Ricardo Porém “preso” na duna não retira ânimo

O piloto de Leiria, que faz equipa com Jorge Monteiro, não evitou um “atascanso” e “afundou” o Borgward numa zona dunas que o levou a perder muito tempo para reiniciar a marcha. No entanto, este episódio não beliscou os intentos da dupla lusitana com vista aos próximos compromissos.

(auto.look2010@gmail.com)

A etapa de hoje, a quarta da 43.ª edição do Rali Dakar, foi madrasta para Ricardo Porém e Jorge Monteiro, com o Borgward a ficar “preso” numa zona de dunas dos 337 quilómetros cronometrados.

Apesar de, na véspera, antever uma etapa interessante, o piloto Bomcar acabou por ceder tempo precioso, terminando no 39.º lugar, a 34m17s da dupla vencedora da tirada, Nasser Al-Attiyah e Matthieu Baumel (Toyota Hilux). No que concerne à classificação geral, Ricardo Porém e Jorge Monteiro encontram-se no 32.º lugar, a 3h12m09s dos líderes, os franceses Stéphane Peterhansel e Edouard Boulanger (Mini).

«Foi um dia longo e cansativo. Não há muito a dizer…Vínhamos a fazer uma etapa excelente, tínhamos ultrapassado todos os camiões e a cumprir um bom ritmo até que ficamos presos numa duna. Foram mais de 20 minutos de trabalho na areia, com placas e macaco até conseguir retirar o Borgward para seguir e ainda recuperar algumas posições», começou por referir Ricardo Porém.

De acordo com o jovem piloto leiriense, «estes 20 minutos perdidos fazem toda a diferença no resultado final de uma etapa como a de hoje», admitindo que «está a faltar uma pontinha de sorte, mas esta é uma prova de resistência, muito longa, em que não podemos baixar os braços».

Amanhã, a caravana do Dakar parte cedo da capital da Arábia Saudita, Riyahd, a Buraydah, num total de 419 quilómetros cronometrados, em que Ricardo Porém e Jorge Monteiro terão pela frente uma das mais duras etapas da edição deste ano. Uma etapa cheia de desafios, com muita pedra e não tão rápida como as anteriores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *