Stéphane Peterhansel: “Vencer o Dakar em 2023”

O “Senhor Dakar” conquistou a primeira vitória em etapas com o Team Audi Sport na especial entre Wadi Ad Dawasir e Bisha, e encara o futuro com a máxima confiança. Triunfar o Rali Dakar em termos globais no próximo ano é o novo desafio que pretende abraçar.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

A primeira participação dos híbridos Audi RS Q e-tron no Rali Dakar está a exceder as expectativas, com os três pilotos a conquistarem, cada um, o triunfo em etapas: primeiro foi Carlos Sainz e Lucas Cruz, na terceira tirada, que decorreu ao redor de Al Qaisumah, na distância de 255 km, depois Mathias Ekström e Emil Berqvist, na oitava, entre Al Dawadimi e Wadi ad Dawasir, com 395 km e, agora, Stéphane Peterhansel e Edouard Boulanger, na 10.ª e antepenúltima tirada após 375 quilómetros cronometrados, entre Wadi Ad Dawasir e Bisha.

Pelo meio estão alguns lugares secundários e terciários, mas a participação inaugural do Team Audi Sport no Rali Dakar tem duas partes distintas. A semana de abertura, marcada pela fragilidade dos simples amortecedores que equipam o inovador veículo da marca das quatro alianças, sentenciando Carlos Sainz e Stéphane Peterhansel de discutir o triunfo à geral.

No entanto, a confiança nas viaturas eléctricas foi, sem margem para dúvidas, uma das principais razões para o triunfo do “Senhor Dakar” na etapa, presenteando no deserto fervor neste novo desafio.

«Esta etapa foi uma das primeiras que consideramos limpas, e que não tivemos qualquer problema ao nível dos amortecedores, além de não termos furos e sem dificuldade de navegação. Desde o início da segunda semana que não voltámos a ter problemas técnicos de grade monta, o que nos permitiu progredir com enorme entusiasmo», revelou o piloto francês.

Depois de nesta quarta-feira ter chegado aos 49 triunfos na prova rainha do todo-o-terreno mundial, a um do recorde do finlandês Ari Vatanen, o gaulês Stéphane Peterhansel está, naturalmente, repleto de moral, sobretudo depois do pesadelo com que iniciou a 44.ª edição do Rali Dakar.

O “Senhor Dakar” já pensa nas próximas edições da mais exigente prova mundial com um único objectivo: «Vamos continuar a trabalhar no sentido de vencermos em 2023. Não há outra forma possível. Pese embora nada seja fácil, temos de estar prontos para o desafio do próximo ano. Caso seja cometido um erro de navegação e perder, por exemplo, uma hora e meia, obviamente que ninguém poderá ganhar, mesmo que estejamos ao volante do melhor carro do mundo», sublinhou Stéphane Peterhansel que conduz o Audi RS Q e-tron com o número 200 nas portas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *