11.ª Africa Eco Race: o início da competição

A madrinha da prova, Adriane Karembeau, deu a partida para novas aventuras e peripécias da prova euroafricana, embora só amanhã é que a competição tem início a sério.

Texto: PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Adriane Karembeau apadrinha a equipa lusitana liderada por Elisabete Jacinto

Cumprida a travessia do Mediterrâneo, entre a cidade francesa de Sete e a marroquina da Nador, a edição 2019 do Africa Eco Race começa, amanhã, após o desembarque da caravana.

Apesar de longa (648,68 km), a etapa integra um curto SS (90,57 km), que servirá para homens e máquinas começarem a adaptação ao terreno e para afinarem eventuais falhas que sejam detectadas.

Após a partida, em Nador, os concorrentes cumprem um percurso de 54,79 km, até Ameziane, logo de partida do SS, que termina em Merada, após 90,57 km contra-o-relógio, para o dia terminar com uma longa ligação, de 503,32 km, até La Momie, onde está instalado o “bivouac”.

Adriane Karembeau tira uma selfie para a posterioridade

Apesar de curto, o SS apresenta alguns problemas de navegação uma vez que existem numerosas pistas, muitas delas novas, que podem ser utilizadas, enquanto os pilotos terão a vida facilitada, uma vez que apenas aparecem algumas pedras na fase inicial, para depois percorrerem uma pista, que apresenta algumas dificuldades técnicas. Será um primeiro medir de forças, para os concorrentes perceberem onde se situam face à concorrência e para começarem a definir a estratégia a seguir nos dias seguintes.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação