Sonho de muitos milhões nas asas do “Falcão”

Miguel Oliveira promete lutar pelo título de MotoGP, competição que arranca esta sexta-feira, com duas sessões de treinos livres, no circuito de Losail, no Qatar.

(auto.look2010@gmail.com)

Depois de duas semanas de testes no circuito de Losail do Qatar, a nova temporada de MotoGP arranca este fim-de-semana no mesmo local, com vários pilotos a tentarem explorar a ausência do seis vezes campeão do mundo Marc Marquez.

O espanhol de 28 anos lesionou-se no braço direito durante a primeira corrida de 2020 e, posteriormente, foi submetido a três intervenções cirúrgicas para debelar uma fractura do úmero do braço direito. Marquez já voltou a andar de mota, na semana passada, mas vai ficar fora da grelha das corridas de domingo e de 4 de abril, ambas no circuito de Losail.

Na sua ausência, o foco estará naturalmente no campeão espanhol Joan Mir (Suzuki), no italiano Franco Morbidelli (Yamaha-SRT), que ficou em segundo na temporada passada, e no espanhol Alex Rins (Suzuki), terceiro no campeonato em 2020.

No entanto, é preciso não esquecer outros pilotos que dominaram nos testes realizados na pista de Losail. O piloto mais rápido dos cinco dias de testes, o australiano Jack Miller com uma Ducati, também poderá entrar na pelo título.

«Nunca me senti tão confortável com a moto antes de começar o campeonato como este ano», disse o australiano. Depois de ter fechado o campeonato em 2020, o Autódromo Internacional do Algarve (AIA), em Portimão, acolhe, desta vez, a terceira ronda do campeonato, a primeira na Europa depois da jornada dupla no Qatar.

MIGUEL OLIVEIRA

FAZ VIBRAR OS PORTUGUESES

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) tem a ambição de se intrometer na luta pelo título de MotoGP. Promovido à formação oficial da KTM, o piloto natural de Almada cumpre a terceira temporada na categoria rainha do motociclismo de velocidade, depois de já ter sido vice-campeão de Moto3 (2015) e de Moto2 (2017), somando um total de 14 vitórias nas três categorias (seis em Moto3, seis em Moto2 e duas em MotoGP, ambas conseguidas no ano passado).

Em 2020, o piloto português deu a primeira vitória à equipa privada Tech3, presente há mais de duas décadas no campeonato do mundo, ao conquistar o Grande Prémio da Estíria, na Áustria.

Miguel Oliveira encerrou a temporada com nova vitória, no regresso do Grande Prémio de Portugal, oito anos depois e pela primeira vez em Portimão, naquele que seria o segundo triunfo de uma temporada encurtada a 14 corridas devido à pandemia da Covid-19.

O nono lugar conseguido em 2020 acabou por ser “curto” devido a duas quedas sofridas após toques de adversários e que “roubaram” pontos ao português. O segundo lugar acabou por ficar à distância de apenas 23 pontos (cada vitória vale 25).

Mais de um ano após o início da crise pandémica, o calendário volta a ter o seu formato tradicional, com 21 provas agendadas, em 20 circuitos. O Mundial de MotoGP arranca esta sexta-feira, com duas sessões de treinos livres, no circuito de Losail, no Qatar.

No sábado, disputam-se mais duas sessões de treinos livres e a qualificação, estando a corrida reservada para domingo, sendo a única do campeonato disputada à noite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *