Volkswagen e Microsoft ligados à nuvem

A Volkswagen e Microsoft anunciaram hoje uma parceria para desenvolver um “software” para condução autónoma ligada à nuvem, aumentando a sua colaboração no domínio dos sistemas de computadores associados à “cloud”, que foi lançada em 2018

(auto.look2010@gmail.com)

O fabricante automóvel alemão, com esta parceria, visa «desenvolver de forma mais rápida serviços de mobilidade seguros e confortáveis», disse em comunicado o responsável da nova empresa de “software” do grupo, Dirk Hilgenberg, numa altura em que se multiplicam as alianças entre construtores e grupos de sistemas de tecnologias de informação.

Nesse sentido, a Volkswagen vai contar com os serviços da Microsoft em termos de computação ligada à nuvem (acrónimo “cloud”) e na área da inteligência artificial. O director da Microsoft, Scott Guthrie, explicou, por sua vez, que «este é o próximo passo na parceria estratégica» entre as duas empresas.

No entanto, os valores financeiros da operação, bem como a duração do novo contrato, não foram divulgados pelo gigante automóvel alemão. A Volkswagen e a Microsoft trabalham em conjunto desde 2018 para criar uma plataforma na nuvem para a troca de dados entre veículos autónomos com tecnologia ligada àquele instrumento.

«Os primeiros testes para criar uma frota de carros autónomos devem realizar-se este ano, sendo que a produção em série está prevista para 2022», refere em comunicado. O “software” tornou-se estratégico para a Volkswagen que está no centro da corrida pelo fabrico dos automóveis inteligentes do futuro, uma área na qual prevê investir 27 mil milhões de euros até 2025.

Lançada em 2020, a Car.Software deverá empregar até 11 mil especialistas para trabalhar no “VW.OS”, o futuro sistema operacional comum aos carros do grupo, ligados à nuvem. Até 2025, a Volkswagen quer desenvolver e ter 60% deste tipo de “software” que será usado nos automóveis.

As alianças entre fabricantes e gigantes das tecnologias de informação estão a multiplicar-se para que o “software” possa, no futuro, melhorar continuamente a autonomia e a segurança dos veículos, o que requer enormes avanços em termos de sistemas informáticos ligados à nuvem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *