T.50s Niki Lauda nascido e “ensinado” para a pista

O engenheiro Gordon Murray revelou o último super-carro de pista. Trata-se do T.50s Niki Lauda em homenagem ao piloto austríaco com quem trabalhou na Fórmula 1.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

O T.50s Niki Lauda não foi revelado num dia qualquer. Gordon Murray fez questão de o mostrar a sua “obra-prima” precisamente no dia em que Niki Lauda assinalaria o 72.º aniversário.

O campeão mundial, que nasceu em Viena a Viena, 22 de Fevereiro de 1949 — faleceu em Zurique, a 20 de Maio de 2019 —, certamente teria admirado este presente de aniversário.

 

Gordon Murray apresentou o super-carro T.50s Niki Lauda com características impressionantes e, literalmente, reservado para evoluir em altas velocidades em pista. O modelo deriva do revolucionário Brabham BT46B construído por Gordon Murray, com o qual Niki Lauda conduziu, em 1978, ao triunfo no Grande Prémio da Suécia. Outros pormenores podem ser vistos e apreciados, nomeadamente a incutida barbatana de asa-delta Brabham BT52 ou o divisor que faz lembrar os LMP1 dos dias de hoje.

À semelhança do seu antecessor, o T.50s Niki Lauda resplandece de imediato com seu extractor gigante na traseira, que o torna ainda mais impressionante na versão de pista. Um modelo bastante diferenciados do de estrada, uma vez que desenvolve um suporte muito maior em torno de 1.500 kg.

Pode-se afirmar que o novo modelo anda de mãos dadas com um peso significativamente reduzido, ou seja, na ordem dos 852 kg. A potência do V12 é 715 cv. A relação potência/peso deste V12 é de 825 cv, ao nível de um LMP1 que permitirá à viatura mudar de direcção como um puro Fórmula 1. A velocidade máxima atinge cerca de 330 km/h em uma pista como no traçado francês de Le Mans.

O T.50s Niki Lauda será produzido num máximo de 25 unidades e, cada chassi, terá um nome diferente, sendo o primeiro Nürburgring 1974.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *