Rodrigo Correia “acelera” em casa sem pressão

O jovem piloto de Reigoso, concelho de Oliveira de Frades, que para muito dos amigos é apelidado de “Ás” do volante, descarta a hipótese de ser o trunfo para o Constálica Rallye Vouzela, porque o objectivo passa por preparar o Rali Vidreiro e dar visibilidade aos parceiros.

(auto.look2010@gmail.com)

Apesar da irreverência dos 16 anos de idade, Rodrigo Correia não embandeira em arco para mais um compromisso nos ralis, desta vez a contar para o Campeonato Centro de Ralis, competição que integra ainda o Desafio Kumho Asfalto e Desafio Kumho Centro. Mas este não é um rali qualquer para o jovem piloto, podendo mesmo agitar com a sua pulsação.

Além de se tratar de uma prova no seu “quintal”, tem ainda a particularidade de acelerar paredes-meias com a escola que frequenta e que arrasta os amigos para a berma da estrada, como também transporta no Kia Picanto GT Cup a esmagadora maioria dos parceiros locais, entre eles a empresa Constálica que dá nome ao rali desde a primeira edição e que já vai na sétima.

Rodrigo Correia, no entanto, está consciente dos seus afazeres. Depois do brilhantismo patenteado no Rali Município de Mesão Frio, consolidando de prova para prova o seu inegável amadurecimento, o jovem piloto esfria os ânimos, relembrando que «a situação epidemiológica que se vive na região, no país e no mundo com a pandemia da Covid-19», advertindo «para o risco das euforias e deixa o aviso: «Não estamos em situação de embandeirar em arco. É preciso calma e prudência, até porque cautelas e caldo de galinha nunca fizeram mal a ninguém».

«O facto de poder participar numa prova que tem muito significado para mim a todo os níveis, não é motivo de grandes euforias. Naturalmente que fico feliz por poder ver de perto os meus amigos e todas as pessoas que me acompanham e incentivam mas, como é do conhecimento geral, esta é a minha quarta prova e o objectivo primordial é preparar o Kia Picanto Rally Cup integrado no Rali Vidreiro – Centro de Portugal pontuável para o Campeonato de Portugal de ralis», aferiu Rodrigo Correia.

Todavia, o campeão nacional em título de Ralicross Iniciação não esconde que no Constálica Rallye Vouzela vai ter a oportunidade de «mostrar o meu melhor, não defraudando todos aqueles que me acompanham, mas o mais importante é que percebam que atravessamos um período complicado, sendo de capital importância que assistam à prova sem nunca deixar de cumprir o distanciamento social para que todos estejamos protegidos».

O Constálica Rallye Vouzela, na estrada no próximo dia 27 de Setembro, é encarado por Rodrigo Correia «como mais um passo importante na senda da aprendizagem, não sendo por isso razão para grandes nervosismos, pelo que me resta prosseguir a minha tarefa com o Miguel Paião, o meu navegador, que tem administrado doses produtivas de ensinamento e, quiçá, despoletar o interesse a outros jovens para os ralis ou outras disciplinas do desporto motorizado».

O jovem piloto, que agradeceu «o apoio da Constálica, Castrol, Travocar, Cácio – Sublime Furniture, Caves Primavera, InspeÁgueda, Sin Profile, Promolafões – Organizamos Emoções, Astrilusa – Representações, autolook.pt, Facting, Gapmec – Economistas e Consultores, Motor Vision, Movielight, Creactive e Consultâmega para levar por diante este projecto», reforçou «os cuidados redobrados a ter face à pandemia da Covid-19».

A sétima edição do Constálica Rallye Vouzela é restringida a um só dia, na estrada a 27 de Setembro, mas com a mesma dose de espectacularidade a desenvolver pela tripla passagem pelas especiais da Senhora do Castelo/Constálica (10h38, 12h04 e 14h58) e Penoita/SIN Profile (11h06, 12h32 e 15h15), todos em piso de asfalto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: