Toyota vence 6 Horas na japonesa Fuji

No Mundial de Resistência (WEC), a marca nipónica garantiu mais uma vitória. Na ronda de Fuji, no Japão, Sebastien Buemi, Brendon Hartley e Kazuki Nakajima saíram vencedores, com António Félix da Costa foi segundo e Filipe Albuquerque quarto na categoria LMP2.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

Depois de conquistar a “pole position”, a tripulação do Toyota TS050 Hybrid número 8 não teve concorrência à altura nas 6 Horas de Fuji. Com uma perda de tempo teórica de 0,4 segundos por volta, com o novo sistema de handicap, o carro ´da Toyota com o número 7 não conseguiu levar a luta ao seu companheiro de equipa.

A chegada de chuva a meio da corrida pouco fez para alterar a ordem da classificação na frente, com ambos os Toyota a mudarem para pneus intermédios. Apesar da viatura vencedora ter uma penalização, um drive-through a duas horas de corrida, serviu somente para reduzir a vantagem.

Na ronda de Fuji, o trio de pilotos formado pelo suíço Sébastien Buémi, japonês Kazuki Nakajima e neozelandês Brendon Hartley venceu pela primeira vez esta época no Mundial de Resistência (WEC), relegando para a segunda posição o segundo Toyota pilotado por Kamui Kobayashi, Mike Conway e Jose Maria Lopez. O pódio ficou completo com o Rebellion Racing número 1 pilotado por Bruno Senna, Norman Nato e Gustavo Menezes, a duas voltas dos Toyota.

ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA

SEGUNDO NA CATEGORIA LMP2

Quanto à categoria LMP2, segunda prova do Mundial de Resistência em automobilismo, que teve uma dobradinha da Toyota, António Félix da Costa (Jota) subiu este domingo ao segundo lugar nas 6 Horas de Fuji. O carro do piloto português, que fez equipa com o mexicano Roberto Gonzalez e com o britânico Anthiny Davidson, terminou na quinta posição da geral, a 10 voltas do Toyota vencedor.

No entanto, António Félix da Costa terminou a apenas 25,808 segundos do vencedor da LMP2, o holandês Nyck de Vries (Racing Team Nederland), que faz equipa com os compatriotas Giedo Van der Garde e Frits Van Eerd.

«Fizemos uma prova ao ataque, isenta de erros, com um excelente ritmo. Este segundo lugar é um resultado muito bom para a equipa. Claramente o carro do Team Netherlands tinha um andamento superior, pelo que acabámos por perder a vitória na ponta final», referiu António Félix da Costa.

«De qualquer forma estamos a crescer, melhorámos muito o acerto do carro desde Silverstone e aqui em Fuji mostrámos que terão de contar connosco na luta pelos lugares da frente. O campeonato é longo e o importante é sermos consistentes nos pontos para chegarmos ao final na luta pelo título Mundial», acrescentou.

 

PROBLEMAS ELÉCTRICOS “EMPURRAM”

FILIPE ALBUQUERQUE FORA DO PÓDIO

Ainda nesta categoria, Filipe Albuquerque (United Autosports) terminou na quarta posição com o seu Oreca, a duas voltas do vencedor. O piloto de Coimbra, que faz equipa com os britânicos Phil Hanson e Oliver Jarvis, debateu-se com problemas eléctricos, não permitindo melhor que o quarto lugar final. A largarem da segunda posição entre os LMP2, tudo indicava que conseguissem estar na luta pela vitória, mas cedo perceberam que seria uma missão quase impossível.

«Desde o início do fim-de-semana que não encontrámos o melhor “set-up” para o Oreca, mas pior que isso, foram mesmo os problemas eléctricos, que nos obrigaram a parar três vezes em pista para fazer “reset” ao carro. Fez-nos perder muito tempo e mais de uma volta para o líder. Qualquer aspiração a uma melhor posição ficou logo condicionada, mas mesmo assim, não nos demos por vencidos e fomos dando o nosso máximo. Nestas circunstâncias, o quarto lugar acabou por ser um mal menor», começou por explicar Filipe Albuquerque.

Há no entanto que salientar a juventude do Oreca nas mãos da United Autosports: «Estamos todos ainda a conhecer o carro e a ajustarmo-nos. Na corrida passada tudo correu bem, nesta, nem por isso. Podíamos ter chegado ao pódio mas depois de perdermos mais de dois minutos, era impossível. Fica a satisfação de termos um carro competitivo, o resto teremos de resolver rapidamente para podermos voltar aos lugares da frente já na China», concluiu o piloto de Coimbra.

Na classificação do campeonato da LMP2, Frits Van Eerds e Giedo Van der Garde passaram para a liderança, com 41 pontos. Félix da Costa e Roberto Gonzalez são agora terceiros com 28 pontos.

A próxima prova do Campeonato do Mundo de Resistência tem lugar na China, com as 4 Horas de Xangai, no dia 10 de Novembro.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação