Ricardo Porém “debutante” no Dakar

Aos comandos de um Can-Am Maverick X3 da South Racing, piloto de Leiria cumpre um dos maiores objectivos de carreira, alinhando à partida da prova organizada pela ASO.

(auto.look2010@gmail.com)

É já no próximo dia 6 de Janeiro que o leiriense inicia uma das maiores aventuras da sua carreira: participar no Rali Dakar 2019. Ricardo Porém vai alinhar ao volante de um Can-Am Maverick X3 da South Racing que, este ano, cumpre-se integralmente no Peru até 17 de Janeiro. Aos 29 anos, o campeão nacional de Todo-o-Terreno de 2010, 2014 e 2017 sente-se preparado e motivado para este grande desafio.

«É um objectivo que eu tinha enquanto piloto de Todo-o-Terreno. Custou conseguir alcança-lo, mas há que manter os pés bem assentes na terra, pois será um desafio exigente. Nesta primeira participação vou ter de perceber e aprender a lidar com todos os factores que uma corrida desta dimensão envolve», começou por afirmar o leiriense.

Ricardo Porém vai ter «uma abordagem, não diria mais cautelosa, mas mais pragmática que me permita aprender e desenvolver as minhas capacidades enquanto piloto nas pistas peruanas».

Com pouca experiência em terrenos de areia e dunas, Ricardo Porém explica que irá usar as participações no Rali de Marrocos (em 2013 e 2015) como base ao qual junta ainda um ingrediente fundamental.

«Tenho algumas participações no Rali de Marrocos que me dão a ideia de como é participar numa prova deste nível, mas no Dakar falamos de um total de 70% de pistas em areia e vou com certeza aprender mais. Vai ser um grande desafio que contará com o apoio fundamental do Jorge Monteiro, que me irá navegar no Dakar. Além de grande profissional do Todo-o-Terreno, o Jorge é um grande amigo e com todos estes factores reunidos, penso que vamos atingir os nossos objectivos», sustentou.

Participar no Dakar aos comandos de um Can-Am da South Racing, na categoria Side-by-Side é, para Ricardo Porém, uma imensa responsabilidade: «Esta oportunidade surgiu depois de alguns anos de colaboração com a South Racing».

«A categoria SxS está em grande evolução e sente-se no ceio do TT que existem cada vez mais pilotos a optar por esta solução. Será uma experiência extremamente interessante e também uma grande responsabilidade. A South Racing representa a Can-Am a nível oficial, o que certamente será também uma mais-valia, dado o know-how que a equipa tem neste tipo de viaturas e competição», acrescentou Ricardo Porém.

Sem delinear, para já, objectivos no contexto de resultados, Ricardo Porém demonstra a sua ambição de terminar a prova em ano de estreia, ajudando a equipa a vencer o Dakar.

«O meu objectivo é terminar. Sou um piloto ambicioso e, por isso, vou tentar dar o melhor de mim, aprendendo dia após dia. Acima de tudo perceber como é fazer uma corrida de duas semanas e tentar evoluir face a esta gestão de corrida. Se cumprirmos todos estes objectivos vamos, com toda a certeza, contribuir para a vitória da South Racing no Dakar», disse.

O tiro de partida do Dakar 2019 está marcado para 7 de Janeiro. Daí em diante, pilotos e máquinas irão desafiar 10 intensas etapas, disputadas 70% nas areias e dunas do Peru. 5.000 quilómetros de desafio é o que espera a dupla Ricardo Porém e Jorge Monteiro no Can-Am Maverick X3 que na decoração leva as cores da bandeira portuguesa.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação