Elisabete Jacinto “voou nas asas” da África Eco Race

Piloto da margem sul do Tejo não cabia em si de contente ao chegar ao fim da etapa no topo da classificação de camiões, depois de escalar um degrau ao longo do dia.

Texto: CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Foi, sem margem para dúvida, mais uma etapa de raça e destreza de Elisabete Jacinto que, assistida pelos compatriotas José Marques e Marco Cochinho, superou as expectativas. Depois de ter cedido o primeiro lugar na véspera, a piloto da equipa Bio-Ritmo encarou a tirada deste sábado de 419,37 quilómetros, cumprida entre Fort Chacal e Wad Assag, com o tempo de 3h55m56s.

Tratou-se de uma prestação fantástica ada piloto, embora tenha parado cerca de oito minutos após 3 quilómetros da partida com problemas ao nível do intercooler no MAN. Além de assumir de novo a liderança absoluta na categoria de camiões, Elisabete Jacinto beneficiou ainda dos problemas de embraiagem de Tomas Tomecek (Tatra), tendo sido, inclusivamente, rebocado para abandonar o percurso.

Refira-se que Elisabete Jacinto encerrou a etapa com uma vantagem de 14m20s para o segundo camião, conduzido pelo belga Igor Bouwens (Iveco), cedendo somente 10m06s para o vencedor do dia da classificação auto/ camião, o russo Sergey Kuprianov.

«É uma alegria enorme ganhar hoje, especialmente a partir do momento que fomos obrigados a parar praticamente na linha de partida para colocar reparar o intercoole. Nesta operação perdemos 8 minutos, mas depois ataquei ao máximo durante toda a etapa, com o José (Marques) a navegou na perfeição», sublinhou a experiente piloto.

«Deixo Marrocos, que é o meu campo favorito, à frente da corrida. Espero que tudo corra bem na Mauritânia, onde podemos perder muito tempo nas dunas. Enquanto isso, aproveitaremos o dia de descanso para trabalhar ainda mais para melhorar o camião para que fique perfeito na próxima semana. Em suma, acabámos bem e agora é continuar a seguir o caminho certo e com bom ritmo», destacou a piloto do Montijo.

Na classificação geral da classe, a vantagem da portuguesa é agora de uma hora e 40 minutos para o belga Noel Essers (MAN), antes de se cumprir um dia de descanso, este domingo, e das etapas na Mauritânia, a partir de segunda-feira.

BOTTURI DEIXA MAROCOS NA LIDERANÇA

Aos comandos de uma Yamaha, o italiano Alessandro Bottuti superou as adversidades da derradeira etapa disputada em Marrocos e alcançar a liderança na categoria das duas rodas. O norueguês Pale Anders Ullevalseter, que abriu a pista com a sua KTM, “consentiu” a aproximação de Alessandro Bottuti, acabando os dois por trilhar cerca de 400 quilómetros, com benefício para o italiano que, além de ganhar 1m23s na etapa, conseguiu dilatar para 7m26s à geral.

Na peugada de italiano e norueguês surge Martin Benko (KTM), à frente de Simone Agazzi (Honda), com este a não cometer erros desnecessários na despedida do território marroquino, rumo á Mauritânia.

DOMINGO COM PARAGEM PARA DESCANSAR

Neste domingo, 6 de janeiro de 2019, os competidores da Corrida Ecológica da África beneficiarão de um dia de descanso em Dakhla, este banco de areia no extremo sul de Marrocos, onde as temperaturas são em torno de 25 graus. Um merecido descanso para reiniciar ao longo do Oceano Atlântico antes da segunda semana no deserto da Mauritânia.

 

CLASSIFICAÇÕES GERAIS

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação