Ferrari celebra 50 anos de “Schumi” com exposição

No próximo dia 3 de Janeiro serão celebrados 50 anos do alemão Michael Schumacher. A Ferrari associa-se a esta efeméride, levando a efeito uma exposição em Maranello.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Michael Schumacher festejava os triunfos com os compatriotas e fãs da Ferrari

O início do próximo ano fica marcado pela celebração de meio século do germânico Michael Schumacher, efeméride que a Ferrari não quer deixar passar em claro, organizando, em conjunto com a Fundação Keep Fighting, uma exposição que norteia os êxitos do antigo piloto de Fórmula 1.

O heptacampeão foi piloto da Scuderia entre 1996 e 2006 e grande obreiro por conquistar o “penta” com a Ferrari, entre 2000 e 2004. Um rasto de excelência a que a marca italiana ambiciona recordar no Museo da Ferrari, e, Maranello, com a Fundação Keep Fighting, estrutura criada após o grave acidente do ex-piloto quando fazia esqui, a 29 de Dezembro de 2013.

«A iniciativa tem como objectivo celebrar e demonstrar a gratidão ao piloto mais bem-sucedido na marca do “cavalo rampante” em toda a sua história. Pretendemos que o Museu Ferrari seja um pólo de grande procura, já que nas sus salas vão estar expostas as memoráveis temporadas que o heptacampeão presenteou os tifosi e que criaram uma lenda que está maior do que nunca no coração de todos os fãs», pode ler-se no comunicado da marca italiana.

“Schumi” com a família Ferrari nos festejos dos sete títulos

«A mostra também permite apresentar a crucial colaboração de Michael Schumacher no desenvolvimento de viaturas extraordinárias de GT, em Maranello, como piloto e como consultor», acrescenta o comunicado da marca italiana.

A Ferrari revelou que a exposição terá início no dia 3 de Janeiro, precisamente no dia de aniversário do antigo piloto alemão, e que durará alguns meses, estando aberta ao público, todos os dias, das 9h30 às 18h00, hora local.

 

SECRETISMO EM REDOR DO ESTADO DE SAÚDE DE “SCHUMI”

 

No próximo dia 29 de Dezembro completa-se cinco anos desde o acidente de esqui que deixou Michael Schumacher em coma. A família do antigo piloto germânico tem mantido o secretismo sobre o seu estado de saúde, mas o jornal britânico Daily Mail garante que “Schumi” já não está acamado ou em coma e que respira sem auxílio de um ventilador, embora continue a necessitar de cuidados que custarão cerca de 55 mil euros por semana. O antigo piloto estará a ser assistido por uma equipa médica com um total de 15 pessoas.

Michael Schumacher e Jean Todt

Estas informações divulgadas pelo jornal britânico corroboram com o presidente da Federação Internacional do Automóvel, Jean Todt, afirmando na semana passada que tinha assistido ao Grande Prémio do Brasil, do Mundial deste ano, a 11 de Novembro, «com Michael, na sua casa».

Segundo o dirigente, que trabalhou com Michael Schumacher na Ferrari, o alemão estaria consciente do que se passa em seu redor e seria capaz de seguir uma corrida pela TV. A família, no entanto, permanece em profundo silêncio.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação