Yann Erhlacher revalida o título de WTCR

Depois das duas derradeiras corridas que tiveram começos semelhantes, com o “safety car” a entrar em acção logo na volta de abertura, o piloto francês saiu de Sochi, na Rússia, com o tão ambicionado ceptro.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Yann Erhlacher (Lynk & Co 03)

Um sexto lugar, na primeira corrida, chegou para o francês Yann Erhlacher (Lynk & Co 03) revalidar o título, à frente do belga Frédéric Vervisch (Audi RS3 LMS) e seu tio e compatriota Yvan Muller Lynk & Co 03) que completaram o pódio final,

A primeira corrida começou sem chuva, mas com o asfalto molhado, em consequência do despiste do argentino Esteban Guerrieri (Honda Civic), que, na terceira curva, entrou numa zona mais encharcada e não evitou um violento embate nos “rails”. Já na segunda, logo no arranque, quando o belga Gilles Magnus (Audi RS3 LMS) foi “tocado” e ficou com a direcção aberta, o que levou à neutralização da corrida para a retirada do carro.

Quando a corrida recomeçou, um novo “toque”, desta vez, entre Bence Boldizs e Kirill Ladygin, o que levou a nova neutralização da corrida. Logo a seguir novo “toque”, desta vez com Gabriele Tarquini (Hyundai Elantra N). O italiano terminou a carreira da maneira que menos desejava que tivesse acontecido, ficando a memória de um excelente piloto, de um enorme desportista e de um bi-campeão, com títulos conquistados em 2009, como WTCC, e 2018, como WTCR.

Yann Erhlacher (Lynk & Co 03)

A primeira corrida foi ganha pelo espanhol Miguel Azcona (Cupra Leon), que soube aproveitar as lutas travadas à sua frente para vencer, podendo ter perdido a segunda em consequência de um “toque” do francês Yvan Muller (Lynk & Co 03), no momento em que a corrida ia recomeçar.

O francês não percebeu que o espanhol estava a fazer uma trajectória mais defensiva, antes de relançar a corria, e acertar-lhe na traseira, o que liquidou as suas aspirações ao segundo lugar no campeonato.

Mas se o espanhol viu a vitória escapar-se a marca espanhola acabou por ser a triunfadora na jornada russa, com o inglês Robert Huff (Cupra Leon), que tinha como melhor resultado um oitavo lugar, a vencer a segunda corrida, aproveitando o desentendimento franco-espanhol para garantir o triunfo.

O português Tiago Monteiro (Honda Civic) esteve ausente da derradeira jornada do WTCR, em consequência de uma infecção pulmonar bacteriana, o que lhe causou dificuldades de respiração e o levou ao hospital no sábado de manhã, onde permaneceu, ficando impedido de tentar melhorar a posição no campeonato, que terminou no 17.º lugar

CLASSIFICAÇÕES

CORRIDA 1 – 1.º, Miguel Azcona (Cupra Leon), 11 voltas (64,328 km), em 31’18,657”; 2.º, Jean-Karl Verney (Hyundai Elantra N), a 1,403”; 3.º, Frédéric Vervisch (Audi RS3 LMS), a 2,432”; 4.º, Gilles Magnus (Audi RS3 LMS), a 2,737”; 5.º, Nathanael Berthon (Audi RS5 LMS), a 4,492”; 6.º, Yann Ehrlacher (Lynk & Co 03), a 6,003”; 7.º, Attila Tassi (Honda Civic), a 7,500”; 8.º, Yvan Muller (Lynk & Co 03), a 8,316”; 9.º, Santiago Urrutia (Lynk & Co 03), a 9,961”; 10.º, Thed Bjork (Lynk & Co 03), a 13,554”. Classificaram-se mais nove pilotos

CORRIDA 2 – 1.º, Robert Huff (Cupra Leon), 13 voltas (76,024 km), em 38’14,552”; 2.º, Frédéric Vervisch (Audi RS3 LMS), a 4,563”; 3.º, Nathanel Brethon (Audi RS3 LMS), a 5,643”; 4.º, Atilla Tassi (Honda Civic), a 7,493”; 5.º, Jean-Karl Verney (Hyundai Elantra N), a 9,291”; 6.º, Yann Ehrlacher (Lynk & Co 03), a 9,600”; 7.º, Nestor Girolami (Honda Civic), a 12,944”; 8.º, Norbert Michelisz (Hyundai Elantra N), a 14,070”; 9.º, Tom Coronel (Audi RS3 LMS), a 16,551; 10.º Luca Engstler (Hyundai Elantra N), a 17,868”. Classificaram-se mais quatro pilotos

CAMPEONATOS

PILOTOS – 1.º, Yann Ehrlacher, 212 pontos; 2.º, Frédéric Vervisch, 118; 3.º, Yvan Muller, 169; 4.º, Santiago Urrutia, 167; 5.º, Jean-Karl Verney, 166; 6.º, Esteban Guerrieri, 164; 7.º, Mikel Azcona, 158; 8.º, Norbert Michelisz, 138; 9.º, Gilles Magnus, 138; 10.º, Thed Bjork, 138; …; 17.º, Tiago Monteiro, 75. Estão classificados mais cinco pilotos

EQUIPAS – 1.º, Cyan Racing Lynk & Co, 381 pontos; 2.º, CONTOYOU TEAM AUDI SPORT, 317; 3.º, Cyan Performance Lynk & Co, 303; 4.º, ALL-INKL.COM Muennich Motorspor, 288; 5.º, BRC Hyundai N Lukoil Squadra Corse, 252; 6.º, Engstler Hyundai N Liqui Moly Racing Team, 248; 7.º, ZENGO MOTORSPORT SERVICES KFT, 208; 8.º, COMTOYOU DHL TEAM AUDI SPORT, 172; 9.º, ALL-INKL.DE Muennich Motorsport, 158; 10.º, Zengo Motorsport Driver’s Academy, 15; 11.º, Target srl, 3

OS CAMPEÕES

Oito pilotos ganharam os 17 títulos que estiveram em jogo no WTCC e no WTCTR, seu sucessor, com o francês Yvan Muller a arrecadar quatro, sendo o mais titulado de uma lista que tem a seguinte composição

ANO PILOTO MARCA
2005 Andy Priaulx BMW
2006 Andy Priaulx BMW
2007 Andy Priaulx BMW
2008 Yvan Muller Seat
2009 Gabriele Tarquini Seat
2010 Yvan Muller Chevrolet
2011 Yvan Muller Chevrolet
2012 Robert Huff Chevrolet
2013 Yvan Muller Honda
2014 Jose Maria Lopez Citroen
2015 Jose Maria Lopez Citroen
2016 Jose Maria Lopez Citroen
2017 Thed Bjork Volvo
2018 Gabriele Tarquini Hyundai
2019 Norbert Michelisz Hyundai
2020 Yann Ehrlacher Lynk & Co
2021 Yann Ehrlacher Lynk & Co

Número de títulos

4 – Yvan Muller

3 – Andy Priaulx, Jose Maria Lopez

2 – Yann Ehrlacher, Gabriele Tarquini

1 – Thed Bjork, Robert Huff, Norbert Michelisz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.