Velocidade com novos ares e novos vencedores

Na primeira das duas deslocações agendadas pelo calendário do Campeonato Nacional de Velocidade de 2021 ao Autódromo Internacional do Algarve os ares do sul de Portugal ajudaram a encontrar novos vencedores em muitas categorias.

(auto.look2010@gmail.com)

De regresso ao asfalto, foi no “sobe e desce” algarvio que o Campeonato Nacional de Velocidade (CNV) fechou a primeira metade da época. Uma jornada dividida mais uma vez por dois dias de competição, com treinos realizados em ambos os dias e onde se notaram algumas ausência de vulto, nomeadamente a de Ivo Lopes que esteve em Espanha a testar com a BMW já a pensar no futuro.

Uma ausência que deixou a liderança do campeonato nas mãos dos adversários, com Romeu Leite a regressar a casa como novo líder das Superbike depois de vencer ambas as corridas. Na primeira cruzou a linha de meta após as 15 voltas aos 4.592 metros do circuito com quase 15 segundos de vantagem sobre Tiago Cleto, que fechou a prova igualmente confortável face ao terceiro classificado, este em luta directa com Mário Alves com ambos a terminarem separados por apenas 152 milésimas de segundo.

Na segunda corrida, Romeu Leite fechou o duelo com mais de 13 segundos de vantagem sobre o opositor mais directo, novamente Tiago Cleto, com Ricardo Lopes a ser desta feita o terceiro – depois de abandonar devido a queda na corrida de sábado – igualmente destacado do quarto, Mário Alves.

Nas Superstock 600 foi Pedro Fragoso quem bisou vitórias e se estreou a vencer na categoria, terminando ambas as corridas na frente de Ricardo Silva e sempre com margem de conforto segura face ao rival algarvio. Vasco Esturrado, o comandante do campeonato, abandonou na primeira corrida, mas fechou o pódio no domingo e manteve a liderança do campeonato com 11 pontos de vantagem sobre Ricardo Silva.

Além de Ivo Lopes, também Gonçalo Ribeiro, o líder das Pré-Moto3, esteve ausente por estar em mais uma ronda da European Talent Cup, e quem venceu em estreia foi Tiago Balhé. Uma vitória que lhe valeu a aproximação a Gonçalo Ribeiro, ainda dono da primeira posição no campeonato mas agora com apenas cinco pontos para o rival.

Nas Promo3, o conimbricense Martim Marco foi igualmente o primeiro. Tratou-se de um fim-de-semana repleto de contentamento pelos resultados, «uma vez que é a primeira prova em que participo juntamente com as “300 cc”, percebendo que consegui impor um bom ritmo que culminou com o terceiro da geral e primeiro da classe» referiu o jovem piloto da equipa Cuna Campeones/Alves Bandeira.

Contudo, Martim Marco não esqueceu o espanhol Hugo Millán que morreu este domingo após ter sido atropelado por um adversário na sequência de uma queda sofrida durante uma corrida da European Talent Cup, no circuito Motorland, em Aragão, Espanha.

«Naturalmente que este fim-de-semana teve um sabor bastante amargo, pois antes da minha corrida recebi a notícia da perda de um amigo e companheiro de equipa na Cuna Campeones, dedicando a minha vitória ao Hugo (Millán)», acrescentou Martim Marco.

À semelhança do “foguete de Antanhol, também Dinis Borges assinou a sua primeira vitória do ano, terminando assim com a invencibilidade de Tomás Alonso que não foi além da quinta posição.

Dinis Borges derrotou na linha de meta Rafael Damásio no final de 12 voltas onde três pilotos passaram pelo comando do pelotão. O primeiro foi Tomás Alonso, líder nas duas primeiras voltas mesmo com uma passagem de caixa falhada no arranque.

O piloto de Odivelas estava na luta com Dinis Borges e Rafael Damásio, mas na derradeira esquerda do circuito sofreu uma queda quando lutava com os seus dois adversários e regressou à corrida na 12.ª posição, recuperando até ao final para terminar no quarto posto atrás de Martim Jesus, em estreia no pódio.

Dinis Borges liderou desde a quarta volta e foi com mais de seis segundos que recebeu a bandeira de xadrez na frente de Rafael Damásio, novamente segundo classificado. Tomás Alonso mantém a liderança da tabela, com 11 pontos de vantagem sobre Dinis Borges.

Nas Moto4 assistiu-se ao duelo mais intenso do fim‑de‑semana, assinado por Pedrinho Matos e Afonso Almeida. O campeão nacional foi quem mais voltas fechou na frente, mas o rival de Vila Nova de Santo André esteve sempre na luta com Afonso Almeida e na derradeira volta conseguiu mesmo quebrar a hegemonia do opositor para cruzarem a linha de meta separados por apenas 29 milésimas de segundo.

Um final impróprio para cardíacos com Pedrinho Matos a ser pela primeira vez o vencedor. Francisco Pires repetiu o pódio da corrida anterior e foi terceiro. Nas Moto5 o primeiro lugar foi para Alexandre Cabá com apenas 69 milésimas de segundo de vantagem sobre Gonçalo Silva e pouco mais de três décimas para Lourenço Vicente em mais uma corrida bastante intensa.

Nos troféus as vitórias no Sábado foram para Pável Bogdanov nas Tuono Cup, Frédéric Bottoglieri na ZCup e Rui Marto nas Naked. João Curva foi o primeiro entre os pilotos da Taça Luís Carreira Open, Bernardo Villar nas Open R, José Almeida nas SBK e João Vieira nas SS. Já no Domingo Bogdánov fechou de novo na frente nas Tuono, Ricardo Pires foi o primeiro nas ZCup e Rui Marto nas Naked.

João Curva e Bernardo Villar venceram nas suas classes, Pedro Dias nas SBK e André Capitão nas SS. Na Copa Dunlop Motoval Miguel Romão venceu no Sábado na Classe 1 e André Gonçalves na Classe 2, com resposta no Domingo por parte de Victor Barros na classe 1, sendo que André Gonçalves repetiu a primeira posição na classe 2.

O Autódromo Internacional do Algarve recebe a próxima ronda do campeonato – a quarta do ano – nos dias 14 e 15 de Agosto, antes do regresso ao Estoril para as duas derradeiras provas da temporada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *