Vila Real com sete campeões do Mundo

Serão 26 a 28 carros na competição principal, a Taça do Mundo de Carros de Turismo (WTCR), incluindo o Honda Civic do português Tiago Monteiro.

(auto.look2010@gmail.com)

A organização do Circuito Internacional de Vila Real disse esperar que a edição do cinquentenário, de 5 a 7 de Julho, seja «a melhor de sempre», com «sete campeões do mundo» e Tiago Monteiro. Na apresentação oficial, o presidente da Associação Promotora do Circuito Internacional de Vila Real, José Silva, revelou que serão 26 a 28 carros na competição principal, a Taça do Mundo de Carros de Turismo (WTCR), incluindo o Honda Civic do português.

«Nunca a nossa corrida, em 88 anos, esteve tão bem. A grelha está muito preenchida. Tendo em conta que é um circuito citadino, estamos em crer que vai ser uma prova extraordinária», sublinhou José Silva. A esta competição, soma-se a do Open de Portugal e o TCR Ibérico, que cujos participantes correrão em simultâneo, para além dos Legends e Clássicos do campeonato nacional e o troféu Kia Picanto, num total de cerca de 160 pilotos participantes.

Os olhares estarão concentrados, sobretudo, no português Tiago Monteiro, que regressa à prova transmontana na sua 50.ª edição, depois de um ano de ausência devido a lesão.

«Este tipo de pressão é importante para ter um bom resultado. Tenho experiência suficiente para saber gerir isso e é com muito prazer que aceito este desafio», disse o piloto portuense, de 42 anos.

De acordo com Tiago Monteiro, «será a edição mais difícil ao nível da competitividade dos pilotos e do número de carros em pista, o que aumenta a possibilidade de que algo corra mal», pelo que será necessária aquela «estrelinha da sorte» que faça ultrapassar as «adversidades».

«Ter estado parado um ano e meio veio redobrar a minha motivação e vontade de brilhar. Estou motivado a mil por cento e vou dar tudo por tudo. As últimas corridas não têm sido fáceis, mas estamos a lutar para alterar isso», prometeu o piloto luso, que tem como melhor resultado esta temporada um quarto lugar, obtido na prova de abertura, em Marraquexe, Marrocos.

O presidente da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, Ni Amorim, mostrou-se agradado com o facto de o programa voltar a estar concentrado em apenas um fim-de-semana.

«É sempre uma luta criarem-se horários num circuito citadino, por causa das populações. Esta solução de fazer a prova em três dias num fim-de-semana serve melhor toda a gente e conseguimos encaixar as provas todas com alguma margem de segurança», frisou.

Contudo, o mesmo responsável mostrou-se apreensivo com a ausência de notícias quanto a um eventual apoio do Turismo Porto e Norte de Portugal. O presidente dessa entidade, Luís Pedro Martins, assegurou, contudo, que «este Circuito e eventos como este, que não são assim tantos, são absolutamente estratégicos para a promoção do destino», pois, «a reboque deste evento, vem muito público».

No entanto, diz que este ano «será difícil», pois foi herdado um «orçamento e plano de actividades do passado».

Entretanto, foi aberto um aviso de concurso a fundos comunitários para apoiar a prova: «Fizemos sempre a prova com o apoio de fundos comunitários e este ano voltaremos a fazê-lo. Chega a mais de 46 milhões de pessoas, em mais de 100 canais. Isso merece o apoio do Estado português», sublinhou o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos.

O orçamento ronda os 1,2 milhões de euros, sendo que «a montagem do circuito e a prova propriamente dita ronda os 450 mil euros». «O valor substancial tem a ver com a transmissão televisiva e a homologação do circuito. É para esse valor que solicitamos apoio», explicou.

Apesar de o contrato com a Eurosport Events, empresa promotora do WTCR, terminar este ano, Rui Santos acredita que as corridas continuarão em Vila Real: «Vamos continuar a realizar o Circuito de Vila Real, obviamente», vincou.

Para assinalar as 50 edições do Circuito Internacional de Vila Real foi, ainda, lançada uma garrafa especial de Vinho do Porto, com apenas 50 exemplares, em parceria com a Adega Cooperativa de Vila Real, para além de uma medalha comemorativa e um eco-copo, reutilizável, para evitar o uso de copos de plástico.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação