Yamaha termina contrato com Maverick Viñales

Piloto espanhol fica, assim, livre para assumir desde já o compromisso que já tem com a Aprilia para a próxima temporada.

(auto.look2010@gmail.com)

epa09302575 Maverick Vinales of Spain during the third free practice session of the MotoGP at the TT circuit of Assen, The Netherlands, 26 June 2021. EPA/VINCENT JANNINK

A Yamaha e o piloto espanhol Maverick Viñales acordaram terminar o contrato que ligava as duas partes até ao final de 2022 “com efeitos imediatos”, anunciou hoje o construtor nipónico.

«Já tínhamos anunciado em Assen (Países Baixos) que reduzir a duração do contrato para o final de 2021. Foi assumido o compromisso pelo piloto e pela equipa de continuar até ao final desta temporada, com a equipa a garantir o seu total apoio e o piloto a fazer o seu máximo para que pudessem terminar o projecto “em estilo”», começou por explicar o britânico Lin Jarvis, responsável pela equipa da Yamaha em MotoGP.

Lin Jarvis explicou, em comunicado da equipa, que, «após muita ponderação pelas duas partes, chegou-se a uma decisão mútua de que seria melhor terminar esta parceria mais cedo».

Depois de já ter sido anunciado que o final do contrato com o piloto espanhol seria antecipado um ano, para o final desta temporada, na sequência das queixas reveladas por Viñales ao longo da temporada sobre os problemas de desempenho que sentia com a M1, as duas partes decidiram antecipar o final do vínculo na sequência do incidente no Grande Prémio da Estíria, há duas semanas.

Maverick Viñales levou o motor ao limite das rotações por diversas vezes com o objectivo de o partir e, assim, justificar o abandono de uma corrida em que ocupava a última posição. Depois de analisar imagens das câmaras instaladas na moto e os dados de telemetria, a Yamaha decidiu suspender o piloto, que já não participou no GP da Áustria, no passado fim-de-semana.

As palavras do piloto citadas no comunicado da Yamaha vão no mesmo sentido, com o espanhol a «agradecer profundamente a grande oportunidade» e o «apoio ao longo de quatro anos e meio».

O francês Fábio Quartararo (Yamaha) é, para já, o único piloto da equipa oficial da Yamaha, que esta época tinha dispensado o italiano Valentino Rossi para a equipa satélite, a Petronas. Viñales ocupa, atualmente, o sétimo lugar do campeonato do mundo, com 95 pontos, mais 10 do que o português Miguel Oliveira (KTM).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *