Teodósio apresenta exposição e Araújo na frente

Tirsense mostrou-se «muito satisfeito» por ter assumido a posição de melhor piloto nacional no Vodafone Rally de Portugal. Contudo, Ricardo Teodósio já apresentou uma exposição ao diretor de prova «por ter sido prejudicado pelo pó provocado por um concorrente que seguia à sua frente.

(auto.look2010@gmail.com)

Armindo Araújo e Luís Ramalho (Skoda Fabia Rally Evo)

O piloto de Santo Tirso, em Skoda Fabia Rally Evo, tinha na sexta-feira ficado atrás de Ricardo Teodósio, principal rival na luta pelo estatuto de melhor luso, mas este sábado terminou o dia na 15.ª posição da classificação da geral, um lugar acima do algarvio, com 11 segundo de vantagem.

«Estou muito satisfeito com a prestação. Estivemos ao ataque, tal como dissemos, e vencemos todos os troços do dia nessa luta pelo lugar de melhor português. Apostamos muito nos troços longos para marcar a diferença, e acho que fizemos um grande trabalho. Parabéns à equipa pela preparação do carro», disse Armindo Araújo.

O piloto nortenho confessou que, ao contrário da véspera, quando tive dois furos que o atrasaram na classificação geral, este sábado foi «um dia em cheio e sem problemas mecânicos», concluído com um brilhante terceiro melhor tempo na final super-especial no Porto.

«Foi um bom tempo, mas na verdade não pensei muito na classificação desta etapa no Porto. O meu objetivo para hoje era passar para melhor entre os portugueses. Sinto-me feliz por ter dado um bom espetáculo e acabar o dia numa boa posição», concluiu Armindo Araújo.

Ricardo Teodósio (à direita) e José Teixeira apresentaram uma exposição por manifestarem que foram prejudicado por um concorrente

Já Ricardo Teodósio, em Hyundai i20 N Rally2 e que agora ocupa o 16.º posto da geral, não desmoralizou com o tempo perdido para Armindo Araújo, e apontou os problemas com a visibilidade nas etapas, devido ao pó, como um dos fatores.

«Começamos o dia no nosso ritmo, com cautelas e a gerir o tempo que tínhamos. Acreditávamos que nesta toada podíamos chegar ao fim do dia com 15 segundos de avanço para Armindo Araújo. Mas apanhámos o pó do adversário que ia na frente e perdemos mais 18 segundos, que acabam por fazer diferença», explicou.

O piloto algarvio sublinhou que «foi feita uma exposição ao diretor de prova» para que, pelo menos, lhe seja atribuído o tempo da passagem anterior ao problema, esperando que «haja boa-fé, mas prometendo, de qualquer forma, «terminar o rali ao ataque este domingo».

«Este último dia será disputado em troços que conhecemos bem, e vamos andar o que sabemos e atacar para o objetivo de sermos os melhores portugueses», prometeu Ricardo Teodósio.

O pódio dos melhores pilotos lusos neste Rali de Portugal é completado por Paulo Caldeira e Ana Gonçalves, em Citroën C3 Rally2, com a quarta posição na posse de Nuno Kaetanen e Mouta Sofia, ao volante de u Renault Clio RS R3T.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.