Ventos agrestes abreviam etapa maratona

Ventos fortes obrigaram a Amaury Sport Organisation (ASO) encurtar a 10.ª de 12 etapas do Rali Dakar de todo-o-terreno, disputada esta quarta-feira, deixando os líderes de motos e automóveis mais confortáveis na frente.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

A degradação das condições atmosféricas, com destaque para o forte vento que se fazia sentir, levou a organização encurtar o Selector Selectivo (SS) aos 345 km, dos 534 km que estavam previstos ser percorridos, com a caravana a rodar em ligação até ao final da etapa.

Nas motos, a Honda monopolizou o pódio, com o norte-americano Ricky Brabec (Honda) a ganhar tempo aos seus mais directos perseguidores, parecendo estar perto de ser o primeiro piloto do seu país a vencer a prova, com o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna) a ser o seu mais directo perseguidor, mas a ter dois dias para recuperar mais de 20 minutos, o que parece difícil de poder suceder.

Na tirada desta quarta-feira, o espanhol Joan Barreda Bort (Honda) foi o mais rápido, com o tempo de 2h11m42s, com o norte-americano Ricky Brabec (Honda) em segundo lugar, a 1m07s e o argentino Kevin Benavides (Honda) em terceiro, a 2m31s. António Maio (Yamaha), em 17.º, foi o melhor português. Mário Patrão (KTM) foi 34.º e Fausto Mota (Husqvarna) 40.º.

Com estes resultados, Ricky Brabec aumentou a vantagem na frente e tem, agora, 25m44s sobre o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna), que perdeu cinco minutos, e 27m09s sobre Joan Barreda Bort, que recuperou o terceiro lugar ao melhor homem da KTM, o australiano Toby Price, que baixou para quarto, a 28m33s.

Após 18 anos de domínio KTM, a equipa liderada pelo português Ruben Faria, com o auxílio de Hélder Rodrigues, está perto de fazer história, quando faltam duas etapas para o final da prova, que não vence há 31 anos.

Os pilotos portugueses, que permanecem em prova, depois da retirada da Hero, em memória de Paulo Gonçalves, continuam a subir na geral. O 27.º lugar na geral do piloto de Borba, António Maio, coloca-o como o melhor representante nacional, seguido de Fausto Mota, em 31.º, e Mário Patrão em 33.º. Apesar do primeiro dia da etapa maratona ficar marcado pela tempestade de areia, os pilotos lusitanos acabaram por desfrutar da tirada, com muitas dunas e zonas de areia muito rápida.

Os três pilotos portugueses encontram-se no bivouac, no meio do deserto, a descansar, depois da revisão das motos para que possam encarar a 11.ª etapa com mais determinação, uma vez que, no final voltam a ter assistência.

 

CARLOS SAINZ AFASTA-SE DAS ADVERSIDADES…

Nos automóveis, o espanhol Carlos Sainz (Mini), que efectuou uma etapa perfeita, foi o mais rápido no SS e beneficiou do facto do qatari Nasser Al-Attyiah (Toyota) e do francês Stéphane Peterhansel (Mini), que é acompanhado por Paulo Fiúza, terem-se perdido, o que lhe permitiu ganhar minutos preciosos, a dois dias do final da competição.

O madrileno partiu para esta etapa com apenas 24 segundos de vantagem sobre Nasser Al-Attiyah e aproveitou os problemas de navegação do piloto da Toyota para alargar a vantagem na geral para 18m10s. Já o francês Stéphane Peterhansel foi apenas décimo classificado e está, agora, a 18m26s de Carlos Sainz, mas a apenas 16 segundos do segundo lugar.

Carlos Sainz gastou 3h03m43s para completar a tirada e deixou o polaco Jacob Przygonski (Mini), segundo, a 3m05s. O sul-africano Giniel de Villiers (Toyota Hilux) foi terceiro, a 4m26s. O também espanhol Fernando Alonso (Toyota Hilux), que tinha recuperado até ao 10.º lugar, capotou logo na fase inicial do SS, perdeu mais de uma hora e caiu para fora do “top ten”, sendo, agora, 14.º

PEDRO BIANCHI PRATA AINDA PROCURA O BRONZE

Nos SSV, os norte-americanos continuam a dominar, com Mitchell Guthrie (Can-Am) a ser o mais rápido no SS, apenas 25 segundos na frente de Blade Hildebrand, com Casey Currie (Can-Am) a conservar o comando, podendo juntar-se a Ricky Brabec no lote dos vencedores do país.

Quando faltam apenas duas etapas para o fim da prova, Casey Currie dilatou para 46m40s de vantagem para o segundo classificado, o russo Sergei Kariakin. Por seu turno, Conrad Rautenbach e Pedro Bianchi Prata foram hoje 11.º classificados na tirada e viram Chaleco Lopez e Juan Pablo Vinagre (Can-Am) a distanciar-se no terceiro lugar, a sete minutos de distância.

11.ª ETAPA COM AS MAIS BELAS

DUNAS DA ARÁBIA SAUDITA

Amanhã cumpre-se a segunda parte da etapa maratona corrida em sentido contrário com partida em Shubaytah e chegada a Haradh, com a especial a ter 379 km e depois de um dia sem assistência, ainda que a redução do SS, hoje, possa ter poupado as mecânicas. O SS começa com 80 km de dunas, as mais belas da Arábia Saudita, o que aumenta o risco de alguns ficarem “plantados” no local, com a consequente perca de tempo. O SS divide-se em 55% de areia, 10% de terra e 35% de dunas.

CLASSIFICAÇÕES

10.ª ETAPA (345 KM)

MOTOS – 1.º, Joan Barreda Bort (Honda), 2.11’42”; 4.º, Ricky Brabec (Honda), a 1’07”; 3.º, Kevin Benavides (Honda), a 2’31”; 4.º, Toby Price (KTM), a 2’57”; 5.º, Luciano Benavides (Honda), a 4’14”; 6.º, Matthias Walkner (KTM), a 5’23”; 7.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 5’58”; 8.º, Ross Branch (KTM), a 8’45”; 9.º, Maurizio Gerini (Husqvarna), a 13’08”; 10.º, Jose Cornejo (Honda), a 13’09”; …; 17.º, António Maio (Yamaha), a 26’56”; …; 34.º, Mário Patrão (KTM), a 35’49”; …; 40.º, Fausto Mota (Husqvarna), a 42’12”

AUTOMÓVEIS – 1.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), 2.03’43”; 2.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Orlen), a 3’05”; 3.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota),a 4’26”; Pierre Lachaume/Jean-Michel Polato (Peugeot 2008 DKR), a 6’10”; 5.º, Yazzed Al-Rahji/Konstantin Zhiltsov (Toyota), a 6’30”; 6.º, Bernhard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota), a 7’49”; 8.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini), a 7’58”; 9.º, Wei Han/Min Liao (Geely), a 8’26”; 10.º, Stéphane Peterhansel/Paulo Fiuza (Mini), a 11’48”; …; 14.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota), a 13’58”

SSV – 1.º, Mitchell Guthrie/Ola Floene (Can-Am), 2.23’47”; 2.º, Blade Hildebrand/François Cazalet (Cam-Am), a 25”; 3.º, Gerard Guell/Armand Monleon (Can-Am), a 1’22”; 4.º, Austin Jones/Kellow Walch (Can-Am), a 2’24”; 5.º, Aron Donzela/Maciej Marton (Can-Am), a 3’29”; …; 11.º, Conrad Rautenbach/Pedro Bianchi Prata (PH-Sport), a 11’39”

GERAL

MOTOS – 1.º, Ricky Brabec (Honda), 34.12’18”; 2.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 25’44”; 3.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 27’09”; 4.º, Toby Pryce (KTM), a 28’33”; 5.º, Jose Cornejo (Honda), a 41’31”; 6.º, Matthias Walkner (KTM), a 41’32”; 7.º, Luciano Benavides (KTM), a 44’18”; 8.º, Skyler Howes (Husqvarna) a 1.43’21”; 9.º, Franco Caimi (Yamaha), a 1.43’57”; 10.º, Stefan Svitko (KTM), 2.02’10”; …; 27.º, António Maio (Yamaha), a 5’53’41”; …; 31.º, Fausto Mota (Husqvarna), a 7’15’57”; …; 33.º, Mário Patrão (KTM), a 7.47’19”

AUTOMÓVEIS – 1.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini), 37.15’37”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Mathieu Baumel (Toyota), a 18’10”; 3.º Stéphane Peterhansel/Paulo Fiuza (Mini), a 18’26”; 4.º, Yazzed Al-Rahji/Konstantin Zhiltsov (Toyota), a 40’46”; 5.º, Orlando Terranova/Bernardo Graue (Mini), a 57’39”; 6.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota), a 1.02’23”; 7.º, Bernard Ten Brinke/Tom Colsoul (Toyota), a 1.15’39”; 8.º, Mathieu Serradori/Fabian Lurquin (Century), a 1.37’21”; 9.º, Yasir Seaidan/Kuzmich Alexy (Mini), a 2.49’28”; 10.º, Pierre Lachuame/Jean-Michel Polato (Peugeot 2008 DKR), a 3.28’16”; …; 17.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota), a 6.31’46”.

SSV – 1.º, Casey Currie/Sean Berriman (Can-Am), 46.22’15”; 2.º, Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Can-Am), a 46’40”; 3.º, Francisco Lopez/Juan Pablo Vinagre (Can-Am), a 1.14’58”; 4.º, Conrad Rautenbach/Pedro Bianchi Prata (PH-Sport), a 1.21’28”; 5.º, Jose Antonio Lopez/Diego Gil (Can-Am), a 1.22’44”.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação