Yamaha abandona Dakar e Mundial de Rally-Raid

A Yamaha encerra sua longa e histórica associação com o Rally Dakar e o Campeonato Mundial de Rally Cross-Country da FIM. A marca confirmou que vai continuar a marcar presença na classe de SSV, dando o apoio aos pilotos com o protótipo da YXZ1000R.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

A participação da Yamaha no Dakar chegou ao fim. A quarta posição do francês Adrien van Beveren foi também o melhor registo alcançada na derradeira jornada de 44 edições da marca nipónica que decidiu colocar um ponto final na participação das motos na prova mais dura de todo-o-terreno mundial. O fabricante da marca nipónica comunicou também que irá também retirar-se do Mundial Rally-Raid.

Refira-se que a Yamaha é a única marca que participou em todos os Rally Dakar desde a sua criação, já que o francês Cyril Neveu conquistou a vitória aos comandos de uma Yamaha XT500 na primeira edição, em 1979, a que se seguiu uma segunda vitória um ano depois.

A lenda do Dakar, Stéphane Peterhansel, conquistou um recorde de seis vitórias para a Yamaha na década de 1990, e o italiano Edi Orioli contribuiu para o sucesso da Yamaha na África com a vitória na edição de 1997. Pela marca dos diapasões também passaram, entre outros, que foram vencedores ou que estiveram perto de vencer um Dakar.

Nos anos mais recentes, o exclusivo WR450F 2-Trac teve uma largada bem sucedida na classe de Super Produção de 400cc, terminando como o melhor da classe nas corridas de 2004 e 2005 com David Frétigné. O piloto francês rodou com a moto até o terceiro lugar geral na primeira edição sul-americana em 2009, com Hélder Rodrigues também a terminar no pódio em 2011 e 2012, antes de Olivier Pain ficar em terceiro lugar em 2014.

Em 2015, a Yamaha trouxe a WR450F Rally, com a qual a Monster Energy Yamaha Rally Team chegou perto do pódio em várias ocasiões, com Adrien van Beveren a perder o Dakar de 2018 a apenas alguns quilómetros do final do Rali e, este ano, ficou à porta do pódio.

A Yamaha confirmou que continuará a marcar presença na classe de SSV apoiando os atletas com o protótipo da YXZ1000R. A Yamaha agradeceu a todos os envolvidos na organização do Rally Dakar, equipa, pilotos e patrocinadores que trabalharam com o fabricante nas últimas quatro décadas e que trouxeram tantos sucessos e emoções.

Para o presidente da Yamaha Motor Europe, «a Yamaha tem uma longa história no Rally Dakar, que começou em 1979 e continuou ininterruptamente na era moderna». «É também um evento pelo qual tenho, pessoalmente, uma verdadeira paixão, pois participei duas vezes no evento e, por muitos anos, trabalhei em estreita colaboração com Jean-Claude Olivier, que não apenas participou e venceu etapas no Dakar, mas também supervisionou o período pioneiro de maior sucesso da Yamaha no rali».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.