Triunfo surpreendente da JDC Miller em Sebring

A JDC Miller foi a mais rápida nas 12 Horas de Sebring, segunda prova do IMSA Sportscar, com Sebastien Bourdais, Loic Duval e Tristan Vautier a imporem-se com muita emoção à mistura: O trio francês “sobreviveu” ao volante do Cadillac DPi que foi uma constante dor de cabeça. Filipe Albuquerque terminou no 4.º lugar.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Depois de uma luta titânica para descobrir velocidade adequada para o Cadillac DPi-VR do Mustang Sampling / JDC-Miller MotorSports número 5 – e sem uma asa traseira a funcionar correctamente no final da corrida – Sebastien Bourdais encontrou o ritmo suficiente para liderar a equipa e desenhar uma vitória improvável.

Quando a parte superior da asa traseira desapareceu, a cerca de 19 minutos do fim da corrida, após uma situação de bandeiras amarelas, Sebastien Bourdais conseguiu manter-se à frente da corrida. O piloto de Le Mans conduziu a viatura danificada até linha de meta com 1,435 segundos à frente do Mazda de Harry Tincknell para conquistar a 69.ª edição do Mobil 1 12 Horas de Sebring.

Refira-se que após a última situação de bandeiras amarelas, Sebastien Bourdais alcançou mais de um segundo de vantagem sobre o Mazda RT24-P de Harry Tincknell, líder durante uma boa parte da segunda metade da prova, depois de um intenso duelo com o Cadillac DPi número 1 da Chip Ganassi, que parecia predestinado a ganhar a prova, mas que depois teve problemas quando Scott Dixon estava ao volante.

Harry Tincknell, Jonathan Bomarito e Oliver Jarvis acabariam por ser segundos no Mazda RT24-P com o número 55, relegando para a terceira posição Dane Cameron, Juan Pablo Montoya e Olivier Pla, aos comandos do Acura ARX-05 número 60 da Meyer Shank Racing que, na última largada depois de mostradas a bandeiras amarelas, deixou para trás o outro Acura ARX-05, com o número 10. Trata-se do protótipo da formação Wayne Taylor Racing que, no último turno de condução, foi conduzido por Alexander Rossi.

E, tudo isto, depois do conimbricense Filipe Albuquerque ter-se visto arredado da discussão pelo triunfo na sequência de uma colisão com o Lexus RCF de Jack Hawksworth quando efectuava a manobra de dobragem e que resultou danos no Acura ARX-05 da Wayne Taylor Racing.

Filipe Albuquerque, Alexander Rossi e Ricky Taylor, da equipa Konica Minolta Acura ARX-05, acabaram por terminar na quarta posição, numa prova marcada por um violento despiste de Thimothé Buret – que capotou o Oreca número 8 da Tower Motorsport na curva 2 e causou uma prolongada situação de bandeiras amarelas a menos de três horas do fim.

O portuense João Barbosa e os seus companheiros de equipa, Yann Clairay e Lance Willsey, atrasaram-se da discussão da prova muito cedo com o Ligier JSP320 núemro33 da Sean Creech Motorsport, terminando na quarta posição da categoria LMP3, ainda que a mais de uma volta dos vencedores, Colin Braun, Jon Bennett e George Kurz, no Ligier da Core Autosport, que assumiu o comando a hora e meia do final, aumentando depois a sua vantagem sobre os dois Ligier da Riley Motosports.

Enquanto JDC-Miller MotorSports comemorava sua improvável vitória à geral e na categoria Daytona Prototype International (DPi), outras duas equipas estavam desfrutar de triunfos nas outras classes de protótipos.

Mikkel Jensen, Ben Keating e Scott Huffaker uniram-se para levar o PR1 Mathiasen Motorsports ORECA LMP2 07 ao topo da classificação da LMP2, enquanto Colin Braun, George Kurtz e Jon Bennett conduziram o CORE número 54 autosport Ligier JS P320 à vitória na classe LMP3.

O Campeonato IMSA WeatherTech SportsCar prossegue em Mid-Ohio, de 14 a 16 de Maio, com o Acura Sports Car Challenge.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *