Valtteri Bottas intocável no Japão

A Mercedes conquistou, este domingo, o sexto título Mundial consecutivo de Construtores graças à vitória do finlandês Valtteri Bottas e ao terceiro lugar do britânico Lewis Hamilton no Grande Prémio do Japão de Fórmula 1.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O ditado diz “depois da tempestade vem a bonança” e foi isso que sucedeu no traçado japonês de Suzuka, onde, ontem, o tufão Hagibis impediu a realização da terceira sessão de treinos livres e a qualificação, e hoje, o sol brilhou, embora o vento fosse forte e intenso, o que permitiu a realização da qualificação, dominada pela Ferrari, que monopolizou a primeira linha da grelha, e da corrida, dominada pelo finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), que venceu pela terceira vez, esta temporada, sexta na carreira.

Foi uma vitória categórica do piloto finlandês, protagonista de um arranque “canhão”, que o catapultou de terceiro para primeiro, com a ultrapassagem aos dois Ferrari, que partilhavam a primeira linha, para a partir daí “fugir” aos perseguidores e comandar sem problemas toda a corrida, perdendo o comando, apenas, quando parou para trocar de pneus.

Com a vitória, o finlandês tornou-se no único piloto que, do ponto de vista aritmético, pode impedir Lewis Hamilton de revalidar o título.

O alemão Sebastian Vettel (Ferrari), que largou da “pole”, mas falhou o arranque, assegurou o segundo o lugar ao resistir ao ataque final do inglês Lewis Hamilton (Mercedes) que completou o pódio e fez a volta mais rápidas, com a Mercedes a garantir, a quatro corridas do final da época, o sexto título consecutivo de marcas, igualando o feito de Ferrari, e vai fazer o mesmo no que diz respeito aos pilotos, sendo a primeira marca a conseguir tal proeza.

A corrida começou mal para a Ferrari que viu Sebastian Vettel perder a primeira posição, logo no arranque, e logo a seguir o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) e o holandês Max Verstappen (Red Bull/Honda) “tocarem-se”, com o monegasco a ficar com a asa dianteira danificada e a parar, logo na terceira volta, para a substituir, o que relegou para o fundo do pelotão, mas recuperou até ao sexto lugar final, com o holandês a acabar por desistir e deixando desolados os apoiantes da Honda, que queriam assistir a um triunfo caseiro da marca nipónica.

Quinto na grelha de partida, Max Verstappen pode ter sido traído pela ânsia de chegar ao triunfo e comprometeu essa hipótese logo no início da corrida.

Para a Honda restou a consolação do quarto lugar alcançado pelo tailandês Alexander Albon (Red Bull/Honda), à frente do espanhol Carlos Sainz (McLaren/Renault), uma vez mais “o melhor dos outros”, e de Charles Leclerc, autor de uma corrida de recuperação.

O australiano Daniel Ricciardo (Renault), o francês Pierre Gasly (Toro Rosso/Honda), o mexicano Sergio Perez (Racing Point/Mercedes), que bateu na derradeira volta, e o alemão Nico Hulkenberg (Renault) fecharam o lote dos pilotos que terminaram nos pontos.

Apesar de ter terminado na pista, o GP do Japão continuou nos bastidores, depois de ter sido encurtado, por, de forma imprevista, ter sido accionado, por antecipação, o sistema que anuncia que falta uma volta, razão pela qual foi considerada a classificação na volta 52, quando a bandeira de xadrez foi mostrada, tal como estava regulamentado, no final da volta 53.

Para além disso, Charles Leclerc foi penalizado em 15” (cinco em consequência do “toque” inicial, com Max Verstappen e 10” por não ter parado de imediato) e caiu de sexto para sétimo, enquanto a Ferrari foi multada em 25 000 € por não o ter mandado parar, para substituir a asa dianteira que estava danificada.

Mas a classificação da prova nipónica vai ficar suspensa, em consequência do protesto da Racing Point contra a Renault, por questões técnicas, que levará tempo a ser resolvido.

FICHA DA PROVA

Grande Prémio – Japão

Circuito – Suzuka International Racing Course

Extensão – 301,664 km = 52 x 5,807 km

“Pole position” – Sebastian Vettel (Ferrari), 1 volta (5,807 km), em 1’27,064” (240,113 km/h)

Grelha de partida1.ª linha: Sebastian Vettel (Ferrari SF90/Ferrari), 1’27, Sebastian Vettel (Ferrari SF90/Ferrari), 1’32,053”;064”; Charles Leclerc (Ferrari SF90/Ferrari), 1’27,253”; 2.ª linha: Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 1’27,293”; Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1’27,302”; 3.ª linha: Max Verstappen (Red Bull RB15/Honda), 1’27,851”; Alexander Albon (Red Bull RB15/Honda), 1’27,851”; 4.ª linha: Carlos Sainz (McLaren MCL34/Renault), 1’28,304”; Lando Norris (McLaren MCL34/Renault), 1’28.464”; 5.ª linha: Pierre Gasly (Toro Rosso STR14/Honda), 1’28,836”; Romain Grosjean (Haas VF-19/Ferrari), 1’29,341”; 6.ª linha: Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo C38/Ferrari), 1’29,254”; Lance Stroll (Racing Point PR19/Mercedes), 1’29,345”; 7.ª linha: Kimi Raikkonen (Alfa Romeo C38/Ferrari), 1’29.348”; Daniil Kvyat (Toro Rosso STR14/Honda), 1’29,563”; 8.ª linha: Nico Hulkenberg (Renault RS19/Renault), 1’30,112”; Daniel Riccardo (Renault RS19/Renault), 1’29.822”; 9.ª linha: Sergio Perez (Racing Point RP19/Mercedes), 1’30,344”; George Russell (Williams FW42/Mercedes), 1’30,364”; 10.ª linha: Kevin Magnussen (Haas VF-19/Ferrari), sem tempo

Nota – Kevin Magnussen e Robert Kubica (Williams FW42/Mercedes) penalizados em cinco lugares, por terem trocado de caixa de velocidades; Robert Kubica pediu para partir da via das “boxes

Comandantes sucessivos – Valtteri Bottas, da 1.ª à 17.ª volta; Lewis Hamilton, da 18.ª à 20.ª volta; Valttteri Bottas, da 21.ª à 36.ª volta; Lewis Hamilton, da 37.ª à 42.ª volta; Valtteri Bottas, da 43.ª à 52.ª volta

Volta mais rápida – Lewis Hamilton (Mercedes W10/Mercedes), 1 volta (5,807 km), em 1’30,983” (229,770 km/h)

Vencedor – Valtteri Bottas (Mercedes W10/Mercedes), 53 voltas (307,471 km), em 1.21’46,775” (221,325 km/h)

CLASSIFICAÇÃO

POS.PILOTOCARROTEMPO
1.ºValtteri BottasMercedes W10/Mercedes1.21’46,755″
2.ºSebastian VettelFerrari SF90/Ferraria 13,343″
3.ºLewis HamiltonMercedes W10/Mercedesa 13,858″
4.ºAlexander AlbonRed Bull RB15/Hondaa 59,537″
5.ºCarlos SainzMcLaren MCL34/Renaulta 1’09,101!
6.ºDaniel RicciardoRenault RS19/Renaulta 1 volta
7.ºCharles LeclercFerrari SF90/Ferraria 1 volta
8.ºPierre GaslyToro Rosso STR14/Hondaa 1 volta
9.ºSergio PerezRacing Point RP19/Mercedesa 1 volta
10.ºNico HulkenbergRenault RS19/Renaulta 1 volta
11.ºLance StrollRacing Point RP19/Mercedesa 1 volta
12.ºDaniil KvyatToro Rosso STR14/Hondaa 1 volta
13.ºLando NorrisMcLaren MCL34/Renaulta 1 volta
14.ºKimi RaikkonenAlfa Romeo C38/Ferraria 1 volta
15.ºRomain GrosjeanHaas VF-19/Ferraria 1 volta
16.ºAntonio GiovanniAlfa Romeo C38/Ferraria 1 volta
17.ºKevin MagnussenHaas VF-19/Ferraria 1 volta
18.ºGeorge RussellWilliams FW42/Mercedesa 2 voltas
19.ºRobert KubicaWilliams FW42/Mercedesa 2 voltas

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º, Lewis Hamilton, 338 pontos; 2.º, Valtteri Bottas, 274; 3.º, Charles Leclerc, 221; 4.º, Max Verstappen, 212; 5.º, Sebastian Vettel, 212; 6.º, Carlos Sainz, 76; 7.º, Pierre Gasly, 73; 8.º, Alexander Albon, 64; 9.º, Daniel Ricciardo, 42; 10.º, Nico Hulkenberg, 35; 11.º, Sergio Perez, 33; 12.º, Lando Norris, 35; 13.º, Daniil Kvyat, 33; 14.º, Kimi Raikkonen, 31; 15.º, Kevin Magnussen, 20; 16.º, Lance Stroll, 19; 17.º, Romain Grosjean, 8; 18.º, Antonio Giovinazzi, 4; 19.º, Robert Kubica, 1.

CONSTRUTORES – 1.º, Mercedes AMG Petronas Motorsport, 612 pontos; 2.º, Scuderia Ferrari, 433; 3.º, Aston Martin Red Bull Racing, 323; 4.º, McLaren F1 Team, 111; 5.º, Renault F1 Team, 77; 6.º, Red Bull Toro Rosso Honda, 59; 7.º, SportPesa Racing Point F1 Team, 54; 8.º, Alfa Romeo Racing, 35; 9.º, Rich Energy Haas F1 Team, 28; 10.º, ROKiT Williams Racing, 1

PRÓXIMA PROVA – Gran Premio Mexico, no Autódromo Hermanos Rodriguez, dia 27 de Outubro.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação