Sete campeões no Campeonato Portugal de Ralis

Armindo Araújo procura alcançar o sétimo título nacional de ralis, num campeonato de 2021 que começa esta sexta-feira e sábado com o Rali Terras D’Aboboreira. São mais seis os campeões nacionais que se perfilam para bater o pé ao piloto tirsense, entre os quais o madeirense Bernardo Sousa…

(auto.look2010@gmail.com)

O facto de anteceder o Vodafone Rallye de Portugal, faz com que o Rali Terras d’Aboboreira, que abre o Campeonato de Portugal da disciplina, depois de ter fechado a temporada anterior, tenha um excelente lista de inscritos, que integra várias equipas estrangeiras, potenciais candidatas à vitória final, mas que alguma Comunicação Social desconsiderará e atribuirá a vitória à primeira dupla portuguesa, que será aquela que, qualquer que seja a classificação, arrecadará os 25 pontos da vitória.

Estão neste lote o inglês Chris Ingram (Skoda Fabia Rally2 Evo), o espanhol Jose Maria Lopez (Skoda Fabia Rally2 Evo) e o norueguês Ole Christian Veiby (Hyundai i20 R5), que partem como os mais sérios candidatos ao triunfo, aos quais juntam-se o irlandês Pauric Duffy (Hyundai i20 R5) e o estónio Georg Linnamae (VW Polo GTi R5), quinteto que terá a oposição dos principais candidatos ao título nacional.

Vencedor da prova extra no Rali de Vieira do Minho, prova de abertura do Campeonato Norte de Ralis, Armindo Araújo, (Skoda Fabia Rally2 Evo), navegado por Luís Ramalho, inicia a defesa do título depois de ter mostrado em Vieira do Minho que está em forma e a revalidar o ceptro, que, a acontecer, será o sétimo da sua carreira.

José Pedro Fontes (Citroën C3 Rally2), Pedro Meireles (VW Polo GTi R5), Bruno Magalhães (Hyundai i20 R5) e Ricardo Teodósio (Skoda Fabia Rally2 Evo) perfilam-se como os seus mais sérios adversários, com a particularidade de todos eles já terem conquistado o título nacional.

E Ricardo Teodósio não esconde que «este queremos ganhar e o facto de existirem algumas evoluções ao nível do motor, suspensão e caixa de velocidades, dá-nos boas perspectivas»

Destaque para o regresso à estrada de Bernardo Sousa (Skoda Fabia R5), também ele campeão nacional, que não poderá deixar de acusar falta de ritmo, após uma prolongada paragem, mas que poderá no futuro integrar o lote de candidatos à vitória, enquanto Miguel Correia (Skoda Fabia Rally2 Evo), cuja evolução tem sido constante, a querer entrar na luta pelas primeiras posições.

De referir que o facto de Daniel Nunes, detentor do título de 2 Rodas Motrizes, estrear, em Portugal, o Ford Fiesta Rally3, o que marca o regresso da marca da oval, detentora do maior número de vitórias, aos ralis nacionais, com o piloto a não esconder que «a capacidade de inserção em curva, a travagem e a saída em potência são incríveis»

A prova marca, também, o início da quarta edição da Peugeot Rally Cup Ibérica, que, na prova de abertura, reúne 15 equipas, 10 espanholas, quatro portuguesas e uma inglesa.

Com o detentor do ceptro, Pedro Antunes, ausente, mas a ser premiado com um Citroem C3 Rally2, com que vai participar em algumas provas do campeonato, o destaque vai para o regresso à competição de Miguel Campos (Peugeot 208 Rally4) que pode, com a sua experiência, ser um sério candidato à sucessão do seu compatriota e cuja presença eleva para sete o número de campeões nacionais presentes.

Para os envolvidos no Campeonato de Ralis Norte, a prova amarantina é a segunda da temporada, com Adruzilo Lopes (Mitsubishi Lancer IX) e Fernando Peres (Mitsubishi Lancer IX) a deverem repetir o duelo travado em Vieira do Minho, que foi favorável ao primeiro por 2,2”, com Gaspar Pinto (Mitsubishi Lancer VIII) e Vítor Pascoal (Mitsubishi Lancer IX) apostado em intrometerem-se no duelo dos favoritos

 

A ESTRADA

O Rali Terras d’Aboboreira, organizado pelo Clube Automóvel de Amarante, arranca já esta sexta-feira, às 15h00, na cidade de Amarante, com os concorrentes a cumprirem, no primeiro dia, uma dupla passagem pela especial de Amarante Natureza Criativa (13,83 km – 15h50 e 17h35). Trata-se de um “aperitivo suplementar” para o que será servido no dia seguinte.

 

No sábado, a saída para a estrada acontece às 9h00 e o dia começa com uma dupla passagem pela classificativa do Marão (10,08 km – 10h05 e 12h45) separadas pela prova de classificação Baião Vida Natural (19,17 km – 11h00), com o dia a terminar com um dupla passagem pelo troço cronometrado de Aboboreira (16,94 km – 15h40 e 18h20), a segunda a funcionar como “Power Stage”.

A prova conta, também, para o Campeonato Norte de Ralis, cujos participantes cumprem a secção matinal de sábado e terminam com uma passagem pela especial da Aboboreira.

CAMPEÕES

Criado em 1966, quando o Campeonato do Condutor Completo foi dividido em Campeonatos de Ralis, Velocidade e Regularidade, o Campeonato de Portugal de Ralis vai ter a 55.ª edição, uma vez que em 1974, em consequência da crise do petróleo, não se efectuou.

Ao longo dos tempos, 25 pilotos arrecadaram o ceptro, enquanto no caso dos navegadores, cuja importância só foi reconhecida em 1975, há 23 campeões. Fica o registo dos pilotos, navegadores, marcas e equipas que foram campeões nacionais.

ANO PILOTO NAVEGADOR MARCAS EQUIPAS
1966 Manuel Gião
1967 Américo Nunes
1968 Américo Nunes
1969 Não houve campeão absoluto
1970 Não houve campeão absoluto
1971 Não houve campeão absoluto
1972 Não houve campeão absoluto
1973 Não houve campeão absoluto
1974 Não houve campeonato
1975 Manuel Inácio Pina de Morais
1976 António Dieguez Henrique Alegria
1977 Giovanni Salvi Pedro Almeida
1978 Carlos Torres Pedro Almeida
1979 José Pedro Borges Rui Bevilacqua
1980 Santinho Mendes Filipe Lopes
1981 Santinho Mendes Filipe Lopes
1982 Joaquim Santos Miguel Oliveira
1983 Joaquim Santos Miguel Oliveira
1984 Joaquim Santos Miguel Oliveira
1985 Joaquim Moutinho Edgar Fortes
1986 Joaquim Moutinho Edgar Fortes
1987 Inverno Amaral Joaquim Neto Renault
1988 Carlos Bica Fernando Prata Ford
1989 Carlos Bica Fernando Prata Lancia
1990 Carlos Bica Fernando Prata Lancia
1991 Carlos Bica Fernando Prata Lancia
1992 Joaquim Santos Carlos Magalhães Toyota
1993 Jorge Bica Joaquim Capelo Ford
1994 Fernando Peres Ricardo Caldeira Ford
1995 Fernando Peres Ricardo Caldeira Ford
1996 Fernando Peres Ricardo Caldeira Ford
1997 Adruzilo Lopes Luís Lisboa Peugeot
1998 Adruzilo Lopes Luís Lisboa Renault
1999 Pedro Matos Chaves Sérgio Paiva Toyota
2000 Pedro Matos Chaves Sérgio Paiva Toyota
2001 Adruzilo Lopes Luís Lisboa Peugeot
2002 Miguel Campos Carlos Magalhães Peugeot
2003 Armindo Araújo Miguel Ramalho Citroen
2004 Armindo Araújo Miguel Ramalho Mitsubishi
2005 Armindo Araújo Miguel Ramalho Mitsubishi
2006 Armindo Araújo Miguel Ramalho Mitsubishi
2007 Bruno Magalhães Paulo Grave Peugeot
2008 Bruno Magalhães Carlos Magalhães Peugeot
2009 Bruno Magalhães Carlos Magalhães Peugeot
2010 Bernardo Sousa Nuno Rodrigues da Silva Citroen
2011 Ricardo Moura António Costa Citroen
2012 Ricardo Moura António Costa Citroen
2013 Ricardo Moura António Costa
2014 Pedro Meireles Mário Castro Sports & You
2015 José Pedro Fontes Miguel Ramalho DS3 Vodafone Team
2016 José Pedro Fontes Inês Ponte DS3 Vodafone Team
2017 Carlos Vieira Jorge Eduardo Carvalho Sports & You
2018 Armindo Araújo Luís Ramalho ARC Sport
2019 Ricardo Teodósio José Teixeira ARC Sport
2020 Armindo Araújo Luís Ramalho Sports & You

NÚMERO DE TÍTULOS CONQUISTADOS

PILOTOS

6 – Armindo Araújo

4 – Carlos Bica, Joaquim Santos

3 – Adruzilo Lopes, Bruno Magalhães, Ricardo Moura, Fernando Peres

2 – José Pedro Fontes, Pedro Matos Chaves, Joaquim Moutinho, Américo Nunes, Santinho Mendes

1 – Jorge Bica, José Pedro Borges, Miguel Campos, António Dieguez, Manuel Gião, Inverno Amaral, Manuel Inácio, Pedro Meireles, Giovanni Salvi, Bernardo Sousa, Ricardo Teodósio, Carlos Torres, Carlos Vieira

NAVEGADORES

5 – Miguel Ramalho

4 – Carlos Magalhães, Fernando Prata

3 – Ricardo Caldeira, António Costa, Luís Lisboa, Miguel Oliveira

2 – Pedro Almeida, Edgar Fortes, Filipe Lopes, Sérgio Paiva, Luís Ramalho

1 – Henrique Alegria, Rui Bevilacqua, Joaquim Capelo, Jorge Eduardo Carvalho, Mário Castro, Paulo Grave, Joaquim Neto, Pina de Morais, Inês Ponte, Nuno Rodrigues da Silva, José Teixeira

MARCAS

6 – Peugeot

5 – Ford

4 – Citroen

3 – Lancia, Mitsubishi, Toyota

2 – Renault

EQUIPAS

3 – Sports & You

2 – ARC Sport, DS3 Vodafone Team

JOAQUIM SANTOS, MIGUEL OLIVEIRA E FORD OS MAIS VITORIOSOS

Joaquim Santos (pilotos), Miguel Oliveira (navegadores) e Ford (marcas) estão no topo da tabela das respectivas listas de vencedores e lá permanecerão pelos tempos mais próximos.

Desde 1966, ano da sua criação o Campeonato Nacional de Ralis teve 519 provas, mas uma delas, o Rali de Inverno de 1968, não teve vencedor por ninguém ter resistido às más condições atmosféricas que se fizeram sentir nesse fim-de-semana.

No momento do arranque do campeonato registe-se o número de vitórias de pilotos, navegadores e marcas.

VENCEDORES

PILOTOS

39 – Joaquim Santos

30 – Fernando Peres

23 – Bruno Magalhães

22 – Armindo Araújo

21 – Adruzilo Lopes

18 – Américo Nunes

16 – Miguel Campos, Mário Silva

15 – José Pedro Fontes, Joaquim Moutinho

14 – Carlos Bica

12 – Ricardo Moura

10 – Santinho Mendes

9 – José Miguel, “Mêquêpê”, Giovanni Salvi

8 – Pedro Meireles

7 – Manuel Gião, Inverno Amaral, Pedro Matos Chaves, Bernardo Sousa

5 – Markku Alen, António Coutinho, Luís Netto, Sebastien Ogier, Carlos Torres

4 – Andrea Aghini, Giandomenico Basso, Massimo Biasion, Jorge Bica, António Borges, José Lampreia, Heitor de Morais, Rui Madeira, António Carlos Oliveira, Jorge Ortigão

3 – José Pedro Borges, Alexandre Camacho, Carpinteiro Albino, António Dieguez, Mário Figueiredo, Piero Liatti, Manuel Inácio, Juha Kankkunen, José Carlos Macedo, Hannu Mikkola, Jorge Nascimento, António Rodrigues, Francisco Romãozinho, Fabrizio Tabaton

2 – João Barros, Craig Breen, César Torres, “Tony” Fassina, Manuel Gomes Pereira, “Larama”, Sebastien Loeb, Vítor Lopes, Yves Loubet, Tommi Makinen, Colin McRae, Paulo Meireles, Manuel Mello Breyner, Jean-Pierre Nicolas, Carlos Sainz, Patrick Snijers, Ricardo Teodósio, Bruno Thiry, Carlos Vieira

1 – Mabílio de Albuquerque, Bento Amaral, Hiroki Arai, Didier Auriol, Pedro Azeredo, Basílio dos Santos, Richard Burns, Daniel Carlsson, Dario Cerrato, João Clemente, Pedro Côrtes, Gregoire De Mevius, François Delecour, Alessandro Fiorio, Rui Gonçalves, Lukasz Habaj, Juho Hanninen, Mikko Hirvonen, Jan Kopecky, Aly Kridel, Simo Lampinen, Pedro Leal, Paulo Lemos, Piero Liatti, Freddy Loix, Alexey Lukyanuk, Markko Martin, Kris Meeke, Raul Mendonça, Andreas Mikkelsen, Michéle Mouton, Sandro Munari, Thierry Neuville, Ernesto Neves, Ivo Nogueira, Miguel Nunes, “Ominirf”, Mads Ostberg, Alcide Paganelli, Carlos Peres, Pedro Peres, Walter Rohrl, Luca Rossetti, Timo Salonen, Francisco Santos, Vítor Sá, João Santos, Wemer Schweiser, Salvador Serviá, Dani Sordo, Olivier Tabatoni, Ott Tanak Jean-Luc Thérier, Henri Toivonen, Renato Travaglia, Ewold Van Bergen, Ari Vatanen, Nicolas Vouilloz, Adartico Vudafieri, Achim Wambold, António Zanini

NAVEGADORES

36 – Miguel Oliveira

28 – Carlos Magalhães

26 – Luís Lisboa

25 – Ricardo Caldeira

18 – Miguel Ramalho

17 – Fernando Prata

15 – Edgar Fortes

13 – António Costa, Pedro de Almeida

12 – Pedro de Almeida

10 – Mário Castro, Inês Ponte

9 – Hugo Magalhães

8 – Filipe Lopes, José Nobre, Luís Ramalho, Nuno Rodrigues da Silva

7 – Joaquim Neto, Sérgio Paiva, Miguel Villar

6 – Fernando Jorge, Fernando Fonseca, Paulo Grave, José Pedro Silva

5 – Manuel Coentro, Julien Ingrassia, Cândido Júnior, Ilkka Kivimaki, Pina de Morais, Evaristo Saraiva

4 – Paulo Babo, Rui Bevilacqua, Joaquim Capelo, António Morais, José Arnaud, “Barata”,

3 – Henrique Alegria, Carlos Barata, José Bernardo, Miguel Borges, Pedro Calado, Fernando Castelo Branco, José Cotter, Mitia Dotta, Pedro Garcia, Fernando Garcia e Costa, Nicky Grist, Arne Hertz, Tiziano Siviero, Miguel Sottomayor

2 – António Abreu, António Manuel, João Baptista, Jorge Eduardo Carvalho Carlo Cassina, Danny Colenbunders, John Davenport, Daniel Elena, Sauro Farnocchia, Horácio Franco, Seppo Harjanne, Jorge Henriques, Imerito, “Jocames”, Alfredo Lavrador, Luís Moya, Juha Piironen, Fabrizia Pons, Stephane Prevot, Raposo Magalhães, Loris Roggia, Ricardo Simões, José Teixeira

1 – Gonçalo Aguiar, Fernando Albino, Alessandro Alessandrini, Almeida Marques, Jonas Andersson, Mattias Andersson, Jean-Marc Andrié, João Anjos, Alexey Arnautov, Thierry Barjou, Barbosa da Gama, Vittorio Brambilla, Paulo Brandão, Daniel Breton, Michel Cadier, Pedro Cameira, Carmo Santos, Jorge Carreiro, Giuseppe Cerri, Matteo Chiarcossi, Jorge Cirne, Rui Cunha, Carlos Del Barrio, Thomas Dorschat, Pavel Dresler, Paul Dunkel, Daniel Dymurski, José Ferreira, Tiago Ferreira, Jean Marc Fortin, Ola Floene, Christian Geistdorfer, Nicolas Gilsoul, J. Gomes Pereira, Lorenzo Granai, Daniel Grataloup, Andy Hasley João Paulo, Martin Jarveoja, Jacques Jaubert, Nicolas Klinger, Henry Liddon, Glenn MacNeall, Silvio Maiga, Mauro Mannini, Risto Mannisenmaki, Mikko Markkula, Scott Martin, Diogo Mascarenhas, Jorge Mascarenhas, Frederic Miclotte, Aloísio Monteiro, José Montes, Paul Nagle, Nascimento Costa, Ernesto Neves, Nogueira da Silva, Ornelas Camacho, Michael Park, Fabio Penariol, António Pereira, Pedro Perez, Portela de Morais, Robert Reid, Claude Roure, “Rudy”, Nini Russo, Jordi Sabater, Giovanni Salvi, Santos Mendonça, Silva Pereira, Miguel Sousa, Luciano Tedeschini, Teixeira Gomes, Jean Todt, Albino Tristão, Luigi Vale, Minota Van Bergen, António Vicente, Villalobos Santos, Flávio Zanetta

MARCAS

124 – Ford (Escort RS 42; Escort Cosworth, 26; Sierra Cosworth, 15; Fiesta R5, 9; Escort RS 2000, 6; Fiesta S2000, 7; Sierra Cosworth 4×4, 5; RS 200, 4; Focus WRC, 4; Escort WRC, 2; Escort TC, 1; Escort RS Cosworth, 1; Focus RS WRC, 1; Fiesta WRC, 1)

65 – Peugeot (207 S2000, 23; 206 WRC, 17; 306 Maxi, 16; 206 S1600, 4; Peugeot 208 T16, 3; 205 Turbo 16, 1; 208 T16 R5, 1)

38 – Porsche (911 S, 25; 911 L, 3; 911, 2; Carrera, 2; 911 T, 2; SC RS, 1, 997, 1; 997 GT3, 2)

37 – Renault (5 Turbo Corse, 15; 11 Turbo, 11; 8 Gordini, 4; Mégane Maxi, 4; Alpine, 1; Alpine A100, 1; Clio S1600, 1)

35 – Lancia (Delta HF 4WD, 9; Delta Integrale 16V, 9; Delta HF Integrale, 6; Delta Integrale, 4; Stratos, 2; Rallye, 2; Fulvia HF, 1; Delta S4, 1; Delta HF Integrale, 1)

30 – Citroen (DS3 R5, 12; Saxo Kit Car, 7; C4 WRC, 3; ID 20, 1; DS 21, 1; C3 R5, 3; Visa Chrono, 1; DS3 WRC, 1; DS3 R3T, 1)

25 – Opel (1904 SR, 12; Kadett GT/E, 9; Ascona 400, 3; Ascona 2.0, 1)

24 – Toyota (Corolla WRC, 9; Celica GT-4, 7; Corolla GT-4, 4; Corolla GT, 2; Celica Turbo 4WD, 1; Yaris WRC, 1)

23 – Mitsubishi (Lancer IX, 10; Lancer VIII MR, 8; Lancer VII, 2; Lancer IV, 1; Lancer VI, 1; Lancer X, 1)

22 – Skoda (Fabia R5, 10; Fabia S2000, 8; Fabia R5 Evo, 4)

19 – Datsun (160 J, 9; 240 Z, 7; 1600 SSS, 1; 120Y, 1; 1200 Coupé, 1)

16 – Fiat (131 Abarth, 6; 124 Spyder, 5; Punto S2000, 4; 125 S, 1)

15 – Subaru (Impreza P2000, 5; Impreza, 3; Impreza WRX STi, 3; Impreza 555 WRC, 2; Impreza 555, 1; Impreza WRX, 1;)

12 – Austin (Cooper S, 11; 1275 GT, 1)

8 – BMW (2002, 4; 2002 Alpina, 3; M3, 1)

7 – Hyundai (Hyundai i20 R5,6; Hyundai i20 Coupé WRC, 1)

5 – Morris (Cooper S, 5)

5 – VW (Golf Rallye G60, 2; Polo R WRC, 2; Polo GTi R5, 1)

3 – Audi (Quattro, 3)

3 – Mazda (RX3, 3)

2 – Vauxhall (Chevette 2.3, 2)

1 – Lotus (Elan S2, 1)

1 – NSU (TT 1200, 1)

1 – Saab (96 V4, 1).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *