Riade autoriza duas mulheres a participar no Dakar

Na Arábia Saudita as mulheres estavam impedidas de conduzir até 2018, e ainda há algumas activistas que cumprem condenações por terem reivindicado o direito a conduzir veículos motorizados.

(auto.look2010@gmail.com)

A Arábia Saudita autorizou, pela primeira vez, que duas mulheres piloto sauditas participem no Rali Dakar 2022, que se vai disputar a partir de 1 de Janeiro naquele país árabe, que proibia até 2018 que as mulheres conduzissem.

«A Federação Saudita de Automobilismo e Motociclismo outorgou as licenças necessárias às duas pilotos sauditas Dania Ugail e Mashaal al Obaidan para participar no Rali Dakar Arábia Saudita 2022», noticiou a agência de notícias oficial do país árabe (SPA).

Nas duas primeiras edições da prova automobilística que decorreram na Arábia Saudita já tinham competido várias mulheres, 12 na edição de 2020 e 17 na de 2021, mas nenhuma era saudita. Ugail e Obaidan vão participar na 44.ª edição do Rali Dakar na equipa South Racing, na categoria T3, de veículos leves que alcançam os 135 quilómetros por hora, que conta com um trajecto total de 600 quilómetros num programa de 12 dias.

«Participar neste grande evento é um sonho feito realidade», assinalou Mashaal al Obaidan, enquanto Ugail realçou a «felicidade» que sente com a autorização recebida. Na Arábia Saudita as mulheres estavam impedidas de conduzir até 2018, e ainda há algumas ativistas que cumprem condenações por terem reivindicado o direito a conduzir veículos motorizados.

A mais conhecida é Loujain al Hathloul, que foi condenada a cinco anos e oito meses de prisão e, mesmo tendo saído em liberdade condicional em Fevereiro último, depois de quase três anos na prisão, continua sujeita a medidas cautelares, como a proibição de viajar para o estrangeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.