Teotónio e Silva vencem Kumho em Vouzela

Continua a senda de sucesso e domínio KUMHO nos ralis. Desta feita, num rali onde as condições climatéricas adversas tornavam os pneus um factor decisivo, os Kumho “calçaram” os carros das equipas que dominaram o Constálica Rallye Vouzela, com um saboroso “1-2” na classificação final global e um excelente “1-2-3” nas contas do CCR!

AMÂNDIO JOAQUIM SANTOS (auto.look2010@gmail.com) – Fotos: NUNO DINIS PHOTOS

Fernando Teotónio e Luís Morgadinho levaram o Mitsubishi EVO IX a mais uma fantástica vitória à geral, desta feita no Constálica Rallye Vouzela, prova integrada no Campeonato Centro de Ralis e que contava para os desafios Kumho Centro e Kumho Asfalto. O triunfo foi conquistado depois de terem protagonizado um fabuloso duelo com Gaspar Pinto e Bernardo Gusmão, estes aos comandos de um EVO V.

As duas duplas Kumho revezaram-se na liderança da prova e na conquista de especiais. Fernando Teotónio foi o primeiro comandante, Gaspar Pinto chegou à liderança na 2.ª especial, lá permanecendo até ao fecho da 5.ª. Quanto ao taco-a-taco na primazia pelos melhores tempos, o piloto do Fundão conquistaria seis especiais e o de Alpendurada três.

No término do rali, apenas 13, 1 segundos separaram as duas equipas Kumho no pódio absoluto, levando ainda para casa as duas primeiras posições na Divisão 1 do Desafio Kumho Portugal, onde foram acompanhados por Armando Carvalho e Ana Santos, que voltaram a conquistar mais um justo pódio CCR e Kumho, ao concluírem no 3.º lugar.

O Mitsubishi Lancer EVO IV de Nuno Mateus e Paulo Pimentel garantiu a 4.ª posição na divisão, sendo de destacar que a dupla foi 2.ª entre os clássicos, numa excelente operação na luta pelo ceptro nacional. O 5.º posto foi para a equipa formada por Rui Silva Santos e Eduardo Santos, num andamento equilibrado, com o Subaru Impreza a funcionar de forma positiva e mais um resultado relevante.

PEDRO SILVA VENCE EM VOUZELA NA DIVISÃO 2 KUMHO

Na luta pelo triunfo na Divisão 2 Kumho, a prova vouzelense teve duas fases distintas. Mais rápido na dupla passagem pela super especial de abertura e também vencedor das duas primeiras especiais da manhã de domingo, os espanhóis Ruben Silva e Adriana Alvarez, tripulando um Honda Civic Type R, pareciam encaminhados para um triunfo sólido mas, um problema na caixa de velocidades, levou-os a abandonar o rali após a 4.ª PEC, entregando o comando a Pedro Silva e Luís Ribeiro que, até esse momento, tinham sido os únicos a dar luta ao conjunto espanhol.

A equipa portuguesa viu-se assim no comando e levou o seu Peugeot 206 GTi a um justo triunfo, alicerçado cinco vitórias em especiais, sendo sempre segundos nas restantes. Nem uma penalização de 1 minuto lhes retirou o merecido triunfo, embora os tenha feito passar por momentos de grande pressão na recta final da prova.

O 2.º lugar final foi alcançado pelo Citroën C2 da dupla Filipe Abrantes e Tiago Amado, cabendo a Filipe Matos e Nuno Carvalhosa a proeza de colocarem o seu Peugeot 206 GTi no último degrau do pódio. Entraram no último troço na liderança (mercê da penalização dos futuros vencedores), mas uma saída de estrada fê-los perder muito tempo e cair para o terceiro posto.

Hélder Cordeiro e Bruno Pereira terminaram no 4.º lugar final, mostrando todos os seus dotes de condução em condições bem difíceis para a tracção traseira do seu Ford Escort RS MKII. A 5.ª posição foi para a dupla Paulo Santos e Valter Santos (Peugeot 205 GTi), enquanto Luís Almeida e Ricardo Bettencourt rodaram sempre com muita regularidade no Fiat Punto HGT, chegando ao final no sexto lugar, garantindo assim mais pontos para a luta na divisão.

Quanto a Bruno Almeida e Pedro Dias, não passaram da quarta especial, com problemas no Seat Ibiza. Foram também problemas mecânicos a ditar outras três desistências, estas bem precoces. António Almeida e Pedro Henriques viram o BMW 325 quedar-se pela super especial de abertura, o mesmo sucedendo ao Citroën Saxo Kit Car de José M. Gomes e Pedro Vaz.

Na primeira especial do segundo dia, foi o Opel Kadett de Victor Gomes e Jorge Moreira a ceder, forçando-os a desistir. Alinharam 17 duplas Kumho à partida da prova, tendo 12 logrado arribar ao palanque final.

A próxima prova do Desafio Kumho Portugal será a sul. Será no Alenetejo para disputar o Rali Flor do Alentejo – Cidade de Serpa, nos dias 28 e 29 de Setembro. A prova será mais um duplo desafio, pois é mais um rali a contar para a luta nos desafios Kumho Sul e Kumho Terra.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação