GP Macau com quatro dias de festa e animação

Mais de 83 mil pessoas assistiram ao vivo o 65.º Grande Prémio de Macau, um evento que ficou marcado pela vitória de Daniel Ticktum na prova de Fórmula 3 e pelo acidente aparatoso de Sophia Flörsch.

(auto.look2010@gmail.com)

De acordo com números avançados pelas autoridades do território, mais de 83 mil marcaram presença ao longo dos quatros dias da corrida, disputada no icónico Circuito da Guia. No ano passado, o evento atraiu 78 mil espectadores.

Só no derradeiro dia estiveram 31 mil pessoas a assistir à segunda vitória do piloto britânico Daniel Ticktum, que venceu pela segunda vez consecutiva, com a melhor volta a ser registada com um tempo de 2m10,617s.

Durante a corrida no percurso citadino de 6,12 quilómetros, considerado um dos mais perigosos do mundo, a alemã Sophia Flörsch, de apenas 17 anos, despistou-se e embateu no carro do japonês Sho Tsuboi, ultrapassando os “rails” de protecção na abordagem à curva do Hotel Lisboa.

A corrida teve de ser interrompida «após o incidente, para os comissários de pista procederem à limpeza e reparação do circuito, trabalhos que foram efectuados em cerca de 40 minutos», explicou a Comissão Organizadora do Grande Prémio de Macau, em comunicado.

De acordo com informações do hospital público Conde São Januário, os dois pilotos, um comissário e dois fotojornalistas ficaram feridos e permaneceram hospitalizados em observação. Sophia Flörsch sofreu uma fractura na coluna, mas encontra-se estável.

Em comunicado, a Comissão Organizadora do Grande Prémio de Macau informou que todos estavam conscientes durante o trajeto na ambulância e que o piloto japonês recebeu alta médica.

No sábado, durante a prova de motos do Grande Prémio de Macau, ganha pelo britânico Peter Hickma, aconteceu um despiste, envolvendo dois pilotos britânicos, Phil Crowe e Ben Wylie.

Segundo a organização, Ben Wylie «permanece internado, mas o seu estado de saúde é estável, estando a recuperar». «É uma pista muito diferente, aqui o risco é maior, temos de andar com o dobro do cuidado, mas a adrenalina compensa», disse André Pires, que ficou em 19.º lugar nesta prova.

Na quinta-feira, o espanhol Raul Torras sofreu também um aparatoso acidente nos treinos livres da corrida de motos, mas não sofreu fracturas. O estreante em Macau caiu na curva “Mandarim Oriental”, uma das zonas mais rápidas do circuito.

No ano passado, a competição ficou marcada pela morte do piloto britânico Daniel Hegarty (Honda), de 31 anos, na sequência de um acidente, ocorrido a meio da prova de motos, que não registava fatalidades desde 2012.

«Esta é uma prova reconhecida pela FIA, e em que todas as medidas de segurança seguem as orientações de segurança daquela entidade e da Subcomissão Desportiva», disse o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura e presidente da Comissão Organizadora do Grande Prémio de Macau, Alexis Tam.

O Grande Prémio de Macau inclui três corridas de viaturas – as taças do mundo de Fórmula 3, GT e de carros de turismo (WTCR) –, bem como a 52.ª edição do Grande Prémio de motos, além da taça de carros de turismo de Macau e a taça da Grande Baía.

No próximo ano o evento volta ao território entre os dias 14 e 17 de Novembro.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação