Pedro Mello Breyner com médico no Dakar

Depois daquela que foi a estreia portuguesa na categoria SSV, Pedro Mello Breyner está de regresso ao mítico Rali Dakar, prova rainha do TT. O Rali Dakar que terá a sua 41ª edição, mas que desta vez vai ser integralmente disputado no Peru, de 6 a 17 de Janeiro de 2019.

(auto.look2010@gmail.com)

Pedro Mello Breyner

Pedro Mello Breyner apresenta-se no Peru aos comandos de uma Yamaha YXZ 1000 R Turbo Extramotion – a construção do rollbar foi concebida por Mário Ribeiro, da Extra Motion, empresa situada no Parque Industrial da Espinheira, concelho de Penacova, distrito de Coimbra – preparado em Portugal pela Franco Sport e terá como navegador o médico peruano Javier Uribe.

A Franco Sport, sob os comandos de Luís Enjeitado e Sérgio Santos, assegurará diariamente a revisão e manutenção do SSV com o qual o piloto se propõe cumprir os 5.000 quilómetros das 10 etapas que serão disputadas 70% nas areias dos muitos cordões de dunas existentes no território peruano.

Pedro Mello Breyner

A equipa do Yamaha Extramotion ostenta o número 401 e vai disputar a melhor classificação final entre mais de três dezenas de SSV repartidos pelas três marcas mais conhecidas, tal como acontece no campeonato nacional. Ao volante das outras máquinas estarão excelentes pilotos e com grande experiência de Dakar.

«Estamos na contagem decrescente para o Dakar. Acabámos de “embalar” o nosso Yamaha que segue esta semana de avião para Lima. Estamos muito motivados para ir até ao Peru concluir um projecto iniciado no ano passado. A experiência na prova deste ano, apesar de curta, permitiu-nos aprender muito», começou por referir Pedro Mello Breyner.

«Também muito importante, foi o treino de quatro dias que realizamos em Agosto passado na região onde passa o Dakar. Também a nossa máquina tem, para esta edição, muitas diferenças relativamente à anterior. Além da motorização e turbo, temos um chassis novo integralmente construído em Portugal, um pouco mais largo e mais comprido o que nos permitiu colocar as rodas suplentes lateralmente e por consequência baixar substancialmente o centro de gravidade», sublinhou ainda o piloto.

«Estamos conscientes que vamos enfrentar uma prova muito difícil e dura, mas que o será para todos. Outra novidade é o facto de para a edição de 2019, o co-piloto ser o peruano Javier Uribe (campeão 2018) que com a sua enorme experiência ao nível da navegação e sobretudo por conhecer muito bem as difíceis dunas do Peru, será sem dúvida um factor muito importante para que nos seja possível alcançar os nossos objectivos. A ideia é aprender o máximo na primeira metade da prova para depois de nos sentirmos mais familiarizados e podermos então pensar em resultados. O Dakar não é para se fazer, mas sim para se ir fazendo», finalizou Pedro Mello Breyner.

 

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação