Rui Lopes pronto para o Rali de Castelo Branco

Piloto da Marinha Grande, navegado por Nuno Alves, inicia no Rali de Castelo Branco/Vila Velha de Ródão a reta final da temporada aos comandos de um Renault Clio Rally4 preparado pela estrutura CRN Competition, de Guimarães.

(auto.look2010@gmail.com)

A cruzar um período bastante conturbado e de grande dor com a morte precoce do pai no início desta semana e que o vai homenagear com uma curta mas digna frase “Obrigado por tudo, pai”, Rui Lopes está confiante na rápida aprendizagem com a nova viatura em pisos de asfalto.

Um desafio que o piloto marinhense tem em mãos já a partir desta sexta-feira e que apelida de «motivador», dado que a pretensão na prova desenhada pela Escuderia Castelo Branco «passa pela progressão natural» e agenciar «a almofada de conforto ao volante de uma nova viatura no asfalto».

Rui Lopes sublinhou que viajou recentemente até à cidade-berço «para uma sessão de treinos com o Renault Clio Rally4 e deparámo-nos com um dia bastante positivo, em que conseguimos realizar um trabalho profícuo».

«A sessão visou aprender o mecanismo da viatura em modo de competição no piso de asfalto, dado ser a primeira vez que o fizemos. O Renault Clio Rally4 foi concebido para se tornar a nova referência na sua categoria, obrigando-nos a ser intuitivos com o seu comportamento excecional, com um chassis simplesmente fantástico», revelou o piloto, que não escondeu a sua satisfação pelo tempo em que esteve ao volante.

O marinhense que transporta no Renault Clio Rally4 os parceiros Reson, Gecim, Hotel Mar e Sol, CRN e INOV, asseverou que, durante a sessão de testes, esteve «cingido em sentir o pulsar e tirar partido da potência da viatura» da marca francesa do losango.

É legítimo «pensar que este processo de adaptação é para ser produzido gradualmente», destacando «a impressionante capacidade de resposta», referiu Rui Lopes, agradecendo «o empenho e generosidade da CRN Competition, uma equipa fantástica liderada por Carlos Oliveira».

Para a prova desenhada pela Escuderia Castelo Branco, a dupla formada por Rui Lopes e Nuno Alves vai «continuar a rodar sem pensar nos resultados, uma vez que a nossa principal pensamento passa por chegar ao fim e condimentar os requisitos tendo em vista cimentar as aspirações para a temporada de 2023», revelou o piloto.

Refira-se que Rui Lopes e Nuno Alves já estiveram este ano envolvidos em duas provas disputadas no Rali Terras d’Aboboreira e Rali de Mortágua, ambos em pisos de terra, ao volante de um Renault Clio RS R3T. No Rali de Castelo Branco/Vila Velha de Ródão, o piloto da Marinha Grande terá pela frente uma nova “arma” para “atacar” as dificuldades que o espera a partir desta sexta-feira com as duas passagens de treinos livres e qualifying stage (entre as 15h00 e as 17h00), que permitirá definir a ordem de partida, e o Shakedown (das 17h30 às 19h30), a desenvolver em Vila Velha de Rodão.

O Rali de Castelo Branco/Vila Velha de Rodão, quinta prova pontuável para o Campeonato Portugal de Ralis, bem como para o Campeonato Promo de Ralis, disputa-se sábado e domingo, dividido por duas etapas, 11 especiais (cinco percorridas por duas vezes, mais uma super-especial) que representam 102,34 km cronometrados, num percurso total de 467,27 km.

No sábado, a prova da Escuderia Castelo Branco inicia-se às 9h30, para uma 1.ª etapa com dupla passagem por Fratel – Vila Velha de Rodão (8,77 km – 10h26 e 12h37), Santo André das Tojeiras (9,94 km – 11h39 e 16h49) e Sarzedas (9,21 km – 16h01 e 17h37) terminando o primeiro dia com a super-especial Reconquista (2,50 km; 21h03).

Haverá um reagrupamento (13h47/15h00) após as três primeiras especiais e outro antes da super-especial (18h57/20h00). Os concorrentes passam, também, por duas Zonas de Reabastecimento (Alvaiade, Louriçal e Campo da Feira) e pelo Parque de Assistência (15h08/20h15) localizado no Campo da Feira, antecedendo a entrada em Parque Fechado (22h38), localizado no Campo Mártires da Pátria “Docas”, em Castelo Branco.

A 2.ª etapa, a disputar domingo, tem início às 9h00 com uma dupla passagem pelos troços de Sobral do Campo – São Vicente da Beira (11,89 km – 10h11 e 12h07) e São Vicente da Beira – Louriçal do Campo (9,14 km – 10h59 e 12h55). A consagração dos vencedores terá lugar a partir das 15h00, com a cerimónia de pódio e entrega de prémios, que será realizada no Campo Mártires da Pátria, em Castelo Branco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.