Azores Airlines deixa de patrocinar o Rali dos Açores

Informação avançada por Açoriano Oriental para a saída do patrocínio da transportadora coloca o Grupo Desportivo Comercial numa situação delicada tendo em vista a prova que vai para a estrada nos dias 21, 22 e 23 de Março.

(auto.look2010@gmail.com) – Fotos: JOSÉ NOGUEIRA / PHOTO XTROD

A 54.ª edição do Rali dos Açores não terá o patrocínio da Azores Airlines. Segundo informação avançada pelo Açoriano Oriental, sublinhando fontes ligadas à estrutura organizativa da prova, a transportadora aérea açoriana «não quis comprometer-se com o Grupo Desportivo Comercial (GDC), que estará à procura de um novo patrocinador para o ano de 2019».

«Fora de hipóteses», ainda segundo o Açoriano Oriental, «estará a não realização do evento, que irá para a estrada nos dias 21, 22 e 23 de Março, sendo a prova inaugural de dois campeonatos: o Europeu (ERC, na sigla inglesa) e o Regional, pontuando ainda para o Nacional».

«A frágil situação financeira da Azores Airlines – que recentemente viu o processo de privatização de 49 por cento do capital social regressar à estaca zero – terá contribuído para a decisão do actual presidente da companhia aérea, António Luís Gusmão Teixeira, em não apoiar o rali, quebrando uma ligação que no próximo ano faria duas décadas», adianta a publicação açoriana.

Foi em 1999 que a transportadora aérea açoriana surgiu como principal patrocinador da corrida, um acordo estabelecido entre António José Melo e António Cansado, na altura presidentes do GDC e do Grupo SATA, respectivamente.

«O orçamento do Grupo Desportivo Comercial para a realização da “Volta à Ilha” ronda os 1,5 milhões de euros por edição. Destes, 800 mil euros chegam do Governo Regional dos Açores, através da Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, enquanto o patrocínio da Azores Airlines seria da ordem dos 400 mil euros, divididos entre apoio financeiro e logístico. O remanescente provinha de outros patrocinadores», acentua o Açoriano Oriental.

Francisco Coelho, presidente do Grupo Desportivo Comercial, «está à procura de um novo patrocinador, que poderá, inclusive, vir de fora da Região», ainda segundo o Açoriano Oriental. Recorde-se que 2019 é o último ano do acordo entre o GDC e a Eurosport Events, promotor do ERC, assinado em 2016 entre Francisco Coelho e Jean-Baptiste Ley, coordenador do Eurosport Events.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação