Elisabete Jacinto (MAN) soma e segue

Piloto portuguesa é líder nos camiões e oitava na classificação conjunta automóveis/camiões, numa altura em que Dakar, capital senegalesa, está ao virar da esquina mas ainda com muita areia para o seu camião percorrer no Africa Eco Race.

Texto: PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Elisabete Jacinto (MAN) voltou a dominar nos “pesos pesados” e, com mais de duas horas de avanço para o segundo, o belga Igor Bouwens (Iveco) pode começar a gerir a vantagem de que dispões quando faltam cinco dias para a prova terminar. Para a piloto portuguesa, que é oitava na classificação conjunta automóveis/camiões, a chegada a Dakar como vencedora da prova, um sonho assumido, por estar muito perto de acontecer, como resultado das alterações introduzidas no MAN, que o tornaram mais fácil de guiar e que lhe permitem superar as dunas de uma forma mais eficaz.

«A etapa correu bem, muito rápida, mas com uma navegação muito difícil. O road-book tinha várias imprecisões e notas muito alargadas que tornam as coisas mais difíceis. Tivemos ainda três travessias de dunas, no entanto, conseguimos passar bem. Fizemos toda a etapa com um bom ritmo, sempre a fundo, e acabámos bem classificados. Não podíamos estar mais contentes com o resultado de hoje», afirmou a portuguesa na chegada ao acampamento instalado em Chami, na Mauritânia.

A equipa Bio-Ritmo teve  dificuldade acrescida por trabalhar na mecânica do MAN TGS de competição sem a ajuda da sua assistência, uma vez que se trata da primeira parte de uma jornada maratona que termina esta quarta-feira.

Nas motos, o italiano Simone Agazzi (Honda) conseguiu interromper o domínio que o seu compatriota Alessandro Botturi (Yamaha) e o norueguês Pal Anders Ullevalseter (KTM) têm exercido e foi, pela primeira vez, o mais rápido no SS. Na luta pela vitória final, o norueguês ganhou 2’21” a Alessandro Botturi, que conserva o comando, mas que viu a sua vantagem descer para 5’15”, diferença de tempo escassa, para o que falta percorrer, com Simone Agazzi a ascender ao terceiro lugar, mas já a mais de duas horas do duo da frente.

Tal como a luta pela vitória vai ser intensa, o mesmo sucede no duelo pelo, para já, derradeiro lugar do pódio, com os três candidatos separados por 20 minutos, uma vez que o sexto, o italiano Domenico Cipollone (KTM) está a mais de duas horas do trio que o antecede.

Nos automóveis, o francês Dominique Laure (Optimus) voltou a impor a sua lei, com o seu compatriota David Gerard (Optimus) a ser pela primeira vez, à frente do russo Sergey Kuprianov (Optimus), que tem vindo a aumentar de ritmo à medida que a prova avança.

Contudo na ligação Dominique Laure sofreu um violento acidente e deverá ficar fora da prova, uma vez que, desta vez, não é permitida assistência e os estragos são demasiado grandes para a equipa os recuperar.

 

CLASSIFICAÇÕES

SECTOR SELECTIVO (480,98 KM)

MOTOS

1.º Simone Agazzi (Honda), 5h14m28s

2.º Pal Anders Ullevalseter (KTM), a 2’21”

3.º Alessandro Botturi (Yamaha), a 4’22”

4.º Felix Jensen (KTM), a 7’08”

5.º Martin Benko (KTM), a 10’12”

AUTOMÓVEIS

1.º Dominique Laure/Christophe Crespo (Optimus), 4h19m35s

2.º David Gerard/Christophe Crespo (Optimus), a 7’05”

3.º Sergey Kuprianov/Aleksandr Kupriianov (Optimus), a 7’58”

4.º Patrick Martin/Didier Bigot (Tarek), a 9’34”

5.º Jean-Pierre Strugo/François Borsotto (Optimus), a 21’13”

CAMIÕES

1.º Elisabete Jacinto/José Marques/Marco Cochinho (MAN), 4.54’39”

2.º Igor Bouwens/Tom de Lleuw/Ulrich Boerboom (Iveco), a 8’30”

3.º Johan Elfrink/Dirk Schuttel (Mercedes), a 19,02”

4.º Noel Essers/Marc Lauwers/John Cooninx (MAN), a 29’56”

5.º Aad Van Velsen/Marco Siemons/Harry Oosting (Ginaf), a 33’37”

GERAL

MOTOS

1.º Alessandro Botturi (Yamaha), 26h04m58s

2.º Pal Anders Ullevalseter (KTM), a 5’15”

3.º Simone Agazzi (Honda), a 2.05’26”

4.º Martin Benko (KTM), a 2.07’58”

5.º Felix Jensen (KTM), a 2.26’28”

AUTOMÓVEIS

1.º Dominique Laure/Christophe Crespo (Optimus), 23h55m48s

2.º Jean-Pierre Strugo/François Borsotto (Optimus), a 43’43”

3.º Patrick Martin/Didier Bigot (Mercedes), a 1.56,52”

4.º David Gerard/Christophe Crespo (Optimus), a 2.08’07”

5.º Sergey Kuprianov/Aleksandr Kupriianov (Optimus), a 2.39’40”

CAMIÕES

1.º Elisabete Jacinto/José Marques/Marco Cochinho (MAN), 26h56m47s

2.º Noel Essers/Marc Lauwers/John Cooninx (MAN), a 2.09’59”

3.º Igor Bouwens/Tom De Leeuw/Ulrich Boerboom (Iveco), a 2’16’13”

4.º Aad Van Velsen/Marco Siemons/Harry Ootting (Ginaf), a 2.49’16”

5.º Johan Elfrink/Dirk Schuttel (Mercedes), a 2.58’23”

A ETAPA DE QUARTA-FEIRA

Tal como tem sucedido nos últimos dias, a partida, em Chami, será dada no acampamento, depois de uma noite em que as equipas de assistência não puderam actuar, o que obrigou os participantes a trabalhar, depois de cumprirem os 480,98 km do SS. O dia abre com um SS de 445,12 km, a que se segue uma ligação, de 61,73 km, até Amodjar, que, na quinta-feira, é local de partida e chegada. O SS começa com um percurso fora-de-pista, com dunas, a que se segue uma fase de pistas rápidas, para terminar de nova com dunas, que vão obrigar a cuidados na navegação.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação