Sam Sunderland assumiu liderança nas duas rodas

A segunda etapa do Dakar provocou uma verdadeira revolução nas motos, com o piloto inglês a conduzir a sua GasGas ao topo da classificação, por troca do seu companheiro de equipa Daniel Sanders. O português Joaquim Rodrigues Jr. (Hero) foi sexto classificado.

PEDRO RORIZ E CARLOS SOUSA (auto.look2010@gmail.com)

Sam Sunderland (GasGas)

A segunda etapa da 44.ª edição do Rali Dakar de todo-o-terreno, que chegou a ser liderada pelo piloto de Vidago Rui Gonçalves (Sherco), excedeu todas as expectativas, com a troca de líderes. O australiano Daniel Sanders (GasGas), comandante após os dois primeiros dias, não foi além do 23.º lugar na etapa desta segunda-feira e perdeu a liderança nas duas rodas, posição assumida pelo companheiro de equipa, Sam Sunderland.

O piloto inglês, também aos comandos de uma GasGas, foi segundo no Sector Selectivo, atrás de Joan Barreda Bort (Honda), oferecendo à marca japonesa a primeira vitória do ano. Sam Sunderland ficou a 5m33s do piloto espanhol, seguido do argentino Kevin Benavides (KTM), a 5m54s.

Daniel Sanders teve hoje um dia negativo, cedendo 24m58s na etapa, que deveria ter sido a primeira parte de uma etapa maratona, mas que, devido à chuva, acabou por ser uma etapa tradicional, obrigando ao cancelamento da tirada do Dakar Classic.

Adrien van Beveren (Yamaha)

Com estes resultados, Sam Sunderland é o novo líder, com 2m51s de vantagem sobre o francês Adrien van Beveren (Yamaha) e 3m29s sobre o anterior comandante, o australiano Daniel Sanders (GasGas). Pelo caminho ficou já o italiano Danilo Petrucci devido a problemas mecânicos na sua KTM ao quilómetro 115, tendo requisitado resgate aéreo à organização da prova devido à impossibilidade de reparar a avaria.

Entre a “armada” lusitana, o dia começou com o português Rui Gonçalves ao ataque. O piloto transmontano chegou a ter 5m56s de vantagem à passagem do primeiro controlo, ao quilómetro 40. No terceiro controlo, tinha 35 segundos, acabando a etapa em 12.º lugar, a 13m48s do vencedor, o espanhol Joan Barreda Bort, que conquistou o 28.º triunfo em etapas na carreira, sendo o terceiro mais vitorioso, a cinco dos franceses Cyril Despres e Stéphane Peterhansel, que têm 33.

Joaquim Rodrigues Jr. (Hero)

O piloto de Barcelos, Joaquim Rodrigues Jr. (Hero) acabou por ser o melhor entre os portugueses, terminando a etapa no sexto lugar e a subir de 30.º para 18.º da geral, enquanto Rui Gonçalves (Sherco), depois do mau dia de ontem, em que problemas mecânicos o fizeram perder muito tempo foi 12.º no SS, depois de ter comandado até ao km 179, e “saltou” de 70.º para 48.º.

António Maio (Yamaha) também sofreu, mas devido a uma fuga de combustível a cinco quilómetros do reabastecimento. Já Mário Patrão (KTM), que participa na categoria “Original by Motul” para pilotos que competem sem assistência, recuperou hoje 12 posições, depois dos problemas mecânicos sofridos na véspera, concluindo o dia em 54.º. Arcélio Couto (Honda) é 85.º, um lugar à frente de Mário Patrão, enquanto Pedro Bianchi Prata (Honda) é 88.º e Paulo Oliveira (KTM) 95.º.

ETAPA DE AMANHÃ

Era para ser a segunda parte da etapa maratona, que teria levado os concorrentes de de Ha’il a Al Artawiyah e daqui a Al Qaisumah, mas as condições atmosféricas levaram a que fosse impossível levaram a que fosse impossível montar o acampamento em Al Artawiyah e a opção foi, após a conclusão do Sector Selectivo (SS) rumar a Al Qaisumah que amanhã é local de partida de de chegada, depois de um percurso de 381 km, dos quais 255 km são percorridos em SS.

A primeira parte do SS é marcado por cordões de dunas e na segunda são os cruzamentos das pistas a exigirem um bom trabalho de navegação, para não suceder o que sucedeu no domingo, quando muitos perderam tempo à procura do derradeiro posto de controlo, antes da chegada.

CLASSIFICAÇÕES

SECTOR SELECTIVO

MOTOS – 1.º, Joan Barreda Bort (Honda), 3.31’20”; 2.º, Sam Sunderland (GasGas), a 5’33”; 3.º, Kevin Benavides (KTM), a 5’54”; 4.º, Skyler Howes (Husqvarna), a 6’16”; 5.º, Toby Price (KTM), a 7’00”; 6.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 10’18”; 7.º, Stefan Svitko (KTM), a 10’32”; 8.º, Adrien Van Beveren (Yamaha), a 11’34”; 9.º, Andrew Short (Yamaha), a 12,02”; 10.º, Aaron Mare (Hero), a 12’37”; …; 12.º, Rui Gonçalves (Sherco), a 13’48”; …; 47.º, António Maio (Yamaha), a 49’24”; …; 56.º, Mário Patrão (KTM), a 56’54”; …; 83.º, Arcélio Couto (Honda), a 1.27’10”; …; 87.º, Alexandre Azinhais (KTM), a 1.31’54”; …; 106.º, Pedro Bianchi Prata (Honda), a 1.55’39”;

GERAL

MOTOS – 1.º, Sam Sunderland (GasGas), a 8.31’29”; 2.º, Adrien Van Beveren (Yamaha), a 2’51”; 3.º, Daniel Sanders (GasGas), a 3’29”; 4.º, Matthias Walkner (KTM), a 4’28”; 5.º, Skyler Howes (Husqvarna), a 9’59”; 6.º, Lorenzo Santolino (Sherco), a 10’55”; 7.º, Pablo Quintanilla (Honda), a 12,31”; 8.º, Stefan Svitko (KTM), a 17’39; 9.º, Aaron Mare (Hero), a 18’41”; 10.º, Joan Barreda Bort (Honda), a 20’25”; …; 18.º, Joaquim Rodrigues (Hero), a 45’13”; …; 29.º, António Maio (Yamaha), a 1.04’45”; …; 48.º, Rui Gonçalves (Sherco), a 2.07’44”; …; 71.º, Alexandre Azinhais (KTM), a 3.13’24”; …; 84.º, Mário Patrão (KTM), a 4’09’43”; 87.º, Pedro Bianchi Prata (Honda), a 4.19’00”; …; 89.º, Arcélio Couto (Honda), a 4.21’36”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.