Sam Sunderland dá gás à GasGas até à liderança

Piloto britânico venceu hoje a oitava etapa das motos no Rali Dakar e recuperou a liderança da competição, perdida na véspera. Joaquim Rodrigues Jr. (Hero) foi o melhor português ao terminar a tirada na oitava posição, a 9m58s do vencedor.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Sam Sunderland (GasGas)

Sam Sunderland (GasGas) foi o mais rápido ao longo de do Sector Selectivo e, como consequência, regressou ao comando da prova, com o tempo de 27h38m42s, menos 3m45s que o austríaco Matthias Walkner (KTM), segundo classificado. Já o francês Adrien Van Beveren (Yamaha), que tinha começado no comando das duas rodas, não foi além do nono lugar e caiu para terceiro, a 4m03s do novo líder.

Uma das consequências da etapa de hoje foi a redução de seis para quatro o número de pilotos no topo da tabela classificativa separados por menos de 10 minutos, com o argentino Kevin Benavides (KTM) e o espanhol Lorenzo Santolini (Sherco) a perderem tempo e a descerem na tabela e a ficarem mais longe da luta pela vitória.

Matthias Walkner (KTM)

Mas como no Rali Dakar cada dia são dunas a perder de dúvidas, tudo pode mudar de um momento para o outro, resultado de uma errada escolha da pista a seguir. Face ao bom sentido de navegação de Sam Sunderland, o piloto inglês recuperou o comando da classificação à geral, perdido na véspera, até porque o anterior líder, o francês Adrien van Beveren, teve de abrir hoje a pista.

Dando mais um passo positivo em direção à linha de chegada do Rali Dakar, o piloto Monster Energy Yamaha Rally Team completou a desafiadora oitava etapa no nono lugar, a 10m21s. Ao fazê-lo, o francês faz agora parte de um grupo de quatro pilotos que se destaca na frente dos resultados gerais e ocupa o terceiro lugar na classificação.

Adrien van Beveren (Yamaha)

Diante de uma pequena adversidade na tirada, o mecanismo de “road book” de Adrien van Beveren parou de funcionar, o que obrigou o francês a operar manualmente seu dispositivo de navegação. Imperturbável pelo desafio adicional, o experiente piloto continuou a manter o seu ritmo elevado.

Retirando o problema do mecanismo no seu “road book” e ter caído de primeiro para terceiro à geral, Adrien van Beveren revelou que o dia foi proveitoso e, por isso, muito contente com a sua pilotagem até agora no Rali Dakar, estando bastante ansioso pelo dia de amanhã que, ao que tudo indica, parece que será muito mais lento e com mais navegação.

Joaquim Rodrigues (Hero)

Entre os portugueses, Joaquim Rodrigues (Hero) voltou a ser o mais rápido, terminando no lote dos 10 mais rápidos, sendo oitavo no Sector Selectivo, enquanto Rui Gonçalves (Sherco) foi 14.º e aproximou-se de António Maio (Yamaha), que está dois lugares à sua frente em termos de classificação geral.

O piloto de Seia, Mário Parão (KTM), encerrou o dia na 43.ª posição, a 47m45s, do vencedor, enquanto Arcélio Couto (Honda) terminou no 96.º lugar a 2h05m54s; Pedro Bianchi Prata (Honda), em 114.º e Pedro Oliveira (KTM), em 115.º, a 2h57m49s e 2h57m53s, respectivamente.

ETAPA DE AMANHÃ

A exemplo do que tantas vezes tem sucedido nesta edição, a etapa de amanhã tem partida e chegada ao mesmo local, Wadi Ad-Dawasir, com os concorrentes a enfrentarem um percurso de 491 km, dos quais 287 são percorridos contra-o-relógio. A navegação volta a ser importante, apesar de parte do traçado decorrer em zona montanhosa, com pistas que serpenteiam entre penhascos.

CLASSIFICAÇÕES

SECTOR SELECTIVO (395 KM)

MOTOS – 1.º, Sam Sunderland (GasGas), 3.48’02”; 2.º, Pablo Quintanilla (Honda), a 2’53”; 3.º, Matthias Walkner (KTM), a 4’11”; 4.º, Ricky Brabec (Honda), a 6’44”; 5.º, Mason Klein (KTM), a 8’08”; 6.º, Toby Price (KTM), a 8’39”; 7.º, Luciano Benavides (Husqvarna), a 9’32”; 8.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 9’58”; 9.º, Adrien Van Beveren (Yamaha), a 10’21”; 10.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 11’43”; …; 14.º, Rui Gonçalves (Sherco), a 15’15”; …; 22.º, António Maio (Yamaha), a 21’45”; …; 43.º, Mário Patrão (KTM), a 47’45”; …; 81.º, Alexandre Azinhais (KTM), a 1.42’57”; …; 96.º, Arcélio Couto (Honda), a 2.05’54”; …; 114.º, Pedro Bianchi Prata (Honda), a 2.57’49”; …; 115.º Pedro Oliveira (KTM), a 2.57’53’’.

GERAL

MOTOS – 1.º, Sam Sunderland (GasGas), 27.38’42”; 2.º, Matthias Walkner (KTM), a 3’45”; 3.º, Adrien Van Beveren (Yamaha), a 4’43”; 4.º, Pablo Quintanilla (Honda), a 5’30”; 5.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 14’38”; 6.º, Kevin Benavides (KTM), a 14’47”; 7.º, Lorenzo Santolino (Sherco), a 21’09”;

8.º, Stefan Svitko (KTM), a 26’51”; 9.º, Toby Price (KTM), a 32’30”; 10.º, Mason Klein (KTM), a 35’26”; …; 15.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 58’05”; …; 25.º, António Maio (Yamaha), a 2.07’05”; …; 27.º, Rui Gonçalves (Sherco), a 2.26’51”; …; 47.º, Mário Patrão (KTM), a 7’08’51”; …; 71.º, Alexandre Azinhais (KTM), a 10.16’58”; …; 79.º, Arcélio Couto (Honda), a 11.42’13”; …; 100.º, Pedro Bianchi Prata (Honda), a 15.57’22”; …; 103.º Paulo Oliveira (KTM), a 16. 36’35’’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.