Sébastien Loeb garante 80.º triunfo no WRC

Aos comandos de um Ford Puma Rally1, o francês Sébastien Loeb entrou hoje para a história ao tornar-se, com 47 anos de idade, no piloto mais velho de sempre a vencer uma prova do Mundial de Ralis, após ser o mais rápido em Monte Carlo.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Sébastien Loeb e Isabelle Galmichee, em Ford Puma Rally1, festejam o triunfo no Rali de Monte Carlo

Trinta e quatro ralis depois da última vitória, o que aconteceu no Rali de Gales, de 2018, pelas mãos do francês Sébastien Ogier, a Ford volta a ocupar o degrau mais alto do pódio final, desta vez pelas do francês Sébastien Loeb (Puma Rally1), que alcançou a 80.ª vitória mundial.

Um triunfo conseguido após um duelo intenso com o seu compatriota que, a duas especiais do fim, comandava a prova com 24,6 segundos de vantagem sobre o piloto da Ford, vantagem que parecia poder garantir-lhe o triunfo. Só que na penúltima classificativa, o piloto da Toyota furou, perdeu 34,1 segundos para o compatriota e os dois entraram para a “Power Stage”, que iria decidir o vencedor, separados por 9,5 segundos para os derradeiros 14,26 km selectivos.

Durante a maior parte da classificativa, Sébastien Ogier foi mais rápido que Sébastien Loeb, chegou a ter uma vantagem de sete segundos, mas, na parte final, o piloto da Ford recuperou e foi um segundo mais rápido que o piloto da Toyota e garantiu o triunfo, o 92.º da marca da oval.

Sébastien Ogier (Toyota GR Yaris Rally1)

Refira-se que o piloto de Gap, Sébastien Ogier sofreu uma penalização de 10 segundos na última especial por ter arrancado antes do tempo: «O motor estava a fazer um barulho estranho e isso perturbou-me e talvez tenha partido demasiado cedo. Mas posso manter a minha cabeça levantada», disse. Caso não tivesse sofrido essa penalização, Sébastien Ogier perderia o rali na mesma, mas por apenas meio segundo.

«Estou realmente feliz. Não esperava tanto quando decidi vir aqui, mas foi uma grande luta. O Ogier foi realmente rápido e eu sofri um pouco ontem (sábado) e até mesmo esta manhã», frisou, pro seu turno Sébasten Loeb.

Este triunfo acaba por ter também um significado simbólico, pois foi precisamente por Sébastien Ogier reclamar mais protagonismo na Citroën, equipa na qual os dois coincidiram, que Sébastien Loeb decidiu pôr um ponto final na carreira a tempo inteiro.

Craig Breen (Ford Puma Rally1)

A decisão surgiu após conquistar o nono título consecutivo em 2012 (foi campeão de 2004 a 2012), e desde então Sébastien Loeb tem feito aparições esporádicas no campeonato. A última tinha sido no rali da Turquia, em 2020, prova que terminou na terceira posição.

Depois de um ano de ausência do Mundial e de ter conquistado o segundo lugar no Rali Dakar de Todo-o-Terreno há uma semana, Sébastien Loeb fez questão de voltar ao campeonato para matar a curiosidade sobre os novos carros híbridos, que misturam motores eléctricos (de 136 cavalos) com os habituais 1,6 litros a gasolina.

Aos comandos de um Ford Puma Rally1 da M-Sport, Sébastien Loeb tinha previsto participar apenas nesta prova, pois vai fazer o Mundial de Todo-o-Terreno (que lidera após o Dakar) e de resistência.

Kalle Rovampera (Toyota GR Yaris Rally1)

Certo é que, aos 47 anos, 10 meses e 28 dias superou o sueco Björn Waldegard, que em 1990 venceu o Rali do Quénia aos 46 anos e cinco meses. Esta foi a 80.ª vitória da carreira no Mundial de Ralis, sendo o piloto a deter o recorde de maior distância temporal entre a primeira (Alemanha, em 2002) e a mais recente, em 181 provas.

Foi, também, a primeira sem ser com um Citroën, sendo que a M-Sport já não ganhava desde o rali da Grã-Bretanha de 2018. Com este triunfo, Sébastien Loeb igualou o recorde de oito vitórias em Monte Carlo, que era detido a solo precisamente por Sébastien Ogier.

Loeb ganhou no principado em 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2012, 2013 e 2022. Desde 1997 que uma navegadora não vencia, pois Isabelle Galmiche, professora de matemática de 50 anos, substituiu Daniel Elena na tarefa de ditar notas ao piloto francês. Com estes resultados, Loeb comanda o campeonato, com 27 pontos (para além da vitória, somou ainda dois pontos extra na power stage), contra os 19 de Sébastien Ogier.

Gus Greensmith (Ford Puma Rally1)

Excelente começo do ano da Ford, que viu o inglês Craig Breen (Ford Puma Rally1) ocupar o derradeiro lugar do pódio e o inglês Gus Greensmith, em viatura idêntica, a terminar em quinto, um resultado de conjunto que há muito não sucedia, com o finlandês Kalle Rovampera (Toyota GR Yaris Rally1) a ficar a separá-los. Kalle Rovanperä é terceiro, pois aos 12 pontos do quarto lugar somou os cinco da vitória na power stage. A M-Sport lidera a tabela dos construtores, com 42 pontos.

Mau começo da Hyundai Motorsport, com o estónio Ott Tanak e o sueco Oliver Solberg, ambos em Hyundai i20 N Rally1, a ficarem pelo caminho, este último por má disposição, cabendo ao belga Thierry Neuville (Hyundai i20 N Rally1) salvar a honra do convento, com o sexto lugar.

No que diz respeito aos RC2, o norueguês Andreas Mikkelsen (Skoda Fabia Evo Rally2) começou da melhor maneira a defesa do título ao garantir o triunfo, à frente do checo Erik Cais (Ford Puma Rally2) e do russo Nikolay Gryazin (Skoda Fabia Evo Rally2) a completar o pódio.

FICHA DA PROVA

Data – 20,/23 de Janeiro

Organizador – Automobile Club de Monaco

Estrutura – 1 511,47 km divididos por quatro etapas: Monte Carlo – Monte Carlo (147,52 km); Monte Carlo – Monte Carlo (472,69 km); Monte Carlo – Monte Carlo (592,85 km); Monte Carlo – Monte Carlo (298,41 km)

PC – 17 (2 + 6 + 5 + 4)

Extensão das PC – 296,03 km (38,45 km + 97,86 km + 92,46 km + 67,26 km)

Percentagem das PC – 19,59 %

Inscritos – 75 (11 RC1, 29 RC2, 4 RC3, 12 RC4, 11 RC5, 8 RGT)

Participantes – 74 (11 RC1, 28 RC2, 4 RC3, 15 RC4, 8 RC5, 8 RGT)

Classificados – 48 (8 RC1, 20 RC2, 3 RC3, 8 RC4, 3 RC5, 6 RGT)

Comandantes sucessivos

Absoluto – Sébastien Ogier, da 1.ª à 4.ª PC; Sébastien Loeb, da 5.ª à 9 PC; Sébastien Ogier, na 10.ª à 15.ª PC; Sébastien Loeb, na 16.ª e 17.ª PC

RC1 – Sébastien Ogier, da 1.ª à 4.ª PC; Sébastien Loeb, da 5.ª à 9 PC; Sébastien Ogier, na 10.ª à 15.ª PC; Sébastien Loeb, na 16.ª e 17.ª PC

RC2 – Eric Camilli, da 1.ª à 4.ª PC; Andreas Mikkelsen, da 5.ª à 7.ª PC; Stéphane Lefebvre, na 8.ª PC; Andreas Millesen, da 9.à 17.ª PC

RC3 – Jan Cerny, da 1.ª à 11.ª PC; Sami Pajari, da 12.ª à 17.ª PC

RC4 – Anthony Fotia, da 1.ª à 17.ª PC

RC5 – Ghjuvanni Rossi, da 1.ª à 17.ª PC

RGT – Manu Guigou, na 1.ª e 2.ª PC; Raphael Astier, da 3.ª à 17.ª PC

VENCEDORES

Absoluto – Sébastien Loeb/Isabelle Galmiche (Ford Puma Rally1)

RC1 – Sébastien Loeb/Isabelle Galmiche (Ford Puma Rally1)

RC2 – Andreas Mikkelsen/Torstein Eriksen (Skoda Fabia Evo Rally2)

RC3 – Sami Pajari/Enni Malkonen (Ford Fiesta Rally3)

RC4 – Anthony Fotia/Arnaud Dunand (Renault Clio Rally4)

RC5 – Ghjvanni Rossi/Maximea Martini (Renault Clio Rally5)

RGT – Raphael Astier/Frédéric Vauclaire (Alpine A110 RGT)

CLASSIFICAÇÃO

POS. EQUIPA CARRO TEMPO
1.º Sébastien Loeb/Isabelle Galmiche Ford Puma Rally1 3.00’32,8″
2.º Sébastien Ogier/Benjamin Veillas Toyota GR Yaris Rally1 a 10,5″
3.º Craig Breen/Paul Nagle Ford Puma Rally1 a 1’39,8″
4.º Kalle Rovampera/Jonne Halttunen Toyota GR Yaris Rally1 a 2’16,2″
5.º Gus Greensmith/Jonas Andersson Ford Puma Rally1 a 6’33,4″
6.º Thierry Neuville/Martijn Wydaeghe Hyundai i20 N Rally1 a 7’42,6″
7.º Andreas Mikkelsen/Torstein Eriksen Skoda Fabia Evo Rally2 a 11’33,8″
8.º Takamoto Katsuta/Aaron Johnstone Toyota GR Yaris Rally1 a 12’24.7″
9.º Erik Caris/PeterTesinsky Ford Puma Rally2 a 12’29,2″
10.º Nikolay Gryazin/Kontantin Alexsandrov Skoda Fabia Evo Rally2 a 13’41,3″

OS MAIS RÁPIDOS

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º
Sébastiien Loeb 6 3 1 4 2 0
Sébastien Ogier 5 6 2 0 2 0
Kalle Rovamepra 3 2 1 2 0 1
Elfyn Evans 1 3 4 1 1 2
Thierry Neuville 1 1 3 1 1 3
Gus Greensmirh 1 1 0 2 3 1
Ott Tanak 0 1 1 1 2 1
Oliver Solberg 0 0 1 0 0 0
Craig Breen 0 0 4 3 3 4
Takamoto Katsuta 0 0 2 0 3 4
Adrien Fourmaux 0 0 0 1 0 1

Próxima prova – Rali da Suécia de 24 a 27 de Fevereiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.