Enduro colocou Celavisa na alta-roda nacional

Celavisa, no concelho de Arganil, engalanou-se para receber, pelo sétimo ano consecutivo, a prova de Enduro promovida pelo União Recreio Progresso Celavisense.

Texto: CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com) – Fotos: JOÃO DA FRANCA

Uma mistura de varias modalidades, desde o motocross ao raid, passando pelo trial e resistência, foi o ponto de partida para pilotos e motociclos de duas rodas regressarem a um local mítico dos desportos motorizados.

Uma “viagem” que proporcionou momentos de grande regozijo ao longo de um percurso excelentemente delineado a ser percorrido por três vezes por algumas classes e, outro, apenas duas voltas, mas com um elevado grau de exigência que mereceu a bênção de S. Pedro.

As duas especiais cronometradas caíram no “goto” de todos os participantes, privilegiando o Chão da Ribeira, bastante rápida e com a Ribeira de Celavisa a oferecer um obstáculo natural, e no Serrão, denotando muito técnica e com pequenos saltos e obstáculos naturais.

Sem surpresa, os participantes foram unânimes em alinhar pelo mesmo diapasão, conferindo que o Enduro de Celavisa em nada foi inferior relativamente às provas do Campeonato Nacional, ficando ainda distinguida pela presença de sete pilotos espanhóis provenientes de várias regiões do país vizinho, em que a distância não foi um impedimento.

À semelhança dos anos anteriores, a organização obsequiou um manjar exuberante, em que não faltou o porco no espeto, sopa da pedra, caldo verde e salgadinhos, concebidos a preceito por Sul Pastéis.

 

GRUPO ASSOCIATIVO LUTA CONTRA A DESERTIFICAÇÃO

 

Numa localidade onde a população é cada vez mais escassa, um grupo de bravos associativos luta desenfreadamente contra a desertificação, unindo esforços para manter a prova com a qualidade que lhe é reconhecida.

Parafraseando o Mestre Ariévlis, “o querer tem muita força, desde que lutemos pelo que queremos, enquanto o desejo não passa de um simples almejar e muitas vezes representa sonhos e fantasias inatingíveis”, o ilustre grupo limpa vegetação em caminhos, espeta estacas, coloca mangas e um sem número de outras actividades para que a qualidade seja garantida e o regresso dos participantes seja uma certeza.

Como é hábito dizer-se, são poucos mas bons, sem legítimo endossar os parabéns ao Marco, Nuno, Jorjão, João Mix, Pedro, Jorge, Simão, Nicolau, Ricardo, Kiko e José Alvoeiro. Uma “legião” de bons feitores que, teimosamente, colocam Celavisa no topo das boas organizações.

Naturalmente que o convívio acaba por relegar os resultados desportivos para uma cotação menos relevante, mas também não deixa de ser verdade que ninguém fica alheio às classificações, em que foram admitidas cinco classes (Enduro 1, Enduro 2, Veteranos, Senhoras e Amadora).

 

CELAVISA COM CINCO CLASSES

 

Nas Senhoras, foram duas valentes participantes provenientes da vizinha Lousã, com Leonor Bandeira a levar de vencida Francisca Henriques. Ambas viveram intensamente um dia repleto de aprendizagem, num território rico de aventuras e peripécias.

Já no Enduro 1, André Martins, que integra o pelotão da elite do Campeonato Nacional da categoria, rubricou o melhor tempo e, caso houvesse uma classificação à geral, era o piloto da equipa CrossPro/Motoexterme a beneficiar do “título”.

Na classe Enduro 2, mais um piloto da Lousã, nomeadamente André Beato, a levar de vencida o desafio proposto pelo União Recreio Progresso Celavisense, enquanto em Veteranos, classe reservada a pilotos com mais de 40 anos de idade mas, que não deixam de ser bastante rápidos, Pedro Rodrigues, de Coimbra, em representação da equipa D’ona Tasca, foi o mais rápido.

Finalmente, na classe Amadores, reservada a pilotos ou praticantes que nunca tenham alinhado numa prova, até pelo simples facto de apenas estarem sujeitos a duas voltas ao percurso, Ricardo Lima, da Lousãmotos, superou as expectativas e logrou o melhor tempo.

No final, a organização ofereceu o prémio para as equipas com mais participantes, nomeadamente a Lousãmotos e D’ona Tasca

 

MÚLTIPLOS AGRADECIMENTOS

 

A estrutura organizativa endossou «os parabéns a um conjunto de entidades e pessoas porque, sem apoios, este tipo de provas não seria possível sem a estreita colaboração da Câmara Municipal de Arganil, Junta de Freguesia de Celavisa – que estiveram desde a primeira edição ao lado da organização – e que, este ano, foram representadas pela vereadora Paula e Paulo Carneiro, respectivamente, na entrega de prémios».

Os agradecimentos estendem-se, igualmente, «às empresas Intermarché de Arganil, Alves Bandeira, José Alvoeiro – Construção Civil (cedência de máquinas e manga plástica), Lousãmotos, Serpins Moto (oferta de material para o sorteio), Irmãos Sousa, S.A. (oferta de manga plástica), J. Silvas, Ld.ª (oferta de bebidas), Sul Pastéis (entradinhas), CrossPro (oferta de manga plástica) e aos cerca de todos os colaboradores que estiveram no percurso, cozinha, bar, entre outros afazeres, bem como a todos os proprietários pela cedência de passagem nos seus terrenos e um agradecimento especial aos Bombeiros Voluntários Argus, de Arganil, colocando em Celavisa um contingente operacional coadjuvado por uma viatura de emergência».

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação