Toby Price na frente com etapa encurtada

A KTM termina a primeira semana do “Dakar 2021” no comando das motos, depois de ter visto Honda e Husqvarna colocarem os seus pilotos arredados do topo da tabela de tempos. Nos automóveis, Carlos Sainz bisou mas Stéphane Peterhansel mantém liderança.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

De assinalar que a organização decidiu encurtar, em cerca de 100 km o Sector Selectivo (SS), para permitir que a partida fosse dada mais tarde do que estava previsto, com o objectivo de permitir aqueles que, ontem, estavam muito atrasados, por terem tido dificuldades na navegação e que enfrentaram a noite e as más condições atmosféricas para terminar a etapa, pudessem ter algum tempo de descanso, antes de regressarem à competição.

Apesar de não ter ido além do sétimo tempo no SS, depois de o ter comandado na fase inicial, o australiano Toby Price (KTM), quarto no início do dia, aproveitou as dificuldades de navegação sentidas pelo argentino Kevin Benavides (Honda), 17.º no SS, o francês Xavier De Soultrait (Husqvarna), 14.º e do espanhol Jose Cornejo (Honda), 11.º, que o antecediam na geral para ascender ao comando, com 2’16” de vantagem para o argentino, que desceu para segundo.

Toby Price reconhece que «é bom estar na frente nas motos, mas, neste momento, o mais importante é o dia de repouso de amanhã, depois de uma semana de altos e baixos, mas estou na luta pela vitória e pronto para enfrentar a segunda semana»

O espanhol Joan Barreda Bort (Honda) foi o mais rápido no SS, o que sucede pela terceira vez, com o português Joaquim Rodrigues (Hero) a voltar a ficar no lote dos 10 primeiros, ao ser oitavo, o que lhe permitiu ganhar duas posições e terminar a primeira semana no 17.º lugar da geral.

Já o luso-alemão Sebastian Buhler (Hero) foi 21.º no SS e ocupa idêntica posição na geral, depois de ter descido um lugar, enquanto Rui Gonçalves (Sherco Factory) foi 36.º no SS e manteve o 28.º da geral.

MINI DOMINA OPERAÇÕES

ENTRE OS AUTOMÓVEIS

Nos automóveis, o espanhol Carlos Sainz (Mini JCW Buggy) foi o mais rápido no SS, à frente do saudita Yazeed Al-Rahji (Toyota Hilux), enquanto na luta pela vitória, hoje, a vantagem foi do qatari Nasser Al-Attiyah (Toyoya Hilux) que bateu o francês Stéphane Peterhansel (Mini JCW Buggy), que conserva o comando, por escassos 18”, o que lhe permitiu reduzir o atraso para menos de seis minutos.

Para Nasser Al-Attiyah, «os pneus não nos estão a ajudar e hoje tivemos mais dois furos, mas estamos na luta e para a semana vamos tentar chegar à vitória, depois de uma semana difícil, em que todos cometemos erros, mas os nossos não foram muito graves»

Por sua vez, Stéphane Peteransel reconhece que «os seis minutos de avanço que temos não significam nada, quando atrás de nós está o Nasser, porque podem desaparecer num ápice. Foi uma boa semana, cometemos poucos erros e nunca nos perdemos nos lugares mais complicados».

Pelo caminho terá ficado o francês Sébastien Loeb (Hunter BRX), com um triângulo da suspensão partida, com a equipa a ficar à espera da assistência, para poder chegar ao final da etapa.

Entre os portugueses, Filipe Palmeiro levou o lituano Benediktas Vanagas (Toyota Hilux), ao 11.º lugar no SS, com a dupla a ganhar três lugares e a subir para o 13.º posto da geral, com Ricardo Porém (Borgward), 28.º no SS e a subir dois lugares, para passar a ser 24.º da geral, e José Marques a levar o lituano Gintias Petrus (Optimus) ao 34.º lugar no SS, com dupla luso-lituana a ser 35.ª na geral..

Nos SSV, o americano Seth Quintero (Can-Am) entra para a história da prova ao ser o mais novo (18 anos) piloto a vencer um SS, marcado pelos problemas mecânicos, por volta do km 223, sofridos pelo espanhol Francisco Lopez Cortado (Can-Am), que comandava a categoria, mas que lhe custaram quase uma hora de atraso no SS e a queda para o quarto lugar da geral, a mais de meia-hora do novo comandante, o polaco Aron Domzala (Can-Am), que parte para a segunda semana com 40” de avanço sobre o americano Austin Jones (Can-Am).

Excelente SS de Lourenço Rosa (Can-Am) a registar o nono tempo no SS, o melhor resiltado até agora, e a subir 13.º da geral, enquanto Rui Carneiro (MPP) foi 37.º no SS e a subir para 31.º da geral.

CLASSIFICAÇÕES

Sector Selectivo (348 km)

Motos – 1.º, Joan Barreda Bort (Honda), 3.45’27”; 2.º, Ross Branch (Yamaha), a 13”; 3.º, Daniel Sanders (KTM), a 53”; 4.º, Ricky Brabec (Honda), a 2’24”; 5.º, Matthias Walkner (KTM), a 3’14”; 6.º, Adrien Van Beveren (Yamaha), a 3’33”; 7.º, Toby Price (KTM), a 3’54”; 8.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 4’35”; 9.º, Sam Sunderland (KTM), a 5’54”; 10.º, Pablo Quintanilla (Husqarna), a 6’28”; …; 21.º, Sebastian Buhler (Hero), a 20’34”; …; 36.º, Rui Gonçalves (Sherco Factory), a 46’40”

Automóveis – 1.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini JCW Buggy), 3.28’27”; 2.º, Yazeed Al-Rahji/Dirk Von Zitzewitz (Toyota Hilux), a 4’03”; 3.º, Nasser Al-Attiyah/Matheu Baumel (Toyota Hilux), a 7’16”; 4.º, Stéphane Peterhansel/Edouard Boulanger (Mini JCW Buggy), a 7’34”; 5.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Toyota Overdrive), a 14’21”; 6.º, Brian Baragwanath/Taye Perry (Century CR6), a 19’16”; 7.º, Nani Roma/Alexandre Winocq (Hunter BRX), a 19’33”; 8.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota Hilux), a 22’20”; 9.º, Cyril Despres/Michael Horn (Peugeot 3008 DKR), a 25’45”; 10.º, Vladimir Vasilyev/Dmitro Tsyro (Mini JCW Rally), a 26’11”; 11.º, Benediktas Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota Hilux), a 27’44”; …; 28.º, Ricardo Porém/Jorge Monteiro (Borgward), a 55’25”; …; 34.º, Gintias Petrus/José Marques (Optimus), a 1.10’58”.

SSV – 1.º, Seth Quintero/Dennis Zenz (OT3), 4.20’23”; 2.º, Khalifa Al-Attiyah/Paolo Ceci (Can-Am), a 23”; 3.º, Gerard Farres Guell/Armand Monleon (Can-Am), a 4’34”; 4.º, Austin Jones/Gustavo Gugelmin (Can-Am), a 5’49”; 5.º, Aron Domzala/Maciej Marton (Can-Am), a 7’46”; …; 9.º, Lourenço Rosa/Joaquim Dias (Can-AM), a 25’50”; .; 37.º, Rui Carneiro/Filipe Serra (MMP), a 1.15’09”; …;

Geral

Motos – 1.º, Toby Price (KTM), 24.08’43”; 2.º, Kevin Benavides (Honda), a 2’16”; 3.º, Jose Cornejo (Honda), a 2’57”; 4.º, Ross Branch (Yamaha), a 3’41”; 5.º, Xavier De Soultrait (Husqvarna), a 3’41”; 6.º, Sam Sunderland (KTM), a 4’23”; 7.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 6’25”; 8.º, Skyler Howes (KTM), a 10’12”; 9.º, Lorenzo Santolini (Sherco Factory), a 13’46”; 10.º, Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 15’13”; …; 17.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 45’01”; …; 21.º, Sebastian Buhler (Hero), a 1.26’45”; …; 28.º, Rui Gonçalves (Sherco Factory), a 2.43’47”

Automóveis – 1.º, Stéphane Peterhansel/Edouard Boulanger (Mini JCW Buggy), 22.14’03”; 2.º, Nasser Al-Attiyah/Matheu Baumel (Toyota Hilux), 5’53”; 3.º, Carlos Sainz/Lucas Cruz (Mini JCW Buggy), a 40’39”; 4.º, Jakub Przygonski/Timo Gottschalk (Toyota Hilux), a 1.11’36”; 5.º, Nani Roma/Alexandre Winocq (Hunter BRX), a 1.36’55”; 6.º, Brian Baragwanath/Taye Perry (Century CR6), a 1.50’32”; 7.º, Vladimir Vasilyev/Dmitro Tsyro (Mini JCW Rally), a 2.05’74”; 8.º, Khalid Al Qassimi/Xavier Panseri (Peugeot 3008 DKR), a 2.07’21”; 9.º, Giniel De Villiers/Alex Haro (Toyota Hilux), a 2.12’12”;

10.º, Martin Prokop/Viktor Chytka (Ford RS Cross Country), a 2.29’07”; …;  13.,º, Benediktias Vanagas/Filipe Palmeiro (Toyota Hilux), a 3.04’33”; …; 24.º, Ricardo Porém/Jorge Monteiro (Borgward), a 3.51’13”; …; 35.º, Gintias Petrus/José Marques (Optimus), a 6.59’58”.

SSV – 1.º, Aron Donzala/Maciej Marton (Can-Am), 27.04’29”; 2.º, Austin Jones/Gustavo Guglemin (Can-Am), a 40”; 3.º, Seth Quintero/Dennis Zenz (OT3), a 8’26”; 4.º, Francisco Lopez/Juan Pablo Latrach (Can-Am), a 35’51”; 5.º, Sergei Kariakin/Anton Vlasiuk (Can-Am), a 36’37”; …; 13.º, Lourenço Rosa/Joaquim Dias (Can-Am), a 2.49’26”…; 31.º, Rui Carneiro/Filipe Serra (MMP), a 8’21’41”

AMANHÃ É DIA DE DESCANSO

Ao fim de sete dias de competição, homens e máquinas têm o tão desejado dia de descanso, que vai permitir recuperar físicos e mecânicas, para os seis dias que faltam até ao final da prova. Em contrapartida será um dia de intenso trabalho para as equipas de assistência, que muito terão de trabalhar para devolver as máquinas às equipas nas melhores condições possíveis, uma vez que o recomeço é feito com uma etapa maratona, que começa por ligar Há’Il a Sakaka e para terminar com a ligação de Sakaka a Néon, com a ausência das equipas de assistência em Sakaka.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *