Terceira “pole” consecutiva de Fabio Quartararo

Miguel Oliveira garantiu o 10.º lugar da grelha de partida para o Grande Prémio de França, depois de ter chegado à segunda qualificação de forma directa, graças aos tempos realizados nas sessões de treinos.

PEDRO RORIZ (auto.look2010@gmail.com)

Tal como sucedeu o ano passado, o francês Fabio Quartararo (Yamaha) dominou a qualificação para o Shark Grand Prix de France e vai partir, pela terceira vez consecutiva da primeira posição da grelha, com a marca dos três diapasões a conseguir o 1-2, por o espanhol Maverick Viñales (Yamaha) ter feito o segundo tempo, cabendo ao australiano Jack Miller (Ducati) completar a primeira linha da grelha.

A Honda chegou a dar a sensação de ir dominar a qualificação, quando a poucos minutos do final da sessão tinha três pilotos nas três primeiras posições, mas as últimas voltas da concorrência relegaram a melhor mota da marca japonesa, a do espanhol Marc Marquez (Honda) para o sexto lugar.

Uma queda terá impedido o português Miguel Oliveira (KTM), que, desta vez, não teve de passar pela Q1, de ir além da 10.ª posição, sendo o melhor dos pilotos da marca austríaca e o único que teve entrada na Q2.

«Entrei no primeiro sector e estava a chover. Os comissários não mostraram a bandeira da chuva e acabei por cair. A queda foi rápida, mas sem consequências fisicamente», disse Miguel Oliveira, numa conferência de imprensa virtual após a sessão.

O piloto da KTM acredita que, sem essa queda, «poderia ter feito melhor» do que aquilo que fez, mas, ainda assim, assumiu-se “confiante e optimista” para a corrida de domingo: «Tenho-me sentido confiante em todas as corridas. Às vezes, lutamos com a mota. Aqui tem havido altos e baixos, mas temos sido competitivos em todas as condições. Estou a perceber a mota e os pneus», frisou.

A imprevisibilidade das condições meteorológicas em Le Mans será a chave para a corrida de domingo. «O tempo não conseguimos controlar. O que esperamos é que, sendo chuva ou piso seco, que seja estável. Iremos sempre reagir de acordo com o que iremos encontrando em pista. Os pneus fazem parte dessa reacção», apontou.

A chuva condicionou a qualificação das Moto2, com o espanhol Raul Fenandez (Kalex) a conquistar a primeira “pole” na categoria, levando a melhor sobre o italiano Marco Bezzecchi (Kalex) e o americano Joe Roberts, com o espanhol Aron Canet (Coscoscuro) a registar o quarto tempo e a intrometer-se entre a esquadra da Kalex.

Com o asfalto molhado, numa zona do circuito, e seco, noutra, os pilotos de Moto3 tinham que optar em usar pneus de chuva ou “slicks” para a qualificação, com a escolha a determinar o desfecho.

O Italiano Andrea Migno (Honda) optou pelos “slicks” e garantiu a “pole position”, a terceira da sua carreira, com dois segundos de vantagem sobre o seu compatriota Ricardo Rossi (KTM), pela primeira vez a largar da primeira linha da grelha, que é completada pelo espanhol Jaume Masia (KTM).

O comandante do campeonato, o espanhol Pedro Acosta (KTM), vai arrancar da 21.ª posição e não surpreenderá, a exemplo do que sucedeu nas corridas anteriores, que faça uma espectacular recuperação que leve, no mínimo, aos lugares pontuáveis.

O brasileiro Eric Granado (Energica) foi o mais rápido das MotoE, à frente do espanhol Miguel Pons (Enegica) e do italiano Matteo Ferrai (Energica), numa sessão de qualificação em que a chuva foi uma constante, o que explica as diferenças de tempos, função da maior capacidade de adaptação de cada piloto às condições de aderência da pista.

O português André Pires (Energica) conseguiu suplantar três adversários a registou o 15.º tempo da sessão.

GRELHAS DE PARTIDA

MotoGP – 1.ª linha: Fábio Quartararo (Yamaha), 1’32,600”; Maverick Viñales (Yamaha), 1’32,681”; Jack Miller (Ducati), 1’32,704”; 2.ª linha: Franco Morbidelli (Yamaha), 1’32,766”; Johann Zarco (Ducati), 1’32,877”; Marc Marquez (Honda), 1’33,037; 3.ª linha: Takaaki Nakagami (Honda), 1’33,120”; Pol Espargaro (Honda), 1’33,150”; Valentino Rossi (Yamaha), 1’33,391; 4.ª linha: Miguel Oliveira (KTM), 1’33,867”; Lorenzo Salvadori (Aprilia), 1’34,258”; Luca Marini (Ducati), 1’34,265”. Alinham mais 10 pilotos

Moto2 – 1.ª linha: Raul Fernandez (Kalex), 1’50,135”; Marco Bezzecchi (Kalex). 1’50,375”; Joe Roberts (Kalex), 1’50,514”; 2.ª linha: Aron Canet (Boscoscuro), 1’50,782; Augusto Fernandez (Kalex), 1’50,796”; Bo Bendsneyder (Kalex), 1’51,32”; 3.ª linha: Remy Gardner (Kalex), 1’51,146”; Hector Garzo (Kalex), 1’51,215”; Stefano Manzi (Kalex), 1’51,360”. Alinham mais 22 pilotos

Moto3 – 1.ª linha: Andrea Migno (Honda), 1’47,407”; Ricardo Rossi (KTM), 1’49,408”; Jaume Masia (KTM); 1’49,611”; 2.ª linha: John McPhee (Honda), 1’49,640”; Gabriel Rodrigo (Honda), 1’49,684”; Niccolò Antonelli (KTM), 1’49,894”; 3.ª linha: Filip Salac (Honda), 1’50,594”; Sergio Garcia (Gasgas), 1’50,786”; Tatsuki Suzuki (Honda), 1’50,927”. Alinham mais 20 pilotos

MotoE – 1.ª linha: Eric Granado (Energica), 2’00,315”; Miguel Pons (Energica), 2’00,416”; Matteo Ferrari (Energica), 2’00,655”; 2.ª linha: Xavi Cardelus (Energica), 2’01,437”; Alessandro Zaccone (Energica), 2’02,197”; Dominique Aegerter (Energica), 2’03,417”; 3.ª linha: Andrea Mantovani (Energica), 2’03,772”; Fermin Aldeguer (Energica), 2’04,842”; Yonny Hernandez, (Energica), 2’05,245”; …; 5.ª linha: Corentin Perolari (Enegica), 2’09,152”; Jasper Iwema (Enegica), 2.09,421”; André Pires (Energica), 2’09,711”. Alinham mais três pilotos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *