Seat Tarraco a surfar no deserto de Erg Chebbi

Modelo da marca espanhola testado numa das zonas mais exigentes do planeta, o deserto marroquino de Erg Chebbi. As temperaturas que oscilam entre os 0 aos 50 graus e diversidade de terrenos, foram verdadeiros desafios à condução…

(auto.look2010@gmail.com)

22 quilómetros de extensão por 5 km de largura, montanhas arenosas, mudanças de terreno e temperaturas extremas. Este é o desafio que o SEAT Tarraco enfrenta no maior deserto de Marrocos. O deserto é um dos lugares do planeta com a oscilação de temperatura mais radical. Em poucas horas os valores negativos da noite passam para os 50 graus do dia. É por isso que é essencial assegurar que a temperatura exterior não afecte o interior do veículo e o condutor.

«A temperatura ideal é de 21,5ºC e é chamada de “temperatura de conforto”. A opção de ar condicionado auto serve precisamente para regular automaticamente a temperatura do nosso veículo», recorda María García, engenheira do Departamento de Desenvolvimento e Aerodinâmica da SEAT. O ar condicionado de três zonas, controlado a partir da segunda fila de bancos, oferece conforto individual mesmo nestas condições adversas.

NÃO É SÓ AREIA

Para chegar à duna, é preciso percorrer terrenos pedregosos e desnivelados que exigem uma condução precisa em todos os momentos. Com o controlo adaptativo do chassis do Tarraco, o sistema ajusta automaticamente a firmeza da suspensão, modificando as suas características de acordo com a superfície da estrada e o estilo de condução.

«O sistema é capaz de reagir aos solavancos da estrada numa questão de milissegundos para otimizar o seu comportamento, tornando mais fácil atravessar para a duna», explica Stefan Ilijevic, responsável de Pré-Desenvolvimento, Patentes e Inovação da SEAT.

 UMA BASÍLICA DE AREIA

Mas se alguma coisa caracteriza esta área são as suas impressionantes dunas, que podem chegar até aos 150 metros, quase a altura da Sagrada Família de Barcelona. Escalar uma montanha de areia requer que os assistentes se adaptem: «Por exemplo, antes de entrar na duna, desactivamos o sistema de controlo de estabilidade para evitar o bloqueio das rodas e para que continuem à procura de tração no solo», aconselha Ilijevic.

DOS 60 LITROS DO TARRACO AOS 50 DIAS DO CAMELO

Encontrar um posto de gasolina no meio do deserto é um desafio. O Tarraco tem um depósito de 60 litros, mas para resistir aos 50 dias que um camelo pode estar sem beber, é necessário reabastecer. Conduzir nas dunas «requer muita potência, o que gera um maior consumo. Felizmente que contámos com um depósito grande», de acordo com Illjevic.

TECNOLOGIA 100% LED:

À medida que o dia avança, o deserto muda de alaranjado para dourado. As suas cordilheiras impressionantes geram sombras que complicam a decisão das rotas a tomar. Os faróis FULL-LED do SEAT Tarraco ajudam a proporcionar uma iluminação mais clara e nítida.

«Na fase de desenvolvimento, componentes como os faróis e pilotos podem passar até dez dias em temperaturas extremas de -40º a 90º C numa câmara climática para testar a sua resistência e assim garantir o seu desempenho em zonas tão exigentes como o deserto», lembra o engenheiro da SEAT.

Partilhe

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever  
Notificação