Ricky Brabec vence etapa e reforça liderança

O piloto norte-americano da Honda foi o mais rápido na sexta etapa do Dakar nas motos e tem agora 20 minutos de vantagem na classificação geral.

(auto.look2010@gmail.com) – EM ACTUALIZAÇÃO

Na tirada que ligou a Ha`Il a Riade, a capital da Arábia Saudita, numa distância total de 830 quilómetros, houve um pouco de tudo, mas é a Honda que chega ao dia de descanso com a moral em alta. Ricky Brabec (Honda) venceu esta sexta-feira, a sexta de 12 etapas da 42.ª edição do Rali Dakar de todo-o-terreno, e líder a classificação das motos com mais de 20 minutos de vantagem.

O piloto norte-americano da equipa orientada pelo português Ruben Faria gastou 4h36m28s para cumprir os 477 quilómetros da especial entre Hail e Riade, deixando o espanhol Joan Barreda (Honda), segundo, a 1m34s. O austríaco Mathias Walkner (KTM) foi terceiro, a 2m45s.

O português Paulo Gonçalves foi dos primeiros a terminar a etapa, que tinha um total de 830 quilómetros e antecede o dia de descanso, finalizando na oitava posição, a 8m16s. Pelo caminho ficou o companheiro de equipa Sebastian Bühler (Hero), radicado em Portugal, com o motor partido.

Na especial de 478 quilómetros, o alentejano António Maio (Yamaha) voltou a ser o segundo melhor português ao realizar o 21.º tempo, com Joaquim Rodrigues Jr (Hero) a terminar como o terceiro piloto nacional, ao rubricar o 27.º registo da especial.

Ricky Brabec aproveitou um problema sofrido pelo australiano Toby Price (KTM) nos derradeiros quilómetros da etapa, que custou 16 minutos ao vencedor de 2019, para cimentar a sua liderança na classificação das duas rodas.

O piloto da Honda chega à segunda semana de prova com 20m56s de vantagem sobre o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna), na segunda posição, e 25m39s face a Toby Price, terceiro. Quem também ficou parado na especial, foi o argentino Kevin Benavides (Honda), que partiu para esta etapa nos lugares do pódio.

No sábado, os pilotos desfrutam de um dia de descanso, retomando as “hostilidades” no domingo, com a mais longa especial da prova, entre Riade e Wadir Al Dawasir, com 546 quilómetros cronometrados de um total de 741.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: