Ruben Faria com Olhão para os triunfos

A equipa Honda Monster Energy, liderada por Ruben Faria, algarvio de Olhão, alcançou de novo o direito de festejar, pelo segundo ano consecutivo, o triunfo no Rali Dakar 2021. Kevin Benavides viu um sonho concluído d vencer o Dakar e Ricky Brabec, sagrou-se vice-campeão.

(auto.look2010@gmail.com)

O português Ruben Faria, director desportivo da equipa Honda, que venceu a 43.ª edição do Rali Dakar na categoria de motos, considerou que foi uma prova «muito intensa» e disputada. Em declarações difundidas pela equipa japonesa, Ruben Faria, que conduziu a Honda à vitória pelo segundo ano consecutivo, realçou que, «a partir da quarta etapa», a sua equipa começou «a dominar a corrida». «Este Dakar foi muito intenso e disputado. Superámos as restrições da Covid-19 e pudemos participar com a formação completa na corrida».

«Estivemos muito fortes durante toda a prova. Começámos bem o prólogo, mas as primeiras duas etapas, com mais navegação, foram mais complicadas por abrirmos a pista. A partir da quarta etapa, dominámos a prova, como se viu, com um trabalho limpo e muito profissional de todos», frisou o algarvio de Olhão, que conta, também, com a ajuda do sintrense Hélder Rodrigues.

«Foi uma corrida limpa e um trabalho muito profissional de todos os envolvidos. O Kevin esteve muito forte e Nacho era, talvez, o mais forte na pista, embora tenha caído três dias antes do final. O Ricky e o Joan (Barreda) venceram várias etapas, mostrando seu potencial, embora o Joan tenha tido que desistir no penúltimo dia da corrida. O Dakar é assim, é a corrida mais dura», afirmou o olhanense.

Ruben Faria realçou o facto de a sua equipa ter conseguido a “dobradinha”, com a vitória do argentino Kevin Benavides e o segundo lugar do norte-americano Ricky Brabec. O sul-americano viu o sonho tornado realidade de ser campeão do Dakar, enquanto o norte-americano, vice-campeão, concluiu a prova com muita determinação e consistência, ganhando a derradeira etapa.

«Foi um trabalho excelente da equipa e estamos todos muito orgulhosos e de parabéns. Continuaremos a trabalhar para voltar a ganhar em 2022», prometeu o antigo piloto português, que em 2020 pôs fim a um domínio de 19 anos da KTM na categoria das duas rodas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *