Teotónio domina “Centro” no Rali de Mortágua

No jogo do “gato e do rato”, Fernando Teotónio acabou por superar Fernando Peres no Rali de Mortágua, terceira ronda do Campeonato Centro de Ralis – segunda em pisos de terra –, com uma vantagem de 13,6 segundos.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt) – Fotos: NUNO DINIS PHOTOS

Fernando Teotónio e Luís Morgadinho

Numa vitória bastante discutida, em que a dupla do Porto, Fernando Peres e José Pedro Silva foi mais rápida por 0,3 segundos no Águeda Street Stage Travocar, mas cedendo 1,1 segundos na super-especial nocturna de Mortágua, a formação do Fundão, Fernando Teotónio e Luís Morgadinho, fechou o primeiro dia na liderança por 0,9 segundos.

Estava dado o mote para uma luta titânica pelo triunfo, não só pelo protagonismo evidenciado pelos dois pilotos “armados” por Mitsubishi Lancer Evo IX, mas também pelo “conflito” de interesses que se verificava na “retaguarda”, em que Armando Carvalho, navegado por Ana Santos, colocava o Mitsubishi Lancer Evo V e posição para se imiscuir nesta “briga”.

Fernando Peres e José Pedro Silva

Aliás, o piloto de Vila Nova de Poiares deixou bem vincado da sua intenção quando, na abordagem da primeira passagem por Águeda Street Stage Travocar, ao cotar-se o segundo mais rápido, a 0,2 segundos de Fernando Peres, com Luís Mota e Alexandre Ramos (Mitsubishi Lancer Evo IX) e Luís Simões e Flávio Lopes (Mitsubishi Lancer Evo IV) a protagonizarem um “braço de ferro” nos quilómetros inaugurais.

Face a este vitaminado “aperitivo”, o segundo e derradeiro dia de prova correspondente ao Campeonato Centro de Ralis gerava enorme expectativa, sobretudo depois de Fernando Peres entrar de novo ao ataque e “colher” segundos preciosos na primeira passagem por Mortágua – Chão de Calvos.  O experiente piloto da Peres Competições necessitou de 4m10,1s para superar os 5.66 km da especial, recuperando a liderança e a usufruir de uma vantagem de 2,2 segundos para o piloto do Fundão, que gastou mais 3,1 segundos.

Armando Carvalho e Ana Santos

ARMANDO CARVALHO E ANA SANTOS IMPLACÁVEIS

Por seu turno, Armando Carvalho não desarmava, continuando na missão de perseguição com destreza, numa altura em que Luís Mota e Luís Simões começavam a deixar “fugir” o trio da frente, ao passo que Leonardo Coelho e Filipe Gomes, aos comandos de um Subaru Impreza WRX STi começaram a “emergir” por entre o pó das classificativas. Tratando-se de uma dupla de Mortágua e que, perante o seu público e num terreno que lhe é particularmente familiar, tencionava contribuir para o bom nome da prova caseira.

 

Leonardo Coelho e Filipe Gomes

Sentindo-se “ameaçado” pela perigosidade de Fernando Peres, o piloto do Fundão arregaçou as mangas e logrou o triunfo na especial Sobral – Tojeira (18 km), com o tempo de 12m25,8s. Já o seu mais directo opositor cedeu 12,2 segundos e caiu para segundo, a 10 segundos do novo líder. Por seu turno, Armando Carvalho mantinha-se “firme e hirte” na terceira posição, mas Leonardo Coelho passou a ser uma ameaça para Luís Mota, com o mortaguense a travar-se de razões para, pelo menos, alcançar a quarta posição.

Fernando Teotónio tomou-lhe o gosto e, na especial seguinte, Felgueira 1 (16,92 km), não enjeitou novo triunfo por 14,4 segundos, dilatando para 24,4 segundos a vantagem para a dupla portuense, altura em que Leonardo Coelho suplantou o piloto do Cartaxo, Luís Mota, que nada pode fazer para contrariar o andamento vivo e persistente do mortaguense.

Luís Mota e Alexandre Ramos

FERNANDO PERES VENCE AS DERRADEIRAS ESPECIAIS

Atendendo ao “intervalo” existente entre os dois primeiros classificados, em que o líder apenas teve de controlar os movimentos de Fernando Peres, ao piloto da Peres Competições competia-lhe, e bem, manter a toada e usufruir do estatuto de mais rápido nas derradeiras especiais, “roubando” a Fernando Teotónio quase metade do tempo de vantagem que dispunha para o portuense terminar a 13,6 segundos do vencedor.

Com os dois primeiros lugares atribuídos depois de um esgrimir de argumentos interessantes, a jovem dupla de Vila Novas de Poiares, Armando Carvalho e Ana Santos, ocupou o degrau mais baixo do pódio, a 49,2 segundos de Fernando Teotónio, fruto de um andamento vivo e consistente, deixando também um rasto de excelência nas especiais do concelho de Mortágua.

Gonçalo Henriques e Tomás Branco

LEONARDO TIROU UM “COELHO” DA CARTOLA

Mas a grande surpresa tem dois nomes: Leonardo Coelho e Filipe Gomes. Ao volante de um Subaru Impreza WRX STi, a dupla a acelerar em “casa”, que até começou a prova de forma pouco agressiva, dando a ideia de que asfalto não é um terreno de eleição – Águeda Street Stage Travocar e super-especial de Mortágua –, abordou os pisos de terra com outro “chip” e, paulatinamente, foi conquistando lugares cimeiros na pauta classificativa.

A mudança de paradigma permitiu aos mortaguenses encerrar a prova do Clube Automóvel do Centro na quarta posição, a 2m14,5s do vencedor, mas à frente de Luís Mota, que encerrou o “top five”, por escassos 0,2 segundos. Elucidativo.

António Santos e Tiago Silva

Ricardo Filipe e Fernando Almeida (Mitsubishi Carisma GT), a 2m59,1s; Daniel Ferreira e Rodrigo Pinheiro (Mitsubishi Carisma GT), a 3m37,8s; Gaspar Pinto e Bernardo Gusmão (Mitsubishi Lancer Evo V), a 3m39,8s; Luís Simões e Flávio Lopes (Mitsubishi Lancer Evo IV), a 4m17,7s; Rui da Silva Santos e Francisco Santos (Subaru Impreza WRX STi), a 4m34,1s, classificaram-se no lote de sextos a décimos lugares, respectivamente.

 

 

GONÇALO HENRIQUES O MELHOR NAS 2 RODAS MOTRIZES

Com rótulo de excelência culminou o jovem poiarense Gonçalo Henriques que, navegado pelo conimbricense Tomás Branco, conduziu o Renault Clio ao 11.º lugar, a 5m19,6s do vencedor Fernando Teotónio, mas a levar para o troféu alusivo ao triunfo das 2 Rodas Motrizes.

Numa prova em que se perfilava um bom conjunto de equipas com o desejo de vencer, Gonçalo Henriques, em defesa de Poiarespeças, ofereceu um recital e distinta condução aos milhares de espectadores que emolduraram as especiais do Rali de Mortágua, numa operação muito positiva para os seus fãs e patrocinadores, mostrando uma competitividade impressionante nesta grande festa do Desporto Automóvel.

Luís Almeida e Ricardo Bettencourt

Entre as equipas presentes e que também saborearam a passagem pelo pódio em sinal de consagração pela conclusão da prova, destacam-se as apoiadas por AUTOLOOK. Trata-se do Team Habimóvel AS Racing, com António Santos e Tiago Silva (Opel Kadett GSI) a cotarem-se os 13.º mais rápidos, a 9m38,8s do vencedor. Já Luís Almeida e Ricardo Bettencourt, ao volante de um Fiat Punto HGT 16V, concluíram a odisseia de Mortágua na 17.ª posição, a 13m24,0s

As duas equipas Team Habimóvel AS Racing evidenciaram que estão com vontade de regressar ainda mais fortes, sobretudo depois de uma prova vincada pela dureza e extremamente difícil, onde estiveram num nível muito superior aquelas que eram as suas melhores expectativas, alcançando ainda o primeiro e o segundo lugar nas respectivas classes e um segundo e sexto posto no Desafio Kumbo.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação