Montalegre na rota da Taça Internacional da FIA

Município transmontano já encontrou substituição para a prova do mundial de ralicross. Contrato de três anos foi aprovado em reunião de Câmara e prevê o investimento anual de cerca de 75 mil euros.

(auto.look2010@gmail.com)

O município de Montalegre vai substituir a prova do Mundial de Ralicross por uma jornada do Global Rallycross Europe, uma nova competição da Federação Internacional do Automóvel (FIA), disse o presidente da autarquia transmontana.

«Perdemos o Mundial apenas por uma questão de dinheiro, mas abriu-se outra porta e vamos integrar o Global Rallycrosse Europe», anunciou Orlando Alves. Este será o ano de estreia desta Taça Internacional, que promete «entre 60 a 80 participantes», segundo Orlando Alves, e cujas corridas são transmitidas pelo canal Eurosport.

«É uma prova interessantíssima, que mobiliza muitos pilotos e não ficará muito atrás das expectativas do Mundial», frisou o autarca transmontano. O contrato de três anos foi aprovado, em reunião de Câmara, e prevê o investimento anual de cerca de 75 mil euros, pagos ao promotor, o MJP Promotions, gerido pelo antigo tricampeão mundial de ralicross, o austríaco Max J. Pucher.

Supercar

O Global Rallycross Championship (GRC) – Europe 2019 vai disputar-se em 11 a 12 corridas e a luta pelo título de campeão terminará numa grande final, em Outubro, contando com duas classes: GRC Titans e GRC Supercars.

A GRC Titans será, monomarca, baseada no Pantera RX6, desenvolvido pela MJP e os veículos terão 530 cavalos de potência, enquanto a GRC Supercars é uma classe em que podem participar os já conhecidos supercars actuais de ralicross de todos os campeonatos FIA.

Em Montalegre, além destas duas classes, existirá uma corrida de suporte Super1600, com pilotos portugueses e internacionais. A prova portuguesa vai decorrer a 10 e 11 de Agosto. «Escolhemos essa data pois é uma altura em que estão cá muitos emigrantes», sublinhou Orlando Alves.

O autarca confirmou também negociações para uma prova do Mundial de drift, uma modalidade de derrapagens: «Já garantimos as três provas do Nacional, mas queremos também uma prova do Mundial», frisou o autarca.

Outra das novidades para 2019 será uma prova do Mundial de Supermoto, em motos, em data ainda a definir. Apesar de ter o calendário bem preenchido, Orlando Alves não perdeu a esperança de manter o Circuito Internacional de Montalegre no calendário Mundial de Ralicross.

«Vamos ter uma reunião com os responsáveis da IMG, a empresa promotora do campeonato, em Lisboa, para lhes fazer ver os nossos argumentos e tentar voltar a integrar o campeonato em 2020», explicou. O objectivo é evitar o recurso aos tribunais, pois «gasta-se sempre muito dinheiro e nunca se sabe para que lado pende a decisão».

O Circuito Internacional de Montalegre deixou de figurar no calendário Mundial de Ralicross, cuja edição de 2019 foi divulgada pelo promotor do campeonato, a IMG, em Outubro. A Espanha passa a ocupar a data que era preenchida pela prova portuguesa, no último fim-de-semana de Abril, em Barcelona.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação