Miguel Oliveira quer vitória na despedida de Moto2

Piloto português vai partir do décimo lugar da grelha de partida na última prova do Mundial

(auto.look2010@gmail.com)

Miguel Oliveira

Miguel Oliveira tem como objectivo «a vitória» na corrida de Moto2 deste domingo, no Grande Prémio da Comunidade Valenciana, apesar de sair do décimo lugar da grelha de partida na última prova do Mundial.

O piloto de Almada enfrentou «condições muito complicadas no início da sessão», mas, com o passar das voltas, conseguiu «encontrar as linhas (certas) e ir melhorando volta a volta».

«Mas a nossa KTM hoje agarrava muito pouco e era difícil melhorar o tempo sem aderência. No segundo setor, que é o sítio onde perdia mais tempo, perdia as duas rodas. Mas tudo indica que amanhã a corrida será em molhado, o que não será mau de todo para nós», explicou o piloto de Almada.

Na sessão de qualificação, disputada com o piso seco, ao contrário do que aconteceu nos treinos livres da manhã, Miguel Oliveira realizou o terceiro melhor tempo numa sessão de condições mistas.

«Parece que quanta mais água a pista tem, melhor é para as condições de aderência. Hoje de manhã, quando havia menos água na pista o pneu aquecia demasiado e tínhamos menos aderência», notou.

No entanto, para domingo, a previsão é de chuva forte, o que pode beneficiar a prestação do piloto português, apostado em vencer a corrida de despedida de Moto2 antes de subir à categoria MotoGP, num circuito onde venceu no ano passado.

Miguel Oliveira ambicioso

«O nosso objectivo é lutar pela vitória. Ao longo da corrida, vamos percebendo o que falta e vamos sabendo se temos velocidade para ganhar. A estratégia passa só por manter a calma», revelou.

Miguel Oliveira sublinhou, no entanto, que a chuva também pode trazer dificuldades acrescidas porque «a corrida com muita água é sempre complicada, sobretudo nas primeiras voltas pois há pouca visibilidade, pelo que é preciso arrancar bem e estar calmo porque a corrida é muito longa».

«O spray que sai das rodas das motas é muito e há uma altura em que não vemos nada mas é igual para todos. Há que manter a calma», concluiu o piloto de 23 anos, vice-campeão mundial desde a ronda anterior, na Malásia. O GP da Comunidade Valenciana é a 19.ª e última corrida da temporada. Disputa-se este domingo no circuito Ricardo Tormo, em Valência.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação