Thierry Neuville o mais rápido no “Shakedown”

Um traçado de 4,60 km, desenhado junto à cidade de Paredes, marcou o início da edição 2019 do Vodafone Rali de Portugal que, ao que tudo indica, permanecerá no calendário mundial, pelo menos, até 2021.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

O belga Thierry Neuville (Hyundai i20 Coupé WRC) foi o mais rápido no “shakedown) ao bater por 0,1 segundo o inglês Kris Meeke (Toyota Yaris WRC) e o finlandês Teemu Suninen (Ford Fiesta WRC) por 0,4 segundo, com três carros de marcas diferentes nas três primeiras posições o que pode ser um bom indicativo para a prova.

O finlandês Esapekka Lappi (Citroën C3 WRC), com o oitavo tempo foi o mais rápido dos pilotos da marca francesa, com o francês Sébastien Ogier (Citroën C3 WRC) a não ir além do 11.º tempo a 2,4 segundos do tempo efectuado por Thierry Neuville.

TEODÓSIO MAIS RÁPIDO ENTRE OS PORTUGUESES

Entre os portugueses, Ricardo Teodósio (Skoda Fabia R5), no 27.º, registou o melhor tempo, ao bater Armindo Araújo (Hyundai i20 R5) por 0,6 segundos e Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5), por 0,8 segundos.

O arranque formal acontecerá, esta tarde, em Coimbra (19h00), no largo D. Diniz, cidade que, pela primeira vez, é palco da partida da prova, com a cerimónia de apresentação dos concorrentes, que seguem para o Parque Fechado instalado próximo da Porta Férrea.

Amanhã será o contacto com as especiais da zona centro, que estão de regresso ao traçado da prova, indo ao encontro daquilo que era o desejo de muitos, com os concorrentes a terem de cumprir uma dupla passagem pelas especiais da Lousã (12,35 km – 9h45 e 13h51), num traçado novo, Góis (18,78 km – 10h32 e 14h35), que é feito em sentido contrário, mas com outra versão, e Arganil (14,44 km – 11h20 e 15h23), que utiliza o grande parte do percurso feito em 2000 e 2001, mas com um final diferente, com a cidade de Arganil a ser local do reagrupamento e reabastecimento, entre as duas passagens.

O dia termina com a Super Especial de Lousada (3,36 km – 19h03), com a caravana a rumar à Exponor, para a primeira assistência à mecânica que muito “sofreu” no dia de abertura da prova.

Melhores tempos do “Shakedown” – Thierry Neuville/Nicolas Gilsoul (Hyundai i20 Coupé WRC), 3’02,1” (3); Kris Meeke (Toyota Yaris WRC), 3’02,2” (4); Teemu Suninen (Ford Fiesta WRC), 3’02,5” (4); Ott Tanak (Toyota Yaris WRC), 3’02,7” (3); Sébastien Loeb (Hyundai i20 Coupé WRC), 3’02,7” (4); Dani Sordo (Hyundai i20 Coupé WRC), 3’03,0” (3); Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris WRC), 3’03,2” (4); Esapeka Lappi (Citroen C3 WRC), 3’03,4 (3); Gus Greensmith (Ford Fiesta WRC), 3’03,8” (4); Elfyn Evans (Ford Fiesta WRC), 3’03,8” (3); …; Ricardo Teodósio (Skoda Fabia R5), 3’18,2” (2); …; Armindo Araújo (Hyundai i20 R5), 3’18,8”; …; Miguel Barbosa (Skoda Fabia R5), 3’19,0” (3); José Pedro Fontes (Citroen C3 R5), 3’20,1” (2); Pedro Meireles (VW Polo GTi R5), 3’21,5” (2). Entre parêntesis o número de passagens efectuadas

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação