Trio de candidatos no Rali da Finlândia

A cinco provas do final do Mundial de Ralis, Ott Tänak (Toyota Yaris WRC) chega à Finlândia na liderança do campeonato com mais quatro pontos que Sébastien Ogier (Citroën C3 WRC) e mais sete pontos que Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC) que é terceiro.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Ott Tanak (Toyota Yaris WRC)

Criada em 1951, a prova finlandesa, então denominada Rali dos 1000 Lagos, passou a integrar o calendário do Campeonato do Mundo em 1973, com os pilotos locais a arrecadarem 55 vitórias, nas 68 edições efectuadas, com Hannu Mikkola e Marcus Gronholm, com sete vitórias, a serem aqueles que mais vezes subiram ao lugar mais alto do pódio.

O sueco Mikael Ericsson (1989), o espanhol Carlos Sainz (1990), os franceses Didier Auriol (1992), Sébastien Loeb (2008, 2011 e 2012) e Sébastien Ogier (2013) e o inglês Kris Meeke (2016) foram os únicos a conseguir interromper o domínio dos pilotos locais, com Kris Meeke (Citroen DS3 WRC) a colocar a prova como a mais rápida da história do Campeonato do Mundo ao triunfar à média de 126,62 km/h.

Sébastien Ogier (Citroën C3 WRC)

Num ano em que o campeonato está ao rubro, os três primeiros – o estónio Ott Tanak (Toyota Yaris WRC), o francês Sébastien Ogier (Citroën C3 WRC) e o belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC) – chegam à Finlândia separados por sete pontos e são os favoritos, com o finlandês Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris WRC) a parecer ser aquele que dos pilotos locais pode impedir a nona vitória de um piloto estrangeiro.

 

 

Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC)

De assinalar que, numa demonstração da justiça da luta pelo título, os candidatos à vitória somam sete triunfos em oito provas, com o espanhol Dani Sordo (Hyundai i20 Coupé WRC), vencedor em Itália, a prova anterior, a ser o único que conseguiu impedir que os três vencessem todas as provas, ainda que tenham sido circunstâncias muito especiais a permitirem-lhe o triunfo em Itália, a prova anterior, com Ott Tanak a perder a vitória que parecia certa, na derradeira especial, em consequência de “toque”, que o fez ficar sem direcção assistida.

Entretanto, ainda antes de começar, a prova finlandesa já perdeu o neo-zelandês Hayden Paddon, piloto oficial da Hyundai, mas que ia alinhar ao volante de um Ford Fiesta WRC, da M-Sport, em consequência de um violento despiste, quando testava, que deixou o carro em tão mau estado que a recuperação se revelou impossível.

Numa prova de alta velocidade e onde os “saltos” são uma constante veremos se alguém consegue surpreender e suplantar o trio da candidatos à sucessão de Sébastien Ogier.

A ESTRADA

Centrada, como sempre em Jyvaskyla, a prova finlandesa arranca, esta quinta-feira, com a Super Especial de Harju (2,31 km), que servirá de apresentação das equipas concorrentes.

Na sexta-feira, os concorrentes começam por cumprir a especial de Oittila (19,34 km), a que se segue uma dupla passagem pelas classificativas de Moksi (20,04 km), Urria (12,28 km), Assamaki (12,33 km) e Aanekoski (7,80 km), para o dia terminar com a segunda passagem por Harju (2,31 km).

Para sábado estão agendadas mais oito provas de classificação, as duplas passagens por Pihlajakoski (14,42 km), Paijala (22,87 km), a especial mais extensa da prova, Kakaristo (18,70 km) e Leustu (10,50 km).

Finalmente, no domingo haverá uma dupla passagem por Laukka (11,75 km) e Ruuhimaki (11,12 km), com a segunda por esta última a funcionar como “Power Stage”.

Ao todo os concorrentes vão percorrer 23 provas de classificação que totalizam 307,58 km, dos 1 373,67 km da extensão total da prova.

CLASSIFICAÇÕES DOS “MUNDIAIS”

PILOTOS – 1.º Ott Tanak, 150 pontos; 2.º Sébastien Ogier, 146; 3.º Thierry Neuville, 143; 4.º Elfyn Evans, 78; 5.º Teemu Suninen, 62; 6.º Kris Meeke, 60; 7.º Andreas Mikkelsen, 56; 8.º Dani Sordo, 52; 9.º Jari-Matti Latvala e Esapekka Lappi, 40; 11.º Sébastien Loeb, 39; 12.º Kalle Rovampera, 14; 13.º Benito Guerra, 8; 14.º Gus Greensmith e Marco Bulacia Wilkinson, 6; 16.º Jan Kopecky, 5; 17.º Yoann Bonato, Pontus Tidemand, e Mads Ostberg, 4; 20.º Stéphane Sarrazin, Ole Christian Veiby e Pierre-Louis Loubet, 2; 23.º Adrien Fourmaux, Ricardo Triviño, Janne Tuohino, Pedro Heller e Emil Bergkvist, 1

MARCAS – 1.º Hyundai Shell Mobis WRT, 242 pontos; 2.º Toyota Gazoo Racing WRT, 198; 3.º Citroen Total WRT, 170; 4.º M-Sport Ford WRT, 152

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação