Toque de adversário danificou moto de “Falcão”

Um toque do espanhol Iker Lecunoa (KTM) na moto do português Miguel Oliveira (KTM) danificou uma das asas laterais e impediu o piloto de luso de ir hoje além do 20.º lugar no Grande Prémio de São Marino de MotoGP.

(auto.look2010@gmail.com)

Segundo explicou o piloto de Almada na conferência de imprensa após uma corrida «bastante desapontante», a moto ficou bastante mais difícil de pilotar nesta 14.ª ronda da temporada do Campeonato do Mundo de velocidade em motociclismo.

«Foi bastante desapontante. Depois de encontrar uma boa direcção e um bom “feeling”, estava optimista para uma boa corrida e terminar no “top 10”, somando bons pontos. Mas, depois do arranque, fui tocado pelo (Iker) Lecuona, o corpo dele ficou preso na minha moto e arrancou a asa (lateral). Daí em diante foi tentar chegar ao fim. A moto ficou muito instável. Só tinha “downforce” de um lado», explicou Miguel Oliveira.

O piloto almadense lembrou que «em 2019 já tinha feito uma corrida sem asa e foi mais ou menos o mesmo». Miguel Oliveira sente que «a sorte não está» do seu lado actualmente, mas confia que será possível recuperar até ao final do campeonato.

«Agora, parece que a sorte não está do nosso lado. Há momentos em que mostrámos velocidade, capacidade de conseguir outro tipo de resultados. Mas pequenos detalhes técnicos não nos permitiram ir mais longe. É a brutalidade do desporto. Não nos permite estar em forma todos os fins-de-semana. Ainda não encontrei um “set up” que me permita estar ao meu melhor. Quando o encontrar, vou ser muito competitivo», prometeu.

Miguel Oliveira revelou ainda que se manteve em pista apesar das dificuldades para «reunir o máximo de informação possível», pois o campeonato volta ao circuito Marco Simoncelli dentro de um mês, para o GP Riviera de Rimini.

«Hoje, não houve nenhum ganho, mas tentei manter-me em pista e aproximar-me de alguém. Daqui a um mês voltamos aqui e é bom tentar um esforço para recolher informação», explicou.

O piloto da KTM enfrenta, esta semana, dois dias de testes em Misano, onde hoje se disputou o GP de São Marino, em que tentará perceber o caminho a seguir em 2022, mas também encontrar soluções para melhorar este ano.

«Os testes são um momento em que vamos olhar para a próxima época e tentar terminar esta época com melhores resultados. Vamos testar peças e software», disse apenas. Com o resultado de hoje, Miguel Oliveira baixou ao 10.º lugar do campeonato, com 87 pontos.

O italiano Francesco Bagnaia (Ducati) venceu pela segunda ronda consecutiva e aproximou-se do líder do campeonato, o francês Fabio Quartararo (Yamaha), que foi segundo. Quartaro lidera com 48 pontos de vantagem sobre Bagnaia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *