SEAT: com a minha cidade para todo o lado

 Os habitantes de Ateca, Arona e Tarragona têm uma conexão especial com os modelos da SEAT que têm os nomes das suas cidades. Só nos primeiros cinco dias, o concessionário de Tarragona vendeu sete unidades do SEAT Tarraco. Quatro em cada dez modelos que a SEAT vende em Tenerife são Arona.

(auto.look2010@gmail.com)

Levar a cidade de origem ou o município onde mora para qualquer lugar, e não apenas no cartão de cidadão, é um privilégio que muitos dos habitantes de Tarragona, Ateca e Arona não abdicam. Os três SUV da SEAT actuam como embaixadores dos municípios que lhes dão o nome, tornando-os conhecidos em todo o mundo, mas não há nada como divertir-se em casa. É por estas cidades que eles tiveram e continuam a ter a maior recepção, e isso se manifesta nas vendas.

Três Tarracos, uma fórmula de êxito para Jesús. Ele vive em Tarragona, é gerente do Tarraco Arena Plaza e conduz um SEAT Tarraco da empresa. Jesús Féliz explica orgulhoso: «Não é todos os dias que coisas como esta acontecem, onde um carro tem o nome da sua cidade, da sua empresa e pode desfrutar dele também».

Mas não é por acaso. Quando a SEAT lançou a campanha para que o novo SUV fosse baptizado pelos seus seguidores, Jesús foi muito explícito a esse respeito: «Tarragona, Tarraco, Tarraco Arena foi a equação perfeita», explica. Por isso, mobilizou moradores locais, empresas e instituições até que o conseguiu. A cidade de Tarragona« tem 140 mil habitantes, então imagine o que são quase 52.000 votos», afirma.

O SEAT Tarraco foi apresentado mundialmente no Tarraco Arena Plaza e, nos cinco primeiros dias, o concessionário da zona vendeu sete unidades do maior dos SUV. O nome diz muito, «pois temos orgulho na cidade em que vivemos e, também, porque é um grande carro, em todos os sentidos», diz Jesús, revelando que este trio é tão especial que foi até imortalizado com vários quadros de um artista, que, claro, também é de Tarragona.

DE VIZINHOS A PROPRIETÁRIOS E VICE-VERSA

A notícia de que Ateca baptizaria um modelo da SEAT espalhou-se rapidamente pelo município de Zaragoza: «Foi um “boom”, em menos de cinco minutos toda a cidade já estava a saber», assegura Ramón Cristobal, presidente da Câmara Municipal de Ateca.

Houve habitantes que compraram o SUV médio da SEAT por causa disso. Mas houve também proprietários do SEAT Ateca que moravam em outros lugares e se tornaram habitantes da cidade, por alguns dias. Por ano, dezenas de fãs do SUV, no mínimo cerca de 60, visitam Ateca. O presidente explica que «vêm para conduzir o carro pelo município e arredores, e estar connosco».

A primeira dos primeiros

Iranzu Pradas foi a primeira, em Tenerife, a comprar um SEAT Arona. Iranzu Pradas vive a cerca de 20 quilómetros do município das Canárias: «Fui experimentar imediatamente, adorei o carro e também estava muito entusiasmada por usar o nome de uma cidade Canária, onde tenho amigos e família. Por isso, comprei a viatura que estava em exposição. Eu não podia esperar», explica a nativa de Tenerife.

Iranzu Pradas foi a primeira de uma grande lista. O gerente dos concessionários Rahn Auto Universal, Luis Enrique Linares, sabe disso: «40% das viaturas que vendemos em Tenerife são Arona. Quando chegaram, fomos todos os concessionários recebê-lo, admirar e ver com que tipo de letras Arona tinha sido escrita. Todos nos sentimos bem representados. É uma honra conduzir o nome Arona para todo o lado e, além disso, o carro combina perfeitamente com a ilha, pois é urbana, perfeito para ir à praia ou subir os 2.000 metros do Teide».

O MOTIVO PARA OS NOMES

O lendário SEAT 600 deve o seu nome a uma série de coincidências numéricas. O seu grande irmão era o Fiat 600, com 600 quilos e um motor de 600 centímetros cúbicos. A SEAT passou por várias fases até ao momento de eleger o nome dos seus carros. Os modelos 800 e o 1.500 devem o seu nome à cilindrada do motor. O 124 e o 127 ao número do projecto. Depois disso, optou-se por um nome próprio, como Ritmo ou Fura, embora essa tendência tenha durado pouco.

Desde o lançamento do SEAT Ronda, em 1982, é uma tradição, com algumas excepções, baptizar os modelos com nomes de cidades ou aldeias da Espanha. O SEAT Tarraco, o mais recente da marca, é o décimo quinto. No momento de atribuir o nome a uma viatura, procuramos um que represente o ADN da marca, que seja curto, fácil de lembrar e fique bem em todos os idiomas. Para além disso, neste caso, os nomes pré-seleccionados são discutidos por grupos de opinião em diferentes países, com o mesmo perfil dos compradores. Depois, a votação popular é que decide.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: