémio apreciar a região e o almoço servido numa surpreendente pousada medieval.

Retemperadas as energias numa paragem que encantou “gregos e troianos”, o Portugal Tour Rally retomou o seu percurso para descer a encosta e atravessar o vale que antecede a chegada a Sortelha para uma visita esta vila histórica de Portugal.

Enquanto isso, um problema eléctrico no Renault Alpine A110 privou a equipa Brelet e Brelet do final da etapa, que levou os concorrentes a Manteigas para uma prova de regularidade realizada numa estrada enrolada e com bátega de água acentuada, “doseada” por uma cortina de nevoeiro de suster a respiração e de “cortar à faca”.

Apesar das aventuras e peripécias à mistura, pilotos e co-pilotos, chegaram, finalmente, a Viseu, seguindo por boa estrada para chegar às terras mais planas da região viseense, cidade que acolheu e recolheu a caravana para pernoitar num antigo hospital reabilitado que “produziu” uma encantadora Pousada. Depois de um dia de rali de Inverno, um merecido descanso, em que todos os participantes estão ansiosos para regressar esta sexta-feira á estrada para a última etapa em direcção à cidade do Porto, com passagem por Lamego e com o rio Douro como companhia privilegiada.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação