Sébastien Loeb confuso com rodado das motos

O piloto francês, nove vezes campeão mundial de ralis, cedeu a segunda posição da classificação geral ao cabo da etapa desta sexta-feira devido a um erro de navegação.

CARLOS SOUSA (carlos.sousa@autolook.pt)

As duas últimas etapas do Rali Dakar de 2022 ficaram marcadas por um marco histórico no que concerne à resistência humana e mecânica das viaturas. Aproveitando da caravana estar instalada em Riyadh, a Amaury Sport Organisation (ASO) traçou duas etapas em um “loop” pela capital da Arábia Saudita, dividindo os participantes de motos e viaturas.

Na quinta-feira, as viaturas trilharam por um caminho e as motos por outro e, nesta sexta-feira, inverteram-se as situações, ou seja, a competição destinada às motos cumpriu esta sexta-feira o percurso feito na quinta-feira pelas viaturas, com estas a fazerem o trajecto que as duas rodas tinham feito na véspera.

Até aqui tudo bem, mas não para dupla formada por Sébastien Loeb e Fabian Lurquin (Prodrive Hunter), que estava posicionada no segundo lugar da classificação geral, acabando por descer uma posição. E tudo porque o piloto francês e o navegador belga seguiram o rodado deixado pelas motos que utilizaram o Sector Selectivo no dia anterior e os erros pagam-se caros.

O erro de navegação custou ao alsaciano 15m15s no que diz respeito ao líder e a queda para o terceiro posto da geral lançam a dúvida se a troca de navegador foi proveitosa. Recorde-se que Daniel Elena, companheiro de Sébastien Loeb ao longo de quase toda a carreira do piloto, nela se incluindo os nove títulos mundiais de ralis, foi afastado por David Richards, patrão da Prodrive, por considerar que o monegasco tinha dificuldades de navegação no deserto. Pelos vistos o belga Fabien Lurquin também os comete e ainda não será desta que Sébastien Loeb inscreve o seu nome na lista de vencedores da prova desenhada pela ASO.

«Perdemos uma boa oportunidade de alcançar uma excelente classificação na sexta etapa. Os erros de navegação que cometemos fizeram-nos perder muito tempo. Seguimos os vestígios deixados pelos pneus das motos no km 95», sublinhou Sébastien Loeb.

Sébastien Loeb desceu uma posição, para terceiro, e está já a 50m25s de Nasser Al-Attiyah (Toyota GR DKR Hilux). O piloto alsaciano referiu que está «um pouco longe demais». «Gostaria de ter alcançado o dia de descanso numa situação diferente. Para nós, a estratégia não vai mudar. Temos de continuar a lutar muito, até porque, no terreno, somos mais rápidos que o Nasser. Por isso, esperamos que haja muita areia para poder reverter a tendência», sublinhou o nove vezes campeão do mundo de ralis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *