Gonçalo Coutinho “abalroado” no Mundial Rotax Sénior

Senna Van Walstijn viajou da Holanda para o Brasil e vencer categoricamente, relegando o britânico Mark Kimber e austríaco Mario Novak para a posição secundária e terciária.

CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Gonçalo Coutinho

O português Gonçalo Coutinho não teve a sorte pelo seu lado na 19.ª edição das Rotax Max Challenge Grand Finals, na qual alinharam 360 pilotos provenientes de 60 países distribuídos por seis categorias. No Circuito Internacional Paladino, no nordeste do Brasil, o piloto lusitano colocou um ponto final na sua participação, ao ser literalmente abalroado na prova da final destinada à categoria sénior.

Num universo de 36 pilotos em pista, Gonçalo Coutinho, que largou do 15.º lugar e estava a efectuar uma recuperação fantástica – ao fim da quarta volta já tinha deixado para trás quatro adversários, tudo se conjugava que, volta menos volta, entrasse pela “porta” do “top ten” e por lá ficasse.

Contudo, e quando nada o fazia prever, Gonçalo Coutinho abordava a sétima volta ao traçado brasileiro quando, de repente, viu-se “atropelado” sem dó nem piedade, sofrendo um forte revés nas suas aspirações. O piloto gondomarense viu-se subitamente apeado sem apelo nem agravo, sobretudo depois de ter evidenciado classe e velocidade de ponta durante os treinos livres e de qualificação.

Gonçalo Coutinho

Indiferente ao que se passou com o piloto português, o holandês Senna Van Walstijn não teve adversários à altura e logrou um triunfo sem direito a reclamações. Um triunfo que começou a ser desenhado ainda muito cedo, até porque disparou veloz da sétima posição da grelha de partida para “viajar” até ao topo da classificação num abrir e fechar de olhos.

Assumida a liderança, após destronar o sueco Hannes Morin que largou da “pole-position” na 14.ª das 20 voltas ao traçado brasileiro de 1.280 metros, Senna Van Walstijn ainda teve tempo de também assinar a volta mais rápida com o tempo de 51,894 segundos.

O britânico Mark Kimber acabou por ser o segundo mais rápido na 19.ª edição das Rotax Max Challenge Grand Finals, relegando o austríaco Mario Novak para o degrau mais baixo do pódio, numa prova em que o sueco Hannes Morin acabou por cair para a quarta posição, à frente do compatriota Jesper Sjoeberg, que selou o “top five”.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação