“Marques & Almeida” nas 24 Horas TT de Fronteira

Duas gerações de pilotos de Famalicão unem esforços e integram a festa do todo-o-terreno nacional no terródromo alentejano no próximo fim-de-semana.

(auto.look2010@gmail.com)

Paulo Marques e Pedro Almeida

O experiente Paulo Marques e o estreante Pedro Almeida são os famalicenses convidados pela MMP Competition para conduzirem dois dos carros da equipa francesa na AFN 24 horas TT de Fronteira, prova de Todo-o-Terreno a realizar este fim-de-semana (1 e 2 de Dezembro), na vila alentejana de Fronteira.

A mítica prova, que vai da 21.ª edição, é como que a festa de encerramento do calendário desportivo automobilístico nacional, com pilotos de diferentes modalidades, de todo o mundo, e que em Fronteira se juntam com um objectivo comum: pura diversão.

«É um ambiente diferente das outras provas, com convívio entre a gente dos motores, uns que aqui celebram o fim do ano desportivo, outos com um forte espirito competitivo e a preparar o Dakar ou a nova época, mas sempre com muita camaradagem» começou por afirmar Paulo Marques, que apadrinha a estreia de Pedro Almeida no Todo-o-Terreno.

O jovem piloto de ralis está no desafio para se divertir e fazer uma nova experiencia de condução: «Estou numa fase de aprendizagem, vou aproveitar para experienciar o Todo-o-Terreno, testar a condução em pisos de terra e viver este ambiente que me dizem indescritível vivido ao longo de 24 horas» disse o piloto de ralis.

Paulo Marques está confiante de que o jovem piloto vai adaptar-se bem à corrida. «É uma novidade mas quem vem uma vez quer sempre voltar».

Por 14 vezes Paulo Marques participou no Rali Dakar, mas de Fronteira guarda também memórias únicas: «Em 2012, fazia 50 anos e vencemos a prova. Em 2004, ainda nos inicio destas aventuras, partilhei o carro com o Filipe Palmeiro e os famalicenses Paulo Ferreira e Miguel Veloso, dois grandes amigos que infelizmente já cá não estão, e terminamos no terceiro lugar».

É este espirito de camaradagem que Paulo Marques quer transmitir a Pedro Almeida. Terminado o ano nos ralis o piloto pretende acima de tudo divertir-se.

«Quem entra num carro de corridas, depois de agarrar o volante e pisar o acelerador só pensa em ser um bocadinho mais rápido que o piloto da frente mas aqui estamos sem a pressão dos resultado, imbuídos do espirito de aprender – testar a condução na terra – tendo em perspectiva a nova época e viver este espirito» disse Pedro Almeida.

Os dois pilotos vão conduzir diferentes carros da equipa francesa MMP Competition: «Vamos estar inseridos na mesma estrutura, a viver juntos esta prova. Eu costumo dizer no final “Que barrigada de pilotagem. Para o ano cá estou outra vez e tenho a certeza que o Pedro vá sentir a mesma vontade de voltar a Fronteira e a esta festa do TT» rematou Paulo Marques.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação