Tempestade de areia nos testes de MotoGP

Uma tempestade de areia interrompeu mais cedo o quinto e último dia de testes de pré-temporada de MotoGP, o qual o português Miguel Oliveira (KTM) não rodou.

(auto.look2010@gmail.com)

Apenas quatro pilotos completaram voltas ao circuito de Losail, que ficou com muita área espalhada pelo asfalto, tendo sido o italiano Danilo Petrucci (KTM) o mais rápido, em 1m58,157s, cerca de cinco segundos mais lento do que o melhor tempo conseguido ao longo destes testes pelo australiano Jack Miller (Ducati), na quarta-feira.

Esta última bateria de três dias ficou, ainda, marcada pela velocidade de ponta atingida pelo francês Johann Zarco (Ducati) na quinta-feira, com os 357,6 quilómetros por hora a serem o máximo até hoje registado na categoria “rainha” do Mundial de velocidade.

Estes cinco dias acabaram por ser “produtivos” para a equipa oficial da KTM, pela qual alinha o português Miguel Oliveira. De acordo com o comunicado da equipa, emitido hoje, foi possível testar «vários componentes», incluindo «aerodinâmicos e da suspensão».

Na junção dos tempos, Miguel Oliveira ficou com o 16.º melhor registo: «Honestamente, estou muito satisfeito com o trabalho desenvolvido com este grupo tão profissional de pessoas», começou por dizer o piloto português, citado pelo comunicado da equipa.

Miguel Oliveira lembrou que foi preciso adaptar-se à mudança «da equipa Tech3 para a equipa oficial», dizendo sentir-se «apreciado enquanto piloto» por haver «mais pessoas com mais funções» a operar à sua volta.

«Dei o máximo para fazer um bom trabalho e testar tudo o que podíamos e ainda fazer bons tempos», sublinhou ainda o piloto de Almada, reconhecendo que gostaria «de ter sido um pouco mais rápido» se pudesse ter rodado neste último dia. Ainda assim, o piloto português, que em 2020 venceu duas corridas (na Estíria e em Portimão), mostrou-se «muito optimista» para enfrentar os fins-de-semana de corridas que se avizinham.

Já o austríaco Mike Leitner, director desportivo da equipa laranja, sublinhou o «trabalho realizado pelos pilotos». «Fizeram um trabalho mesmo bom e muito dedicado. O Miguel [Oliveira] não fez tempos super-rápidos, mas conseguiu rodar longos períodos de voltas e ficámos muito felizes com isso», destacou.

O campeonato arranca em 28 de Março, no Qatar, com a segunda prova a realizar-se uma semana mais tarde (4 de Abril) no mesmo traçado de Losail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *